Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \26\UTC 2015

AbraãoJesus é o libertador dos oprimidos pelo mal,  veio para libertar os cativos, e chegou na província dos gergesenos e ali haviam dois endemoninhados ferozes, saídos dos sepulcros que atacavam quem por ali passasse.  E vendo a Jesus, clamaram revelando que : 1 – nada tinham a ver com Jesus,  2 – sabiam ser ele o Filho de Deus,  3 –  tinham conhecimento de que tinham um tempo determinado por Deus para manifestar a sua malignidade.

No verso 31, os demônios reconhecem a autoridade de Jesus sobre eles, e sabendo que seriam expulsos dos dois homens,  lhe rogaram que pudessem entrar na manada de porcos que por ali pastava.                                                                                                                                                                                        E saindo dos homens e tomando eles os porcos todos se precipitaram no mar caindo por um despenhadeiro e morrendo nas águas. Isso revela que grande número de demônios  habitavam e se apossavam daqueles dois homens.  Os porcos tomados por eles, foram sacrificados como sendo o preço pago para a libertação dos  dois homens.

Os donos dos porcos assustados com o acontecimento, e ignorando o benefício feito aos  dois endemoninhados, só se ativeram ao   prejuízo que tiveram com a perda dos porcos, e  viram Jesus não como um benefício para suas vidas, antes,  como sendo Ele  uma ameaça material a eles.  Entre a vantagem espiritual e o prejuízo financeiro optaram por se precaver de prejuízos.

E toda a cidade procurou então a Jesus e lhe pediu que se retirasse de seus termos.                               Assim, não só se recusaram a receber a Jesus como desejaram que ele saísse do meio deles. Será que hoje muitos não estão fazendo o mesmo, só avaliando a Jesus pelo lucro ou prejuízo material que possa trazer, sem levar em conta o espiritual?   1Co 15: 19.

Jesus os ouvindo se foi, pois já mais fala aqueles que não o querem ouvir.

Pense: “Quem se acostumou a vida em escravidão, nunca dará valor a liberdade”                                                                 Nábulus, pensador cristão.

Read Full Post »

Um discípulo de Jesus cujo nome não é citado lhe disse que queria segui-lo,  mas que primeiro queria sepultar a seu pai.

Seriam duas as situações:  Seu pai estava morto e  sendo velado e precisava ser sepultado. Se assim fosse o discípulo o seguiria logo após o ato final de sepultamento de seu pai.                                                                                                     Seu pai estava ainda vivo, e  talvez,  levasse muito tempo para que morresse e só após sepultá-lo,  esse discípulo  viesse a seguir a Jesus.

Nas duas hipóteses Jesus lhe diz que não aceitava a proposta, na primeira,  se seu pai era morto espiritualmente pelo pecado adâmico,  já estava morto para Deus, e cabe aos que são mortos como ele,  o enterrar os seus mortos,  se alguém quer  segui-lo e está ainda preso aos mortos não está apto para isso, pois acabará  preso nas  motivações e abraços de seus familiares.

Quem saiu da morte para a vida deve tratar das coisas da vida e dos vivos, este é o ensinamento de Jesus. Os mortos tratam e devem tratar das coisas da morte.

Por isso, Jesus diz: “deixa aos mortos sepultar  os seus mortos”.                                                                                         Cruz N V SH8 VQuem é ressurreto cuida das coisas da vida, pois deixou a morte para trás, e quem olha para trás não está apto para pegar no arado e semear novidades. Quem não é ressurreto, que cuide das coisas da morte a qual está ainda  atrelado.

E onde está a justiça em relação aos ainda mortos? A justiça está em que um morto ouvindo a voz de Jesus sairá da sepultura e viverá,  Jo 11: 25. Em Jesus, ninguém ficará preso na morte não querendo isso, é só querer viver que Jesus lhe dará vida.

“Pense: “No trânsito se diz: pare, olhe e viva!  Na Fé dizemos, pare, “ouça”  e viva! Esta é a grande oportunidade da vida, saber ouvir para saber eternizá-la.                                     “Nábulus, pensador cristão”

cláudio pinto pr

 

Read Full Post »

digitalizar0002 - 220A Bíblia diz em Nm 13: 32 – “E infamaram a terra que haviam espiado, perante os filhos de Israel, dizendo: a terra, pelo meio da qual passamos a espiar;  é terra que consome os seus moradores.  E todos os homens que vimos no meio dela são homens de grande estatura”.

“Uma terra que consome os seus moradores”  Entre as afirmações dos espias eu destaco esta, pois é difícil se entender o seu significado. Como seria na prática, uma terra que consome os seus moradores?

Era uma terra de gigantes, será que eles se consumiam entre si como canibais? Não é dito isso, mas eles eram os moradores da terra que tanto assustou os espias. Por outro lado , os espias,   trouxeram de lá um cacho de uvas tão grande que tinha que ser levado por dois homens numa verga, e ainda romãs e figos, mostrando ser a terra muito prodigiosa, Nm 13: 23.

Uma terra a qual Deus chama de “terra que mana leite e mel”, e que tem tanta fartura, como  pode ser tida como  “uma terra que consome os seus moradores?”

Hoje há terras que como essa,  são abençoadas por Deus, são férteis, ricas e abundantes, verdes, sem desertos, sem tempestades, sem vulcões, sem terremotos, sem ciclones, sem tufões, sem maremotos, sem tsunamis, sem temperaturas escaldantes e sem áreas congeladas, com um grande manancial de água doce, e sem grandes tragédias naturais, etc., uma terra que só tem riquezas e bênçãos e tem homens de “grande estatura”.                                           Por acaso, você conhece algum lugar assim?

Eu conheço, infelizmente é uma terra que como disseram os espias, apesar da abundância,   também consome os seus moradores. Como ela faz isso?  Através de seus homens de grande estatura,  extorquindo  a todos com os mais altos impostos do mundo, sem  lhe dar nada equivalente em troca  e como benefício, que não dá segurança de emprego, de saúde,  nem de vida, e que não cumpre os concertos feitos com seu povo, carcomendo até o direito a aposentadoria paga pelos mesmos durante sua vida.  Que  gasta tudo que tem para que poucos vivam nababescamente e tenham todos os privilégios e quando a coisa aperta pelos desmandos  manda a conta para os que são consumidos e são os produtivos, pagarem.                                                                                                Uma terra abençoada que mana leite e mel na qual os homens de grande estatura, consomem os seus moradores dia a dia, para se perpetuarem  se deleitando como gigantes da terra e que nós vem como se todos fossemos apenas “gafanhotos a seus olhos”.

Por isso Deus trará sobre todos o juízo final de Ap 20: 10 a 15, para que os que deram remédio amargo a muitos,  para a custa deles viverem regaladamente e seguros, provem eternamente de seu próprio remédio.  O homem diz:  eu não vi nada!  “mas Deus diz:  Eu porém vi tudo!”

Deus é um Deus de justiça, a Ele ninguém engana, diante dele não há espertos. Que Deus tenha misericórdia dos que são hoje consumidos na terra , e  até mesmo deles, os  gigantes consumidores,  antes que venha o terrível  juízo de amanhã.

Nós, obedecendo os ensinamentos de Jesus,  repetimos:

“Senhor venha o teu reino a terra e livra-nos do mal ”, ora vem  Senhor Jesus.  Ap 22: 20

Read Full Post »

Cérebro aHouve homens que viram a Jesus, outros que conheceram a Jesus, outros que falaram com Jesus, e finalmente aqueles que se dispuseram a seguir a Jesus.

Ora para seguir a Jesus existem condições que quase sempre não são as mais favoráveis,  apesar da ousadia dos que falam como o escriba no verso 19 onde se lê: “Mestre, aonde quer que fores, eu te seguirei”. A esse impulso Jesus respondeu: “As raposas tem covis, e as aves dos céus tem ninhos, mas o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”. Verso 20.

Isto não significa apenas que Jesus não tinha um travesseiro  para dormir reclinando nele a sua cabeça, Jesus, tinha em sua mente uma proposta de vida, mas poucos queriam ouvi-la,  ele não tinha a quem declinar as suas ideias, as coisas que estavam em sua cabeça,  precisava de seguidores fieis que o ouvissem e que o entendessem.  Como hoje na igreja,  as pessoas em desespero,  querem  aquilo que para Jesus não era importante dar, querem a solução dos problemas do  momento, e assim  desprezam a  solução eterna.

Está observação de Jesus tem uma visão literal, pois Ele embora sendo Filho de Deus, não era contado entre os abastados, antes andava entre os necessitados e pouco tinha a oferecer  de conforto material aos que o seguissem.  Lhes oferecia o reino do céu onde existe a sua justiça.

Espiritualmente, as raposas como Herodes, um rei no mundo, Lc 13: 32, tinham  muito mais a oferecer a seus seguidores, os chamados herodianos, que Jesus aos seus, e as aves do céu, demônios e seus representantes, Mc 4:4 e 15, tem também o que oferecer para aninhar seus seguidores, pois eles prometem a seus seguidores as coisas desta vida.

Jesus diz aos que  quem têm  interesses matérias  que seguissem  a eles,  que têm com o que lhes retribuir, pois têm  os reinos deste mundo e tem como barganhar com os que se interessam em  investir nele.

Pense:  “Com o pecado o diabo embotou a mente humana, Jesus veio para fazer o homem pensar.                                                       Nábulus, pensador cristão.

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: