Feeds:
Posts
Comentários

HARM

Está escrito: “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o folego de vida; e o homem foi feito alma vivente; e plantou o Senhor Deus um jardim no Éden da banda do oriente; e pôs ali o homem que tinha formado”. No verso 15 diz: “E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e guardar”.

O homem foi formado do barro, na verdade o nome Adão também poderia ser em português, “Barroso”, feito do barro, ou terroso, feito da terra, pois o nome está ligado a Adamah que significa terra vermelha. Desse pó vermelho da Palestina é que foi formado o homem que após foi levado para viver dentro do jardim de Deus, lavrando a terra.

Deus com o barro moldou um boneco na forma humana o qual porém, estava deitado inerte no solo como se fosse um corpo mineral. Deus o querendo vivo, soprou então o fôlego de vida em seus narizes e este passou a respirar no solo a semelhança dos vegetais. Deus porém, o queria animado e assim o tornou em “alma vivente” , com ânimo, moveu-se e começou a caminhar como o faz todo animal. A grande diferença entre o homem e todos os demais animais da criação, foi o dom de ser este “racional”, como seu Criador. Para ser servo de Deus necessitamos ter entendimento, pois Deus é um ser racional, lógico e perfeito.

Muitos entendem que o fôlego de vida era o Espírito de Deus no homem, porém é apenas uma conjetura, veja o que diz Gn 6: 17, todos os animais também são almas viventes e tem “fôlego de vida” como o homem o e não tem neles o Espírito de Deus, Gn 1: 24. Porém, sendo o homem racional e vivendo em plena harmonia e em sintonia com o Criador que é Espirito, Jo 4: 24, e dia a dia estando diante de sua presença, estava com o homem o Espírito de Deus. Enquanto houvesse harmonia entre Criador e criatura assim seria. Quando Adão pecou, acabou expulso do jardim e da presença de Deus e já não tinha mais com ele o Espírito de Deus, mas continuou com o fôlego de vida em si até que morresse, Gn 2: 17 e 5: 5. Longe de Deus, passou a viver por sua própria conta, conforme Gn 3: 19. Era agora apenas um animal racional gerando filhos a sua semelhança e conforme a sua imagem adâmica, veja Gn 5: 3.

Mesmo no jardim Adão era um servo de Deus, pois lavrava e guardava o local, tarefas de servo, e nomeava a sua criação com sabedoria, prova disto é que tinha essa sua dificílima tarefa sempre aprovada pelo Criador, Gn 2: 19. Obediente, tinha sobre si no jardim a glória de Deus, pois ainda não tinha pecado, como está em Rm 3: 23. Porém todas as suas tarefas eram de um servo um auxiliar, ainda a intelectual de nomear a criação divina. Nestas coisas vemos características da semelhança de Deus no homem que é refletir a glória divina usando o dom de criar a partir da criação de Deus, 2Co 3: 18. Isto, só o homem tem capacidade para fazer.

Quando o homem se converte a Cristo, o recebe em verdade como seu Senhor e passa a servir o seu senhorio, e deixa de ser servo do pecado e volta a condição de ser servo da justiça como era no jardim no Éden, confirme em Rm 6: 17. A primeira condição do homem em relação a Deus é de servo, mas existe um plano para que o homem chegue a ser Senhor em Cristo na Bíblia conforme mostra Gn 1: 27.

Pense: “O servo obediente se torna amigo de seu Senhor e assim se torna um servo livre”.

cláudio pinto pr

Anúncios

A var

Desde de que a ciência em seu desenvolvimento descobriu fósseis a semelhança humana os situando como ancestrais do homem atual, e os denominando como homem Cromagnon, de Neenderthal, etc., estimando a sua antiguidade em muito mais de seis milênios, colocou uma interrogação com relação a veracidade e credibilidade da narrativa bíblica sobre a criação do homem cuja origem gira em torno dos seis mil anos, pondo na berlinda a verdade sobre o criacionismo.

Essas descobertas, evidenciam a semelhança óssea como prova genérica de antecedência de toda a espécie humana, no pressuposto de que todos os homens descendem de um ancestral único o que cremos ser indevido ou precipitado.

O que a Bíblia revela no Gênesis, não é a criação da forma humana na terra a qual é muito antiga, mas a criação de um homem específico com características próprias e inerentes e que tem por nome Adão. A Bíblia, só este homem interessa revelar por ser o ancestral dos homens atuais, aos demais homens, que a ciência o faça com toda a liberdade como está previsto em Pv 25: 2. É função da ciência.

Sabemos que o esqueleto com forma humana e o “chassi” mais apto e aprovado na natureza, tanto que quase todos os vertebrados tem estruturas ósseas que são semelhantes à humana , com cabeça, tronco e membros na mesma ordem e número. Algumas espécies, sofrem adaptações para se adequarem ao meio em que vivem, como braços transformados em asas no caso das aves, ou longas caudas para dar equilíbrio como nos felinos e repteis. Lembramos que na indústria automobilística quando se consegue fazer um chassi aprovado se montam após muitos modelos sobre ele, o mesmo ocorre no caso do esqueleto humanoide usado por muitos vertebrados por ser excelente. Porque o Criador faria um novo esqueleto só para diferenciar o homem Adão dos demais que já existiam antes dele?. Não teria nenhum sentido.

A complexidade está em que a mesma Bíblia afirma existirem hoje dois tipos de homens que fisicamente são idênticos, tem o mesmo DNA, mas com essências tornadas diferentes conforme está revelado em 1Co 2: 13 a 16. Um deles é o “homem natural” que foi criado em Adão há aproximadamente seis mil anos e que escolheu “não ser espiritual”. O outro é o “homem espiritual” criado do mesmo Adão, mas que foi recriado em Cristo há próximos dois mil anos , também por livre escolha sua, se tornando assim o homem espiritual da graça.

Porém se acharmos os fósseis de ambos no porvir, eles teriam esqueletos iguais em absoluto, pois a diferença não está na forma física, mas na essência de cada um e isto não fica registrado nos fósseis. A mesma Bíblia os diferencia como sendo: o natural da terra e o espiritual do céu, o natural mortal, por ter escolhido se apartar de Deus seu Criador, e o espiritual eterno, por escolher ser a semelhança de seu Criador. Portanto, não se achara a diferença observando o fóssil dos dois homens. Lembramos que o Homem é o único ser na natureza com raciocínio, com arbítrio e com liberdade de escolher o que quer ser eternamente, e ter respeitada a sua livre decisão pelo seu Criador, pois Deus lhe deu o chamado “livre arbítrio”.

O Gênesis narra a criação desse homem chamado Adão a partir do pó da terra, e de sua companheira Eva, tirada de sua costela, o qual foi formado para ser “a imagem e semelhança de seu Criador”, se assim ele o escolher. Isso o torna em essência diferente de todos os demais eventuais homens pré- existentes, pois nenhum deles tem a preeminência de ser a imagem e semelhança de seu Criador. A Bíblia só narra essa criação por ser ela a única que nos interessa por estar nela a nossa história passada e futura e não nas outras. Lembre-se que a Bíblia revela a idade do homem Adão, mas não revela a idade do planeta terra.

Pode ter havido homens inteligentes antes de Adão? sim, e a provas disso em todas as artes e até nas cavernas rupestres. Porém, para esses não havia um plano que um dia pudessem se tornar eternos, e assim se foram, deixando porém, a sua passagem gravada de várias formas nos tempos. Se você é um Adão, hoje pode escolher ser natural ou eterno, e só receber a Jesus que te transforma em nova criatura no novo nascimento e espiritual e eterna. A decisão e escolha e livre e totalmente sua. Você é quem decide o seu futuro eterno.

Pense: “ Jesus disse que um cego nascido sem olhos pode ver o que um homem nascido com olhos perfeitos não vê”, tudo depende da fé de cada um, Lc 10: 39 a 41, e Mc 10: 51 e 52. Você pode crer nisso?

cláudio pinto pr

A transf 200 bl

Existe um enigma que poucos se aventuram a entender no velho testamento, o qual está envolto realmente em certo mistério. Entre aqueles que se aventuram a comentar não há unanimidade e existem opiniões e posições diversas. Como esse texto fica um verso antes do polêmico assunto que aborda o contato entre os filhos e Deus e as filhas dos homens no verso 4, as discussões se desviam para esse tema, obscurecendo o anterior que queremos aqui evidenciar que diz: “Então disse o Senhor: não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne: porém os seus dias serão cento e vinte anos”, Gn 6: 3. Qual o significado dessa declaração sobre o homem em momento tão dramático?

Deus é o Criador do homem e sabia ser ele carne, não se refere portanto, à sua essência física, mas a sua escolha pessoal em privilegiar ser um ser carnal ao escolher o conhecimento do mal e pecar. Assim, contaminou a sua carne conforme Rm 7: 18, e passou a ser influenciado pelo mal ao qual livremente escolheu servir se associando ao maligno e as coisas carnais e malignas, 1Tm 2: 14. Isso levou a Deus a se apartar do homem carnal.

Sendo o homem carne e sendo Deus Espírito, o homem pecador tenderá a porfiar ou contender com o seu Criador, conforme Gn 3: 8 a 13, isto devido à perda da harmonia inicial e a estar ligado ao maligno. A decisão de Deus em Gn 3: 6 faz parte do plano de salvação futura do homem, o preservando carnal até que pudesse novamente receber o dom do Espírito de Deus, e em Cristo e se tornar o homem espiritual de 1Co 2: 13 a 16. Seria uma evolução espiritual do pecador.

Ao anunciar o dilúvio a Noé, Deus proveu “120 anos” de misericórdia para que os homens se arrependessem, que foi o tempo da construção da arca, 1Pe 3: 20, que era a forma de pregação da justiça divina por Noé naqueles tempos, conforme 2Pe 2: 5. Porém como sabemos somente 8 almas entraram na arca, sendo todos eles membros da família de Noé único homem no qual Deus viu graça para ser salvo.

Após o dilúvio que provocou mudanças no clima da terra, a idade dos homens foi sendo sumariamente reduzida, por exemplo, o grande patriarca Abraão, viveu 175 anos e morreu como relata Gn 25: 7, bem menos que os 969 anos de Matusala. Abraão foi o pai da fé e a raiz do povo de Deus, e aparece entre os heróis da fé de Hb 11: 8 a 10. Da linhagem de Abraão e na mesma fé veio Moisés, através de quem veio à lei de Deus aos homens. Algo novo aconteceu no relacionamento entre Deus e os homens através da vida de Moisés, o qual deu a lei que apontava o pecado, e o curioso é que ele Moisés viveu “120 anos” e morreu, deixando porém a lei que foi o aio para a vinda da graça. Seu testemunho foi dos maiores entre os heróis da fé de Hb 11: 23 a 29.

Quando o homem chegou aos 120 anos de média de duração de vida, tendo como referencia Moisés, Deus dá nova chance de arrependimento ao homem, dando a lei chamada “do pecado e da morte”, Rm 8: 2, a qual restaurou a contenda entre o seu Espírito e o espírito do homem para lhe abrir o caminho da vida, através dela. Ela revelou o pecado e serviu de aio para a vinda da salvação pela graça futura que por meio da fé, que se consuma em nosso Senhor Jesus Cristo.

cláudio pinto

Pense: “Crise é oportunidade. Se a crise do homem é o pecado, a oportunidade do homem é Jesus”.

Nábulus, pensador cristão

O b bang

A Bíblia relata com detalhes a criação de todas as coisas, por um Deus Criador e Ùnico, a que educacionalmente se convencionou chamar por “criacionismo”, e que é aceita por todos os que creem e temem a Deus . Foi assim chamada para se diferenciar de uma proposta humanista conhecida como “teoria da evolução, que nega a criação original e propõe que a natureza inconsciente tem poder de criar e se criar no tempo. A essa teoria (ideia), se somou outra da parte da ciência a qual se deu o nome de “big bang” e que tenta explicar cientificamente como tudo teria começado a partir de uma pequena e concentrada bola primordial que explodiu. Estas são as teorias mais notórias, confrontando a criação, embora existam outras tantas ideias entre povos e tribos primitivos que não são levadas em conta como estudo, ficando mais no campo da mitologia.

Francis Collins um cientista de renome, talvez o maior dos dias de hoje, por ter sido o chefe da equipe científica que mapeou o genoma humano, é um cristão sério e declarado, autor de vários livros famosos, entre os quais destacamos o livro “A linguagem de Deus”, onde revelou que muitos cientistas se converteram a Cristo devido a teoria do “big bang” que foi criada justamente, não para negar a criação de Deus, mas para propor algo que pensavam ser mais lógico para o surgimento do universo e sua sequência de eventos. Para explicar isso, Francis Collins, lança mão da “lei da causalidade”, que enuncia não haver efeito sem causa e nem causa sem efeito, e que é um princípio praticado e aceito por toda a ciência.

Ora, sendo cientistas e tendo raciocínio lógico, logo concluíram que se houve o big bang inicial, ele é um efeito de algo que o antecedeu e não é a causa, e deixa então a pergunta: qual foi a causa que originou o efeito “big bang?” E muitos cientistas se auto responderam concluindo que teria que haver alguém por trás desse acontecimento, alguém que apertasse o botão que daria origem a explosão. E como a ciência calculou toda a sequencia inicial pôs acontecimento do big bang até hoje, chegaram a conclusão que foi um caos controlado, pois ninguém pode prever o que ocorre num estado absolutamente caótico que é imprevisível. Se pode ser mapeado alguém controlava sabiamente esse suposto caos.

E concluíram que esse alguém só poderia ser Deus, alguém maior que o big bang e que podia controlá-lo. Deus teria sido a causa de tão grandioso acontecimento cujo efeito resultou na origem do universo atual. Dai as conversões dos cientistas, que os levou a estarem concordes com a lógica daquilo que praticam no dia a dia, e o efeito de suas conversões teve como causa o crer em um Deus Criador. Talvez você fique surpreso como eu fiquei com essa narrativa, seria bom ler então o livro A linguagem de Deus de Francis Collins. Um cientista faz suposições e as investiga, após, fica com as conclusões lógicas obtidas e não com as suposições.

Pense: O caos é o lugar ideal para que aja a ordem, Deus é a ordem no caos, é o “Haja luz” criador. Nábulus, pensador cristão

.

LM

As eleições na França, a cidade luz da Europa, terra do iluminismo, e cabeça intelectual da Europa, confirmou uma tendência que está se repetindo em todo o mundo, ou seja, a falta ou carência de grandes líderes populares representativos e com qualidade de estadista, no mundo. Hoje se escolhe o que se apresenta como disponível e não o que se tem como o ideal para governar uma nação, e os resultados colhidos tem ido de mal a pior. Nos últimos 50 anos em matéria de estadistas o mundo tem descido a ladeira da incompetência abaixo e está mergulhando em um previsível período de iniquidade e de trevas. Não surgem grandes líderes, e os que existem são inexpressivos ou desqualificados, mas por não surgirem novos, continuam sendo as velhas, falidas e nefastas opções.

Vemos que em todos os principais países do mundo o candidato favorito surge em meio a campanha eleitoral ou próximo a ela, e não era uma carta marcada com uma carreira e um currículo que o recomendasse, mas um produto do meio que veio a tona fortuitamente devido a diversas circunstâncias ou promovido por um vil ou inescrupuloso marqueteiro. Não se sabe o que exatamente ele pensa, e o que pretende, além da notoriedade que o cargo lhe dará, e assim se paga para ver o que vai dar como se uma eleição fosse um mero jogo de pôquer. O pior é que nesse pôquer o blefe tem sido o resultado predominante.

No caso da França, todos os favoritos foram caindo um a um durante o trajeto e isto devido as próprias deficiências ou fragilidades morais, sobraram os que não foram atingidos pelo infausto, e um dos países mais importantes do mundo será governado ou por um candidato tido como extremista ou por um tido como inexperiente para as funções, ao final, prevaleceu o inexperiente. Nos EUA, o político carreirista e profissional, foi substituído por um empresário que pela primeira vez se aventurou como candidato e logo almejou o cargo mais importante da nação e um dos mais importantes do mundo. Na falta de alguém preparado e mais expressivo acabou levando, e foi eleito ao cargo, e agora é que vamos ver quais as suas verdadeiras intenções, competência e tendências, em especial na área internacional, veja a verdade disso em Rm 3:10 a 12.

Na verdade todos os países do mundo estão em carência de verdadeiras lideranças pessoas que tenham vocação, história, competência, carisma e boas intenções, para com a humanidade, para ser o ocupante do cargo principal da nação. Na verdade, elegem alguém convenientemente para o momento, o qual é por opção o menos ruim possível e não a mais desejado e capacitado, muitas vezes apenas um oportunista ou aventureiro que desgraça a nação que dirige.

Assim o mundo está ficando pronto para o surgimento do líder mundial carismático e pragmático, que tenha soluções para todas as áreas da economia, do comércio, da ecologia, das relações internacionais, das crises, etc. O homem poderoso no discurso e com olhar dominador que conduz as massas populares, e conquista as lideranças, e que tem um objetivo claro a executar, alguém determinado e apto a assumir não somente o governo de uma nação, mas apto e pronto a ser guindado a assumir o governo do mundo se tornando o primeiro governante mundial, o qual é citado profeticamente em 2Ts 2: 8 a 10 e Ap 13: 1 a 10.

O mundo começa a ansiar por um líder mundial, a sonhar com esse personagem poderoso no olhar e portentoso na oratória, o seu trono já está posto bastando agora que ele se manifeste em algum ponto do planeta para logo ser entronizado nele pelas nações desesperadas pelo vazio governamental. O mundo começa a ansiar pelo anticristo, o homem da iniquidade como revelam as profecias bíblicas.

Para nós que somos cristãos e cremos nas escrituras, esse momento se delineia a cada dia e está sendo construído passo a passo, até que das trevas resplandeça e seja elevado por todos os que amam o mundo e se regalam na iniquidade e na mentira, terão então o que sempre buscaram e se apegaram, e pagarão o caro preço desse devaneio desolador, conforme diz Dn 9: 27.

Para nós cristãos tementes a Deus, a ordem e buscar a Jesus e seu reino, orando, a cada dia pedindo, “venha o teu reino Senhor”.

cláudio pinto pr

Pense: “Para quem ama a iniquidade o ideal e que no trono do mundo se assente o seu príncipe”, 2Ts 2:13. Nábulus, pensador cristão

O caos universal

Expl 4 6

O universo é caótico, nele estrelas explodem de maneira estrepitosa, lançando no espaço colunas de raios gama absolutamente destruidoras, produzem temperaturas avassaladoras, e depois se encolhem e adensam como um gigantesco imã, com tal poder de gravidade que são capazes de sugar tudo ao seu redor e do qual nem a luz escapa, se constituindo nos famosos buracos negros.

Simultaneamente meteoros se deslocam como bólidos em velocidades vertiginosas cuja energia cinética os torna mais destruidores e mais potentes potencialmente que muitas bombas atômica produzidas pelo homem. Corpos celestes se chocam constantemente e são lançados como petardos pelo espaço vazio e a deriva são um perigo total para alvos distantes, raios cósmicos cortam o vazio universal com imensurável capacidade destrutiva que nada pode deter. O Sol, a nossa grande estrela aparentemente pacífica, lança massa coronal magnetizada no espaço que se um dia atingir a nossa terra causará uma catástrofe inimaginável em sua amplitude que afetará a toda a humanidade.

Ao olharmos para o céu porém, tudo está aparentemente calmo, tranquilo e muito silencioso, e em perfeita ordem. A noite vemos o poético brilho da lua com as estrelas piscando em lugares distantes as vezes ofuscadas pela ténue e leitosa faixa que é a via láctea a nossa galacia. Aparentemente, nenhuma ameaça, nenhum perigo, além da abobada azul celeste da terra. Saiba que se um grão de areia se deslocando pelo espaço atingir uma nave espacial ele a atravessará como se não existisse devido a energia cinética acumulada por sua velocidade.

A questão é que o que vemos não se constitui na realidade do universo, estamos restritos a nossa infinita insignificância visual em relação ao colossal tamanho do cosmos. Na verdade estamos habitando um ambiente hiper- violento e destrutivo que tenta o tempo todo se auto destruir. Se sairmos da camada protetora de atmosfera que nos cerca estaremos sujeitos e expostos a todas as formas de aniquilamento que se possa imaginar. Fora da atmosfera, o nosso corpo estaria sujeito a temperaturas elevadíssimas exposto a luz e temperaturas baixíssimas quando na sombra, e só isto de forma simultânea seria num contraste insuportável.

O universo é dantescamente caótico, porém suas forças destrutivas e desordenadas estão contidas por algo muito maior que ele, que o amordaça e controla. Tudo o que o universo produz de destrutivo é transformado em benefício dele mesmo por uma força infinitamente superior a ele. O nosso Sol se queima continuamente e se consome em sua fúria nuclear até que um dia se apague se transformando em uma chamada anã branca pequena e densa. Em sua continua fissão nuclear, produz calor intenso e devastador, porém, este calor chega a terra de forma suave e mantém a maravilhosa e tênue variedade de vida aqui existente e que permite as plantas a metabolização da fotossíntese. Quem faz estas maravilhas, quem opera esse controle total sobre o caos universal?

Só há uma resposta, Deus é a ordem no meio do caos, está é a maior revelação que Deus dá de sua presença real ao controlar o estado caótico da matéria no cosmos, transformando continuamente essa energia aniquilante em resultados e realizações positivas para o plano que empreende para o universo futuro, pacifico e sereno, onde somente o bem prevalecerá numa ordem plena e absoluta, veja Sl 19: 1 a 3. Um dia todo esse potencial destrutivo da energia cósmica, será tão poderosa como é , quanto será pacifica e ordeira nas mãos do Criador, no dia em que haverá um novo céu e uma nova terra onde imperará a justiça, 2Pe 3: 13, não a do homem, mas a perfeita de Deus o Criador. O universo é tenebroso e caótico, mas Deus é luz e ordem no meio do caos. Como um domador, Ele domina as forças caóticas as submetendo a sua obediência.

cláudio pinto pr

Pense: “Onde existe o caos é o ambiente perfeito para que a ordem do Criador se estabeleça”. Nábulus, pensador cristão

portaaberta11vm  c fig h b SH V

O felizardo que já nasceu para a vida com as ”portas abertas” só tem que cuidar para não fechá-las, já o que nasceu com as “portas fechadas”, tem que lutar para ver se ao menos consegue abrir uma delas. Felizardo é o que nasce com as portas já abertas nesta vida, pois o sucesso lhe está as portas. Para os desafortunados porém, é preciso fortuitamente uma porta se oferecer aberta e ele saber aproveitar bem a oportunidade, talvez única, que esta vida está lhe proporcionando.

Ouvimos no rádio, o caso de um técnico curioso que aprendeu a consertar celulares de última geração. Um dia, um jornalista que por ali passava e teve seu avançado celular danificado, sem ter outra opção, procurou o tal técnico por recomendação. Não só teve o seu celular reparado como teve a surpresa de saber que o serviço nada custaria por ter sido um simples ajuste sem nenhuma troca de peças. Surpreso divulgou o fato em seu jornal com endereço da oficina e tudo como agradecimento. Nos dias sequentes ao anúncio a freguesia do referido técnico multiplicou a tal ponto que ele hoje se tornou um empresário de sucesso na área dando emprego a muitas pessoas. Agora, independente de sua competência, como teria sido sua vida profissional sem este fortuito encontro com o jornalista? Ele foi a grande “porta que se abriu” para o técnico e o seu posterior sucesso.

Carolina Maria de Jesus, a moradora de favela escritora do livro “Quarto de despejo”, apesar de seu fim de vida dramático e solitário, tornou-se conhecida em todo o pais depois que o jornalista Audálio Dantas a descobriu em 1958 de forma ocasional ao fazer uma reportagem. Em 1960, e já aos 46 anos de idade, ela publicou seu livro com muito sucesso. Sem o Audálio Dantas, talvez seu livro nunca sequer fosse lido independente de ter ou não qualidade. Enfim, ela teve a sua chance quando Audálio Dantas lhe abriu “as portas da oportunidade”. Ele foi a sua porta para o sucesso e notoriedade.

Cora Coralina, famosa escritora brasileira nascida em Goias no ano 1970, só veio a lançar seu primeiro livro “Poemas e becos de Goias e histórias mais”, aos 75 anos de idade, e só se tornou nacionalmente reconhecida, após a segunda edição desse livro, isso devido a saudação feita no jornal do Brasil pelo consagrado escritor Carlos Drummond de Andrade. Ele lhe “abriu as portas” para o sucesso e ao devido reconhecimento de seu talento, a tornando uma das mais populares autoras brasileiras, cumprindo o dito “antes tarde do que nunca”. Ele lhe abriu as portas para a fama e a honra que perduram até hoje.

O que seria de Pelé sem ser achado pelo famoso ex jogador Waldemar de Brito, que aos 16 anos o levou para o Santos? Nunca se saberá e nem se poderá responder essa questão. Porém quantos “Pelés” cheios de virtudes, passaram despercebidos pela várzea, por nunca terem o seu “Waldemar de Brito a lhe abrir as portas?” quantas Carolinas não acharam o seu Audálio e quantas Corailinas não acharam o seu Drumond, e passaram no mais absoluto ostracismo? e quantos prestadores de serviço nunca acharam o seu abençoado jornalista?

Não basta ser competente, ter talento, ser lutador perseverante, é preciso ter um dia a porta da oportunidade aberta. Isso acontece de berço com pessoas notáveis e ricas, com filhos de artistas famosos, de jogadores de futebol, de escritores, ou de jornalistas e políticos, etc., a quem só é preciso não fechar a porta que já encontraram escancarada a sua frente. Porém , se para você a porta nunca se abrir, saiba que você faz parte da grande maioria lutadora deste mundo e que o mesmo ocorreu com um expoente das artes plásticas, Vincent Van Gogh, que embora hoje seja tido como um gênio e seus quadros vendidos por milhões de dólares, viveu e morreu só, desconhecido, desprezado e pobre.

Porém e nesta vida que podemos ter a chance de achar a mais importante de todas as portas, a qual se abre para todos, ricos, pobres, famosos, anônimos, mas, não para o sucesso efêmero desta existência e suas glórias, mas para o sucesso e glórias eternos, basta se passar por ela conforme mostra o evangelho de João 10:9. Muitos dos felizardos que já nasceram com as “porta abertas” para o sucesso desta vida, não tiveram olhos abertos para ver a porta principal que se abre para a vida eterna, pois se inebriaram e distraíram com a fácil gloria e os brilhos deste mundo para o qual nada trouxemos e do qual nada levamos conforme diz Jó em seu livro no capítulo 1: 21 e confirma Timóteo em 1Tm 6: 7 .

Feliz o que um dia em seu caminho encontra como Saulo a Jesus e entende que Ele é sua “porta aberta”, não somente para o sucesso secular que perece, conforme 2Co 4: 16 a 18, mas para a eternidade e passando pela porta acha a vida como está em Jo 10: 9. Essa é a porta do realmente vitorioso que é muito mais que vencedor em Cristo como está em Rm 8: 37, mesmo sendo anônimo nesta vida.

Pense “A porta do sucesso efêmero deste mundo depende em muito da sorte, a da vida eterna depende totalmente da sabedoria”. Nábulus, pensador cristão

Claudio pinto pr

Pense: “O caminho te leva a porta e a porta te leva ao caminho, passe por eles e entre na vida”, nesta vida. Nábulus, pensador cristão

%d blogueiros gostam disto: