Feeds:
Posts
Comentários

Archive for abril \29\UTC 2013

Gabi x Malafaia

G x M  180 blConfesso não ver a programação da tv comercial, só o faço quando alertado por algum fato  especifico  como o foi programa de frente com Gabi, cujo entrevistado foi  o Pr Silas Malafaia. Me surpreendo por minha impressão, ser oposta a da maioria dos evangélicos.  Por  não ter empatia com nenhum dos dois apresentadores, me tenho no caso como imparcial.

Ela é segundo a crítica  uma pessoa muito bem preparada sendo  um dos ícones femininos da telinha, gozando de grande prestígio e conceito na comunicação. Como o referido pastor é muito ágil mentalmente e também um excelente comunicador o evento prometia ser no mínimo interessante.

Tudo corria normalmente até o bloco onde entrou em cena o tema sexo, onde poucos conseguem se comportar sem se deixar tomar pelas emoções, posições pessoais,  envolvimentos familiares, etc., muitos até são reféns de expectadores no tema.  É um assunto onde ás paixões afloram e a razão tende a ceder lugar ao emocionalismo e ao partidarismo.

E não foi diferente nessa entrevista. A apresentadora visivelmente se transtornou diante das colocações do pastor, seu tom de voz se alterou se tornando mais grave, sua expressão  descaiu e se apresentou  tensa e seu sorriso sempre aberto estava calculado e forçado. Agora sua ação era bastante agressiva quase inquisitiva, querendo colocar palavras na boca do pastor para poder encurralá-lo como se fosse um jogo onde um tinha que ganhar.  Não fosse  um homem também de comunicação e teria, sem dúvida, sucumbido a estratégia e talento da apresentadora.

Findo o bloco o entrevistadora se refez, e a entrevista  caiu no lugar comum e a apresentadora voltou a estar solta e simpática, expressão e voz natural,  tentando demonstrar que o embate havia sido apenas um momento crítico na entrevista. Quanto ao pastor, sua postura foi de fidelidade a  sua fé,  e se teve erros  estes não foram teológicos, nisto ele  foi competente.

Cláudio Pinto Pr

Anúncios

Read Full Post »

S feira SII – O sacrifício do Cordeiro sem mancha

Jesus morreu de morte vicária, essa palavra pouco usada hoje, significa morrer em nosso lugar, Gl 3: 13. Nós deveríamos ser  mortos na cruz, mas Jesus se pôs lá em nosso lugar. Is 53: 4.

Seu sacrifício foi aceito por Deus e assim é suficiente para a nossa salvação, Hb 10: 12. Deus o aceitou porque, Ele nasceu gerado pelo Espírito Santo, sem o pecado original,  Jesus foi tentado em tudo mas sem pecado conforme Hb 4: 15 e morreu sem mancha, 1Pe 1: 19.

Se Jesus morreu em nosso lugar nós não precisamos morrer para sermos salvos a não ser espiritualmente,  isto no batismo nas águas.

A graça é definida como “favor imerecido”, ou seja, ninguém é digno de salvação, ninguém tem méritos para ser salvo,  mas somos salvos pela graça de Cristo que nos foi outorgada. Se dependêssemos de nossos méritos pessoais, seriámos todos  condenados.  Rm 7: 24.

Para sermos salvos temos somente que receber a Jesus e aceitar que ele morreu em nosso lugar, quanto a nossa vida após, ela está declarada em 2Co 5:15, que não vivamos mais para nós mesmos, mas para aquele que morreu por nós, e ressuscitou.

A santificação não é uma opção do salvo, é uma forma de vida sem a qual ninguém verá ao Senhor conforme Hb 2: 14. Jesus em vida em sua oração de João 17: 17 a 19, revelou que se santificava pelos que enviaria ao mundo para que fossem também santificados nEle.

Quem não é santo, e não busca se santificar, ainda que esteja na igreja não é a noiva que é pura, santa, sem ruga, nem mancha alguma, lembre-se que o joio e o trigo estão juntos na igreja e são tão semelhantes que Jesus orientou a que se não tentasse os separar para não correr riscos de tirar junto do joio o trigo,  Mt 13: 28 a 30.

É preciso entender que a igreja verdadeira a de Filadelfia, está dentro da Laodicéia, e como está em Ap 3: 16 a 18, será vomitada, e preciso discernir a igreja de Cristo. Mt 16: 18.

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

Igr na GT II1 – A Noiva de Cristo de Ef 5: 27

Jesus fundou uma só igreja, porém não revelou que nem tudo que parece igreja seria a noiva de cristo, existiria o joio no meio do trigo conforme Mt 13: 24 a 30. Poderia-se argumentar que o joio e o trigo estão somente no mundo, mas a igreja também está no mundo, ainda que a noiva esteja separada dele,  a igreja no todo não está fora de sua influência.

Na igreja estão juntos, as ovelhas e os lobos, os peixes bons e os ruins, ás boas e as más árvores, os que são obedientes e os desobedientes, conforme 1Ts 1: 8. Veja que neste texto é dito que Jesus volta como “labareda de fogo” para os que não conhecem a Deus, estes certamente são os descrentes do mundo, e também para os desobedientes ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, estes com certeza fazem parte da igreja,  mas não da noiva r por isso estarão sujeitos ao fogo do juízo.

Jesus disse em Ef 5: 25 a 27 que a noiva seria gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, santa e irrepreensível e que seria vestida de linho fino, puro e resplandecente, pois o linho fino são as justiças dos santos, conforme Ap 19: 8.

Ainda lembramos do relato que diz que dois estarão numa cama e um será levado e outro deixado, duas estarão juntas moendo; uma será tomada e outra deixada; dois estarão no campo ; um será tomado e outro deixado,  Lc 17: 34 a 36. Quando sucederão essas coisas? No dia em que o Filho do homem se há de manifestar responde Lc 17: 30. Como a Bíblia não fala no termo arrebatamento, que cada um dê a esse evento o nome que lhe agradar.

Uma coisa porém fica muito evidente, e que nem toda a igreja é a noiva, e que só a noiva será levada as bodas do cordeiro, a noiva é obediente e não sofrerá os danos de passar pelas labaredas de fogo, pois já está aprovada por Jesus Cristo para ser a sua esposa.

E os que ficaram para trás? Estes nunca foram e nem serão a noiva, nem mesmo sendo mortos diante do anticristo na grande tribulação como mártires.

Read Full Post »

Proc 1  H 180 blDesde o início da raça humana, quando Adão optou pelo conhecimento do mal ao comer do fruto proibido no jardim, que a desonestidade se tornou uma marca da raça humana.                                     O espírito de levar vantagem é inerente ao homem sendo quase uma regra a comandar todas as suas ações, assim a imoralidade se tornou uma forte tendência na vida em sociedade, pois ela simboliza estar alguém explorando ou levando vantagem de alguma forma sobre outrem.

O filosofo Sócrates disse: “Se o desonesto soubesse as vantagens de ser honesto, seria honesto ainda que por desonestidade”.  Ser honesto virou uma qualidade rara no homem, quando deveria ser uma forma rotineira de procedimento. Rui Barbosa disse em uma porção de seu discurso, que chegaria o dia em que o homem teria vergonha de ser honesto, o que ocorre hoje sem dúvida, pois onde todos andam torto, que anda direito e tido por torto. (2Co 8: 21)

A desonestidade é a mãe do famoso “jeitinho”, tão comum entre nós, mas presente em menor grau em todo o mundo, ainda que não abertamente. Temos o “jeitico” no Japão, o “jeitov”  na Eslovaquia, o “jeitovski”  na Russia o “jeitaikos” na Grécia, e por aí a fora. De alguma forma todos se ajeitam se houver uma garantia que tudo ficará em sigilo.  (1Pe 3: 11)

A desonestidade tem como característica o levar  vantagem. Uma área da vida onde mais se  evidencia esse  espírito de supremacia é a prática do sexo, onde o mais forte, mais poderoso, mais rico,  ou  mais esperto, vai se aproveitar do que lhe está sujeito. O sexo afora o prazer físico que desperta, tem como componente o  prazer psicológico, o sentimento de posse , onde um ou os dois praticantes levam vantagem de alguma forma, e onde todos podem ganhar a desonestidade deita e rola.  (2Tm 2: 19)

Pense:  “Se Diogenes vivesse ainda hoje,  continuaria com sua  lanterna a mão a procurar por um homem, isto claro, se ela não lhe tivesse sido ainda roubada. Nábulus, pensador cristão.

Cláudio pinto

Read Full Post »

Deus anuncia a Abraão através de dois anjos, que vai destruir a cidade de Sodoma, Ex 19: 13, onde morava seu sobrinho Ló com sua família. Abraão então ora a Deus preocupado com seu sobrinho e intercede pelo povo local clamando pelos justos que ali morasem  diante da misericórdia divina.

Sodoma podia ter muitos tipos de problemas, menos porém,  disfunção erétil ou frigidez sexual, pois o sexo era exacerbado na cidade. Tal era o nível de imoralidade que Abraão ao interceder pelo povo local, negociou com Deus de forma bizarra.

50 x 1 180 blComeçou intercedendo por encontrar lá 50 justos  em Ex 18: 24. Deus concedeu poupar a cidade pelos 50 justos.  Porém Abraão temeroso baixou  para 45 justos apelando por eles a  misericórdia divina no verso 28. Como Deus lhe concedeu o pedido, baixou sua oferta  para 40 justos no verso 29. Deus concorda com os 40 justos, então Abraão reduz  sua oferta agora para 35 justos na cidade isto no verso 30.

Deus aceita poupar a cidade  pelos 30 justos e Abraão temeroso, mais uma vez reduz quantia agora para 20 justos no verso 31. Deus o informa que pelos 20 justos perdoaria a cidade. Então Abraão quase suplicando e temendo a ira divina apela para achar na cidade 10 justos apenas. E Deus ainda  concede perdoar a cidade pelos 10 justos se ali existissem.  Abraão temeroso parou nos 10.

Ao final Abraão achou apenas “1 justo”, Ló. Deus permitiu por amor a Ló, que com ele se levasse sua esposa, duas filhas e genros, porém somente três pessoas o acompanharam, sua esposa e duas filhas. A esposa virou estatua de sal ao olhar para trás, e as filhas incestaram com o pai após o embebedarem,  conforme está em Gn 19: 34. Sodoma era uma cidade de perdidos.

A pergunta é: Se fosse no Brasil hoje, quantos justos haveriam  entre os 190 milhões de habitantes ,  pelos quais você se atreveria  
interceder diante de  Deus por eles?

Pense: “Não existe no mundo um justo sequer, fora Jesus Cristo,  o qual porém, justifica pela sua justiça a todo o pecador  contrito que o recebe”.        Nábulus, pensador cristão

Read Full Post »

40 d Jejum 180 blA Bíblia cita três homens que fizeram longos jejuns, e todos estavam comprometidos com um grande propósito da parte de Deus.

Moisés jejuou por quarenta dias e nem comeu nem bebeu água em preparo para receber os dez mandamentos, Ex 32: 28.  Alertado por Deus, desceu do monte e diante do desequilíbrio do povo lançou as tábuas da lei as quebrando e demonstrando vigor fisico. Após fazer a sua justiça ajudado pelos levitas, subiu novamente ao monte e jejuou por mais quarenta dias e noites sem nada comer nem beber, Dt 9: 9, 11 e 18. Moisés jejuou e não bebeu água por oitenta dias e noites?  Não há citação da quebra do jejum entre os dois períodos, e recebeu novas tábuas com os mesmos mandamentos.

Elias foi alimentado por Deus sabendo que aquela comida seria para quarenta dias até chegar no Monte Sinai, onde chegando, subiu e se escondeu numa caverna, 1Re 19: 8.  No caso de Moisés ele estava tão bem que teve forças para lançar as tábuas e esmiúça-las em pó e após justiçar os infiéis, conforme Ex 32:  Elias jejuando andou por quarenta dias e noites sem se queixar de fome ou sede e teve forças para ainda subir ao Monte e se esconder na caverna, Ex 32: 19.19.

O terceiro homem que jejuou quarenta dias foi Jesus antes de ser tentado pelo Diabo no deserto, em Mt 4: 1 a 11. Só é citado que não comeu, e só foi tentado na fome e não na sede,  MT 4: 2.  Após seu jejum venceu as três tentações a que foi submetido pelo tentador,  e terminou expulsando Satanás de sua presença com autoridade e sendo após servido por anjos. Estava também fisicamente bem.

É interessante notar que quando um jejum é propósito de Deus para o homem, mesmo na fraqueza da carne ele resiste e bem, sem necessitar cuidados especiais antes, durante, e nem após a sua dedicação.

Em nenhum dos casos houve queixas, fraqueza, sequelas, ou necessidade de assistência médica ou plano de recuperação do peso ou da saúde.  Ao final os três tiveram grandes vitórias, Moisés contra o pecado, Elias sendo arrebatado por Deus, e Jesus derrotando o inimigo de Deus, o Diabo.

Cláudio Pinto Pr

Pense: “Quando Deus ordena algo ao homem, Ele também o fortalece e  sustenta para que suporte, antes, durante e depois.  “Nábulus, pensador cristão”

Read Full Post »

Roma antiga 180 blRoma foi a mais poderosa nação de que temos notícia no passado, lendariamente fundada pelos irmãos Rômulo e Remo,  que foram alimentados por uma loba.                                                                                                                                                                                                                                                               Uma cidade estado politicamente forte, que  saiu de seu território na península itálica e  se tornou um império e dominou grande parte de todo mundo existente em sua época, quase toda a Europa, o norte da África,  e parte da Ásia.                                                                                                               Seu poderio  militar era insuperável, seu exército era poderoso, disciplinado e organizado se mostrava  imbatível. Todas as nações tremiam ao se verem diante das forças romanas.

Roma tinha como estratégia não impor seu governo direto aos povos  conquistados, deixava que seus governantes permanecessem, porém sob seu rígido controle. Era comum se ter um governante de Roma  controlando a ocupação militar que exercia.

Esse poder nunca foi destruído pelos seus inimigos, não houve um a nação ou um exército que desafiasse Roma e a subjugasse, ela sempre devastou toda a rebelião.

Como um império tão poderoso como esse acabou?                                                                                                                                                                                                                         É muito importante estudar isso, pois como na interpretação da  profecia de Daniel 2: 42 a 45,  a estatua tinha pés em parte de ferro e em parte de barro, e sabemos que barro e ferro não formam uma liga. Isso significava que de um lado grande era a sua força, simbolizada pelo ferro, por outro lado, era grande a  decadência moral e política, simbolizada pelo barro. Quanto maior for a estrutura de ferro,  maior será a pressão sobre os pés de ferro e barro, e mais rápido ruirá o todo.

Uma nação forte,  mas imoral,  e como uma estatua de ferro com pés de barro, definiu Daniel em sua profecia, ela se auto destrói.

Na Bíblia Deus ensina que a força de uma nação está em seus valores morais e éticos, pois eles são o alicerce de seu poderio militar. “A força externa de uma poderosa nação, pode ser minada por sua imoralidade interna”.

Pense:     Uma nação indestrutível diante de seus inimigos externos, pode ser frágil   diante de um inimigo interno, a imoralidade.                          Nábulus, pensador cristão.

 

 

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: