Feeds:
Posts
Comentários

Archive for julho \19\UTC 2018

 

V teor evol c txO que motivou Darwin a propor sua teoria? Segundo me consta e confiando nos relatos da história, Darwim era de família cristã, defensor dos direitos humanos, e ligado aos antiescravagistas da Universidade Cambridge onde estudou, e se sentia pressionado por se sentir impotente contra tais coisas. Ainda nesse tempo a Europa balançava entre o criacionismo e o evolucionismo, e Darwin resolveu sair em busca de provas sobre o evolucionismo. Em 1831 aceitou convite do amigo Robert Fitzroy para sair em viagem de dois anos com o barco Beagle ao redor do mundo, viagem que ao final levou cinco anos, até 1836., e observando a natureza de passagem e tirando conclusões pessoais, em especial nas analises nas ilhas Galápagos, passou a elaborar a sua proposta sobre a “teoria da evolução”.

Ao perceber a diferença entre os animais da mesma espécie, as quais mudavam de tamanho no decorrer do tempo diminuindo sempre, e que mudavam em alguns pontos, como as formas de bicos, etc., isto quando se separavam geograficamente de seus iguais se adaptando a um novo ambiente, deduziu ser isto a comprovação da evolução das espécies. Para ele, isso foi o suficiente para se contestar a criação, e a narrativa bíblica, a tendo como sendo errada. Embora, até hoje, nunca se tenha achado uma prova real de que uma espécie se transmutasse em outra, o que caracterizaria a evolução ao criar uma nova espécie, nem se achado o chamado elo perdido que poderia dar veracidade à dita evolução e da qual o vivo “Celacanto”, é uma tremenda contradição, incrivelmente a ciência que se baseia sempre em provas cabais, respaldou ou se omitiu a respeito dessa “teoria” ou suposição, como se fosse um enunciado comprovado.

Teoria – O que é uma teoria? É um, “conjunto de regras ou leis, mais ou menos sistematizadas, aplicadas a uma área específica ou o conhecimento especulativo, metódico e organizado de caráter hipotético e sintético”, portanto, nada há ainda de concreto numa “teoria hipotética”, até que seja no mínimo comprovada e então deixa de ser teoria e passa a ser um enunciado científico. Porém, a ciência trata a “teoria da evolução” mesmo sem comprovação, como fato real e não uma teoria, e ela é assim ensinada como a verdade nas escolas, barrando o ciriacionismo.

Adaptação – E muito claro que as criaturas se adaptem a novos ambientes, como o percebeu Darwin, e a prova disso está em serem os nórdicos, onde há pouco sol, pálidos, os orientais onde o sol é poente, amarelos, e os africanos onde o sol é intenso, negros e com cabelos encrespados, (queimados), isto para resistir ao calor. Aqueça o cabelo liso de um nórdico ou oriental ao lume e terá como resultado o cabelo corrugado de um africano. A mesma adaptação ocorre com os animais sem nenhuma dúvida, mas adaptação nada tem a ver com evolução, pois ela adapta as espécies ao ambiente em que vivem por mera sobrevivência, mas não as transforma em novas outras espécies diferentes dela. Vemos na adaptação uma realidade fácil de se aceitar e lógica de se entender, pois há na natureza uma diversidade de manifestações plurais do mesmo fenômeno em muitos animais da mesma espécie. Cremos que a teoria da adaptação é um fato de fácil comprovação, para que seja ciência, as espécies se adaptam ao meio. O fato de uma vespa por seus ovos no corpo de uma lagarta para que sua larvas se alimentem dela após, Gn 1: 30, prova apenas que a maldade domina a natureza conforme diz Rm 8: 22.

Claro que a ciência deve estar aberta a qualquer novidade, porém a teoria de Darwin deveria ser apenas o início de uma investigação mais profunda em busca de provas, para que tal teoria fosse respaldada de forma irrefutável, sendo após aceita como sendo ciência. No caso da evolução parece se abriu entretanto uma exceção a essa norma, e a “teoria” foi aceita como verdade, pois passou a ser ensinada em escolas regulares, no mundo todo, por mais incrível que possa parecer, e sem nenhum protesto da ciência, parecendo isso ser muito mais uma cumplicidade com a intenção de ser negar a Bíblia e sua narrativa criacionista, que algo calcado em coisas mais serias. Infelizmente a evolução é abalizada como científica, mesmo sendo uma teoria sem provas reais que a fundamentem. Se hoje se achasse uma prova real e se comprovasse a teoria da evolução, isso também comprovaria e deixaria claro a grave omissão anterior, de se aceitar ou admitir sem provas cabais, uma mera “teoria”, porém, isso ainda não ocorreu até hoje.

Creio, que o próprio Darwin deve ter ficado estupefato ao ver as suas teorias serem aceitas por todos passando até a serem ensinadas nas escolas com rápido respaldo da ciência e deve ter morrido feliz se realmente cria no que dizia. Porém se apenas buscava argumentos para sua teoria, ou tivesse qualquer outro propósito, deve ter morrido muito frustrado e decepcionado, ao ver que a ciência, na qual confiava, aceitava todas as suas elucubrações teóricas como sendo “provas fundamentais”.

Se Darwin acertou ou errou em suas teorias cada um pode avaliar, pois nada foi ainda provado a respeito, pode-se aceitar ou rejeitar tais ideias, mas que ele errou ao confiar que a ciência investigaria com profundidade a sua proposta, aí errou feio, e disso não fica nenhuma dúvida e sabemos que partir de uma premissa errada e chega sempre a uma conclusão também errada. Porém, o nosso desejo como crentes no criacionismo e sempre esperando provas válidas do evolucionismo, é que ele descanse em paz.

cláudio pinto pr

Pense: “A mesma ciência que põe em dúvida a narrativa divina da criação, aceita sem dúvidas, a teoria humana da evolução. Nábulus, pensador cristão

Anúncios

Read Full Post »

digitalizar0001

Desde o meu primeiro contato com a Bíblia e em particular com o livro do apocalipse, me chamou atenção a ação dos quatro cavaleiros do apocalipse, e como não tinha muita experiência no assunto e não achava pessoas com discernimento para me ajudar, busquei entender essa profecia através de livros de autores afamados. O texto diz o seguinte: “e olhei, e eis um cavalo branco: e o que estava assentado sobre ele tinha um arco; e tinha uma coroa, e saiu vitorioso e para vencer”.

Em minha pesquisa, Logo percebi ser este um assunto polêmico, pois se não havia dúvidas sofre os cavalos vermelho, simbolizando a guerra, o preto, simbolizando o comércio, e o amarelo simbolizando a morte, eram varias as opiniões sobre o cavaleiro do cavalo branco, pois não está definido no texto o que ele simboliza. Quem seria afinal esse misterioso cavaleiro? percebi que havia muitas opiniões que eram antagônicas, como ser ele o anticristo ou até o próprio Cristo.

Como discernir o significado senão pelo texto bíblico? Nele se lê de início: “e olhei e eis um cavalo branco”. Como creio que as escrituras se revelam por si mesmas e se consultarmos o capítulo 19 do livro no verso 11,veremos relatado que Jesus retorna assentado sobre um “cavalo branco” e se identificando como o “fiel e verdadeiro”, o mesmo nome revelado por Ele para si mesmo em Ap 3:14, na carta enviada a igreja de Laodiceia. Portanto no texto o “cavalo branco” é de Jesus Cristo.

Na sequencia diz: “o que estava assentado sobre o cavalo branco tinha um arco”, o que significa ação de guerra, pois quem se provê de um arco vai guerrear, e o arco é muito mais uma ferramenta de ataque, embora se preste também a defesa. O texto diz que: “sairia vitorioso e para vencer”, confirmando que irá a ação. Também diz que ele tinha uma coroa, que só tem os reis já consagrados e os vitoriosos. Ora que Jesus é rei está sobre o seu vestido sobre a sua coxa onde se lê: “Rei dos reis e Senhor dos senhores”. Que é vitorioso está em Ap 1: 18, pois venceu a morte, At 2: 24, o mundo, Jo 16: 33, e o maligno, At 1: 3, e tem as chaves da morte, pois dela ressuscitou, e do inferno (hades), onde desceu e lá derrotou o que tinha o império da morte como está em Hb 2: 14, e de lá subiu vitorioso conforme Ef 4: 8 a 10 e em Mt28:18, tendo agora todo o poder no céu e na terra.

Não fosse somente isso, os outros três cavaleiros são abstrações, um personifica a guerra, o outro a morte e outro a fome, e sabemos que estas coisas não existem como pessoas, mas que são tipos que personificam coisas existentes. Ora se os cavaleiros dos cavalos vermelho, preto e amarelo, são abstrações, símbolos de movimentos, porque somente o cavaleiro do cavalo branco seria uma pessoa? Este não é um principio das revelações das escrituras em especial deste livro que se chama das revelações. Todos os quatro cavaleiros são abstrações ou movimentos que tipificam coisas que são reais, mas não personificadas. Outra questão é: porque Jesus emprestaria o seu cavalo ao anticristo se este veio para negá-lo, para se antepor a Ele como um impostor? logicamente não vejo nenhum sentido nisso.

Nesse caso o que significaria o cavaleiro do cavalo branco de Ap 2: 4? Há meu ver tipifica um movimento ou uma abstração como o são os outros três cavaleiros. Ele simboliza a ação de cristãos vitoriosos atuando durante a grande tribulação e que testemunharam o amor a palavra e a Cristo diante do anticristo e embora sejam mortos por ele, conforme está na abertura do quinto selo em Ap 6: 9 a 11, serão vitoriosos, pois aguardarão debaixo do altar a sua redenção eterna, já com vestes brancas. Estes saíram vencendo ao testemunhar o seu amor a palavra de Deus e para vencer, pois entraram no repouso do Senhor conforme Hb 4: 9. E quem tiver dúvida ainda é só ler em Ap 7: 13 a 17, quando o ancião revela que eles vieram de “grande tribulação”, veja Mt 24: 21, e que lavaram e branquearam os seus vestidos no sangue do Cordeiro, sendo os chamados grupo dos “mártires na glória”, ou seja os que foram deixados para trás no arrebatamento de Ap 4: 1 e 2, mas que após deram as suas vidas, pois sabiam ter perdido a sua oportunidade na graça, e agora a buscavam com o custo da própria vida, pois conheciam a palavra e dela iriam testemunhar, e isso a qualquer preço.

Esse grupo de testemunhas de Jesus diante do anticristo formam o movimento que é simbolizado pelo “cavaleiro do cavalo branco” de Jesus, pois testemunham em nome do rei Jesus, e tem na mão o arco e saem vencendo e para vencer como acabamos de ver. Já o anticristo embora saia vencendo, saí para ser derrotado no final conforme está revelado por Jesus em Ap 19: 19 e 20. Cremos ser está a interpretação do sentido do cavaleiro do cavalo branco, são os “mártires na glória”. Porém, todo o nosso respeito por quem pensar diferente, pois sabemos que a verdade só tem um dono e Senhor, Jesus Cristo a verdade e a vida.

cláudio pinto pr

Pense: “O anticristo não é um imitador de Jesus, antes é um opositor ferrenho, que em absoluto o nega”. Nábulus, pensador cristão

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: