Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \16\UTC 2015

O homem a princípio não foi criado para morrer, pois em nenhum verso do Gênesis e citada a previsão de morte física para o homem antes do pecado. Ao contrário, é dito em Rm 5: 12, que com o pecado entrou a morte no mundo e ela passou a todos os homens. Concluímos que o homem se tornou física e mesmo espiritualmente mortal após o pecado. Esse fato, nos passa a sensação que a morte foi um “castigo de Deus” para punir o pecado e o pecador.

Se examinarmos os textos e discernirmos causas e efeitos, veremos porém, que a morte na verdade é uma dádiva divina de misericórdia de Deus ao pecador, e não um castigo como a princípio pode parecer. Onde existe o pecado e essencial que exista a morte que é o único livramento possível para o pecador. Imagine alguém atravessado por uma espada, leproso, canceroso, atropelado, decepado, dilacerado por uma fera, ou coisa prior, permanecer vivo sofrendo todas essas dores continuadamente devido a inexistência da morte. Esse sim seria um castigo terrível, a falta da morte. Deus permitiu por amor ao homem que a morte então entrasse, como uma saída para o assolado pela dor e pelo sofrimento, provenientes do pecado.

Onde existe o pecado a morte deve ser vista como uma bênção. Ela é a única alternativa ao sofrimento proveniente do pecado original e o homem é o culpado pelas dores e sofrimentos resultantes. O homem fez a escolha errada, mas sempre pergunta diante das desgraças que isso trouxe, “onde estava Deus nesse momento que nada fez”? Estava como está, provendo o fim da morte trazida pelo homem.

Saiba que em Ap 9: 6, é mostrada a retirada da morte antes do pecado, e isto por apenas cinco meses, eveja o resultado: “E naqueles dias os homens buscarão a morte, e não a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugira deles”. Este sim é um castigo ao homem, a retirada da morte sem que antes seja retirado o pecado. O homem sofrerá as dores do pecado sem ter mais a alternativa de morrer.

Deus não é o causador das desgraças do mundo, mas o são os homens que foram os que introduziram o mal no mundo e o entregaram ao domínio de Satanás, como diz 1Jo 5: 19. Quando as desgraças acontecem no mundo, Deus está onde sempre esteve, trabalhando para eliminar os males do pecado e da morte no mundo.

Veja que em 1Co 15: 26, Paulo revela que o pecado será tirado antes da morte Jo 1: 29, isto pela misericórdia divina: “ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte”. Após, haverá vida eterna para sempre com Deus aos que creem nele.

Pense: “Para os que creem a morte não é a longa noite final, mas sim o raiar de um novo e eterno dia, iluminado pelo Sol da justiça. Nábulus, pensador cristão.

Read Full Post »

Read Full Post »

Read Full Post »

imagesQuando o profeta Isaias, o que mais falou de Jesus no velho testamento, declarou este texto profético, muitos não entenderam ao que se referia, “comer manteiga e mel até saber rejeitar o mal e escolher o bem”. Em que tempo e com quem essa profecia se cumpriria?

Na verdade esse fato não era inédito, já havia acontecido no passado, quando Adão ainda sem ter pecado e colocado diante da opção de rejeitar o mal e escolher o bem, escolheu o mal, conforme  Gn 3: 6, e herdou todas as consequências advindas desse erro.

Ora, se o primeiro Adão escolheu “conhecer o mal” ao perder a fé e desobedecer a Deus  e assim trouxe o pecado e a morte ao mundo, Rm 5: 12, o último Adão de 1Co 15: 45, Jesus Cristo, representava a ultima chance do homem de rejeitar o mal e escolher o bem  fazendo o caminho contrário ao do primeiro Adão e foi a esse momento decisivo da salvação do homem que se referia o profeta Isaias.

E quando ocorreu esse momento de escolha onde o bem e o mal foram colocados diante de Jesus para tão importe decisão? Foi na tentação do deserto como está em Mt 4: 8 a 11, mais especificamente no verso 10, onde Jesus responde a Satanás: “Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás”, como resposta a proposta de satanás para que mudasse sua paternidade em troca de todos os reinos do mundo e dá glória deles. Assim Jesus rejeitou o mal oferecido por Satanás e permaneceu no bem, cumprindo fielmente a sua missão junto ao Pai de salvar os homens.

Satanás lhe ofereceu o seu reino maligno desde que renunciasse o bom reino de Deus. O aceitando Ele escolheria o mal como fez  o primeiro Adão, e rejeitaria o bem o qual Deus já lhe dera, mas para nós felizmente Jesus fez a escolha certa.

Graças a Deus, Jesus escolheu o bem, e pode como Cordeiro de Deus,  tirar  o pecado do mundo, Jo 1: 29, vencer a morte, Mt 28: 6,  e trazer a todos os homens que crerem a salvação e a volta a vida eterna, Jo 5: 24.

Pense: “O livre arbítrio nos dá liberdade de escolha, se acertada para a vida, se errada para a morte”.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: