Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \29\UTC 2013

A moral bl 180O síndico

E muito comum alguns se revoltarem e criticarem a corrupção como se fosse algo absolutamente estranho a eles.

Porém estes mesmos quando necessário, costumam dar um “jeitinho” nas coisas do dia a dia, isto ocorre quando se está sob ameaça de levar uma multa, se precisa agilizar alguma ato, conseguir alguma autorização ou documento, facilitar algum serviço em especial público. Neste caso aquele que sempre reclama da corrupção se alia aos corruptos,  pois agora é de seu interesse que eles existam. Após corrompe-los diz: “este pais não tem jeito mesmo”.

Diz o ditado: “Se você quer conhecer quem é honesto dê-lhe uma oportunidade de ser desonesto.  Existe a corrupção compulsória, sem saída, porém, existe a “cumpliciada.”

Assim é,  salvo raras exceções o síndico. O que é um síndico? É alguém eleito, semelhante aos políticos, porém  que está mais próximo de nós.

Ele administra algo semelhante a um negócio público, pois  mexe com bens alheios. Como faz qualquer vereador, o síndico é o responsável por examinar as contas, ou seja, entradas e saídas,  e  caso seja preciso  propor ao conselho aumento do valor das contribuições .

Esse cidadão quando condômino vivia a questionar a idoneidade do síndico, agora na posição deste logo se esquece de seus princípios e tentado pelas altas somas das negociações de reformas ou de melhorias no condomínio, vê como normal aceitar propinas para eleger um vencedor da chamada concorrência, e coisas que tais.

Em nada ele é diferente dos outros síndicos desonestos ou dos políticos que tanto crítica, mas elege. Nunca pensa em reduzir despesas para equilibrar contas, porque nada ganha com isso, embora todos lucrem. Sempre pensa em aumentar contribuições onde pode lucrar com a perda de todos.  Se ele não tivesse tido a oportunidade de se corromper seria sempre um homem tido como “muito honesto”.

Como ele é o verdugo mais próximo de você  é o alvo de toda a sua ira, mas você na próxima eleição votará em vereadores e deputados  semelhantes a teu síndico, ou não?                                     Dirá, ele rouba mas faz!  É verdade, há piores que ele que roubam e nada fazem.

Bem, conhecendo a tua integridade incriticável deixamos no ar a pergunta para tua meditação e resposta:  Se você tivesse a oportunidade de ser síndico e seu condomínio, como você seria?

“Examini-se o homem a si mesmo e assim coma desse pão e beba desse cálice,  1 Co 11: 28.

Pense: – “Se o desonesto soubesse as vantagens de ser honesto, seria honesto, ainda que por desonestidade” .                                                      Sóccrates, filosofo grego.

Anúncios

Read Full Post »

Cor sabExistem muitas doutrinas que proclamam a salvação sem nenhum esforço ou participação do salvo, ele é apenas alvo passivo das benesses divinas, ainda que esteja distanciado das coisas de Deus no momento preciso será achado e levado, ou pior ainda, ainda que esteja envolvido no pecado continuado será contemplado com glória eterna a  qual nunca  almejou.

Porém o livro de Hebreus não compactua com essas doutrinas, ao contrário, seu autor desconhecido exorta a perseverança até o fim para a salvação conforme Hb 3: 5 e  6 que diz,    ” E na verdade Moisés foi fiel em toda a sua casa, como servo, para as coisas que se haviam de anunciar,  mas Cristo, como Filho sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até o fim”.  Aos que discordam deixa o alerta no verso seguinte: “Portanto, como diz o Espírito Santo, se hoje ouvirdes  a sua voz, não endureçais os vossos corações”. Hb 3: 7, 8b. Deixa a critério de cada um o caminho que deve seguir. O da liberdade em Cristo, ou o da liberalidade.

A esperança, ato de continua espera de promessas, tem que ser conservada pelo salvo fiel até o fim. Sabem porque? “Porque nos tornarmos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até o fim” Hb 3: 14.

Em Hb 3: 13  exorta a que nos exortemos no tempo que se chama “Hoje”, para que nenhum de nós se endureça pelo engano do pecado”, e  mais uma vez repete em  Hb 6: 11: “Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado “até o fim”, para completa certeza da esperança”.

Diante de tantos alertas sobre o perseverar na fidelidade “até o fim”, só nos resta uma esperança a de nunca estarmos com aqueles que se retiram da fé para a perdição,  mas estarmos entre os que permanecem para a conservação da alma. Hb 10: 39.

Pense: “ Deus não envia ninguém para o inferno, nem obriga ninguém a ir para o céu”. Nábulus, pensador cristão.

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

S feira S  I Bl 200Após ser derrotado nos dois primeiros embates, de três possíveis, a concupiscência da carne, e a concupiscência dos olhos, resta  agora ao tentador sua última chance em se sair vitorioso, apelar para a soberba da vida.

Agora o diabo  transporta Jesus a um mote muito alto e lhe mostra todos os reinos do mundo e a glória deles, e lhe oferece todas estas coisas de imediato, com uma condição:  que Ele se dobre diante dele e o adore, rejeitando assim a Deus e abandonado a sua missão de Salvador, a trocando pelos brilhos deste mundo, que lhe seria dados naquele mesmo instante.                                                                                          Lc 4: 6,  mostra que o diabo tinha condições reais de cumprir o que oferecia.

Em resposta, Jesus convicto, ordena a Satanás que se retire de sua presença, e lhe responde sempre usando a palavra: “Porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás”. E o diabo teve que lhe obedecer se retirando,  pois Ele acabara de o derrotar nas três tentações possíveis. Findou-se o embate.                                                                    A “tentação tripla” na qual Adão sucumbiu  diante da serpente estava encerrada.          E todos os anjos vendo isso, reconheceram que Jesus agora era maior que eles, pois derrotara o seu chefe, então vieram serviram a Jesus o vencedor com o está em Mt 4: 11.

Jesus tem agora toda a autoridade sobre os anjos,  Hb 2: 7 a 9.

*Pense: “A verdadeira autoridade é aquela que é reconhecida até pelos inimigos”.

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

A segunda tentação

Jesus olhando o mundoA segunda tentação – a concupiscência dos olhos de Mt 4: 5 a 7 – Aquilo que é agradável a nossos olhos como o foi a árvore da ciência do em e do mal aos olhos de Eva em Gn 3: 6.

Então o tentador o transportando a cidade santa e o colocando sobre o pináculo do templo, lhe disse: “Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui a baixo; por que está escrito: “Que a teus anjos darás ordem a teu respeito: e tomar-te-ão nas maõs, para que nunca tropeces em uma pedra”. Mt 4: 6

Do pináculo do templo, Jesus tinha uma visão ampla e abrangente e foi desafiado a contemplar a sua própria glória, era só saltar e ver os anjos voarem de um lado a outro, rapidamente,  para salvá-lo em cumprimento a palavra escrita.                                                                                                                                                                    O tentador, imitando a Jesus,  também usou agora a palavra de Deus para surpreender a Jesus e coloca-lo em cheque, Mas Jesus lhe respondeu com a mesma palavra: “Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus”.                                                                                                                                                                                             Saltar sem nenhum motivo justificável, a não ser o de ver com os próprios olhos a palavra se cumprindo a seu favor, seria tentar o que prometeu o forçando a cumpri-la.                                                                                                                                                                                                                                                                                               Não tentando a Deus pela concupiscência dos olhos,  Jesus derrotou pela segunda vez ao diabo. O deixando com uma só chance agora.

Jesus não transformou pedras em pães para saciar sua fome, nem saltou para ver a sua glória como Filho de Deus. Só resta agora mais uma tentação ao tentador.

Pense: “Até a  verdade na boca do mentiroso é transformada em mentira”

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

Pão francês aAs três tentações

Jesus nos mostrou que só podemos ser tentados de três formas:                                                                                       1 – pela concupiscência da carne, 2 – pela concupiscência dos olhos, e 3 – pela soberba da vida, de 1 Jo 2: 16.

Essas três tentações levaram Eva a comer  o fruto proibido e a dá-lo a seu marido adão que também o comeu,  Gn 3: 6 – “E vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, (concupiscência da carne), e agradável aos olhos, (concupiscência dos olhos), e árvore desejável para dar entendimento, (soberba da vida), tomou do seu fruto, e comeu, deu também a seu marido, e ele comeu com ela”.

1 – A primeira tentação  de Jesus –  Mt 4: 1 a 4

Então o tentador disse a Jesus que jejuara quarenta dias e noites: “Se tu és o Filho de Deus,  mande que essas pedras se transformem em pães”  Mt 4: 3. Ora a fome para quem ficou tanto tempo sem comer é uma concupiscência tremenda. O tentador o desafiou a usar o seu poder divino, para o fazendo revelar ter em si a fraqueza da concupiscência  (apetite) carnal.

Porém Jesus ao invés de lhe obedecer e usando o seu poder, transformar as pedras em pães,  lhe respondeu com a palavra de Deus dizendo: “Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” Mt 4: 4. Jesus estava se alimentado ao jejuar, pela palavra de Deus, e por ela resistiu na carne.

Assim Jesus venceu com a palavra de Deus a primeira tentação surpreendendo e derrotando o  tentador, o deixando agora somente com mais duas chances:                                                                                                                             a – a  concupiscência dos olhos,  e b – a soberba da vida.                                                                                             Não conseguindo levar Jesus a pecar,  o diabo estará derrotado após a terceira oportunidade.

Pense: “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”.

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

O mundo

AdamáQuando foi fundado o mundo?

Antes do pecado Deus reinava sobre a terra em harmonia com o homem,  no caso o homem Adão.                                                                                                                                  Ele estava no Jardim, um lugar cercado,  onde a sua sobrevivência não significava um problema.                                                                                                                                    Após o pecado, por não poder contemplar o mal, Deus rompeu com o homem, e deixou que este cuidasse de si mesmo conforme ás suas próprias forças e através do suor de seu rosto conforme Gn 3: 19.

Portanto, a partir do pecado o homem criou o seu próprio sistema de sobrevivência e de regras,  ao qual se deu o nome até hoje de “mundo”, ou sistema secular. Vemos então que o mundo foi fundado após o pecado.

Como no Jardim, antes do pecado  estava presente a árvore da vida, figura de Jesus Cristo, é dito sempre em relação ao homem, que Jesus estava presente já antes da fundação do mundo, Mt 25: 34, Ef 1: 4, o que é fácil de entender por este prisma.

O que é o mundo? É um sistema humano onde prevalece a astúcia, o engano, a esperteza, o poder, o sobrepujar, a força, a vantagem, e tudo o que pode ser impingido pelo espírito humano degenerado, de Gn 6: 5, é o reino da iniquidade. Isso não quer dizer que não existem homens dignos de salvação no mundo, existem, a prova é que  foi por eles que Deus definiu que um dia se manifestaria na terra como homem em Gn 3: 15.

Por pior que fosse a situação no mundo, nele estiveram, Abel, Enoque, Noé, Abraão, Moisés, os profetas, etc.  Deus se distanciou do homem pecador, mas não se esqueceu dele deste de antes da fundação do mundo.

Desde de que Deus separou um povo em Abraão, o pai da fé, ele revelou que queria um povo santo Ex 19: 6, o que significa, “separado do mundo” ou do sistema mundial. Deus nada tem a ver com o mundo conforme Jo 17: 13 e 14, mas a terra e toda a sua plenitude e todos que nela habitam são Dele, veja o Sl 24: 1. Deus quer salvar o mundo para restaurá-lo para que cumpra seu propósito.

Como Deus é santo, ao sistema divino de vida na terra se dá o nome de “santidade”. Esse sistema está em toda a Bíblia e  é oposto ao sistema secular mundial. A igreja de Cristo foi separada para viver e no mundo vindouro instalar esse sistema na terra. Jesus disse: “Apartai-vos de mim vós que praticais a iniquidade”, conforme  Mt 7: 23.

Cláudio Pinto Pr.

Read Full Post »

S feira S“Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão”, Jesus é o descendente de Abraão, “pelo que convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo, porque, naquilo que ele mesmo , sendo tentado, padeceu, pode socorrer os que são tentados”.

Deus é espírito e não homem, por isso, sendo justo se fez homem em Cristo, para que sendo igual aos homens pudesse sentir o que eles sentem e assim não só interceder por eles como sumo sacerdote,  mas também ter condições plenas de julgá-los ao final. …

Por isso os anjos não tinham condição de serem convocados para tal missão, pois  também são espíritos e não julgariam com misericórdia,  mas com o rigor da lei. Teria que ser alguém da descendência de Abraão, Hb 1: 16.

Para que alguém possa expiar os pecados do povo tem que sentir o mesmo que sente o povo pecador, tem que se fazer igual a eles. Por isso Jesus um dia se manifestou Deus na carne,  para poder agir com misericórdia para com os pecadores.

Em tudo o somos tentados pelo diabo, Jesus na carne também o foi, padeceu todas as fraquezas da carne que todos nós padecemos, e pode assim ao final revelar ao Pai o que está em Mt 26: 41 e 42, que: “ o espírito estava preparado,  mas que a carne era fraca”.

Se dependesse da carne, Jesus pedia que o cálice fosse afastado dele, mas pelo espírito que se fizesse a vontade do Pai e não a sua na carne. Jesus , Deus revelado em carne,revelou ao Pai, que é espírito, o que se sente ao estar participando das fraquezas  da carne.

Assim Jesus hoje, pode não só socorrer todos os que são tentados, pois também passou por tudo isso, mas além de interceder por eles, tem também toda a autoridade para julgar todos os homens, pois se fez semelhantes a eles um dia.

Pense: Jesus sendo Deus, se fez semelhante aos homens, para fazer dos homens cristãos, semelhantes a Ele.                                                               Nàbulus, pensador cristão.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: