Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \31\UTC 2012

Após a minha conversão,  conhecedor de que o evangelho é um agente transformador de vida, resolvi examinar  meu passado quitando possíveis dívidas ou pendências  esquecidas..

O propósito era de,  havendo “vítimas”, pagar a todos. Como fui comedido e quase  não pedia   emprestado,  nem  tinha o hábito de explorar  outros, ao fazer  a minha lista,  constatei que devia há uma única pessoa, mas tinha muitos devedores. Sempre achei que era melhor ser credor que devedor, e pagar  que ser beneficiário,  principalmente com pessoas abastadas, pois é  um grande orgulho ser credor de alguém rico podendo dizer: entre nós, ele que é rico é abastado é quem me deve, eu nada devo a ele!

Devia porém,  a uma senhora,  desde jovem, a metade do valor de uma blusa,  pois saindo do emprego  não mais  há vi. Descobri seu endereço e liguei para ela, me propondo a pagar o que ela achasse justo. Como ela se declarou feliz por minha atitude e ligação, após tanto tempo, se negou a cobrar preferindo me elogiar e recordar os  tempos idos.

Argumentei que era crente agora e precisava sanar meu passado diante de Deus. Ela então me disse: Eu sou católica, mas rezo todas as noites, e creio ser o nosso Deus o mesmo ou não é? Se é, fique tranquilo que hoje a noite ao rezar, direi a Deus que perdoei a tua dívida e que Ele  a risque de seu caderninho. Diante dessa grandeza de alma, julguei quitada aquela dívida, pois ela mostrou ter tanta fé quanto eu, ou até mais. Tomei então a minha lista e também declarei perdoados todos os meus devedores conforme está em  Mt 18: 32 e 33 e 6: 14 e 15.

Se tens devedores seja feliz por isso, se conheces um rico pague ainda que seja um “cafezinho” para ele, para que ele saiba que você não é um explorador, mas um amigo, nada devas a ninguém a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros, conforme está em Rm 13: 8. Melhor coisa e dar que receber,  ser credor que devedor, At  20: 35.

Cláudio Pinto Pr

*Pense:  “Acerte agora o seu passado com os homens,  e estará acertando  também o  seu futuro com Deus.

Nábulus, pensador cristão.

Read Full Post »

CANDIDATOS EM OCULTO

Como em toda sociedade, em qualquer país do mundo sempre existirão grupos com as mais diversas tendências, fazendo isso parte da diversidade de opinião, e cada qual responderá por seus excessos. Uma lei elitista só se justifica no caso de existir uma maioria declarada e intolerante em suas posições, fora disso o que se deve é instruir e educar a que se conviva com a diversidade pacificamente.

De repente se entendeu que a descriminação era o grande problema nacional, e se partiu para leis de proteção de direitos.

Se fazemos leis defendendo o direito de cada cidadão revelar tendências e as   praticar livremente, porque no caso de candidatos a cargos públicos essas tendências e escolhas pessoais devem ficar ocultas? Porque ao eleitor é vedado o direito de saber quais são as tendências e práticas de vida pessoal, daquele que se apresenta pedindo seu voto  para o representar?

Num regime de voto obrigatório, como se votar conscientemente se o candidato não é transparente? Porque temos que votar primeiro para descobrir depois, quais são os valores morais e éticos do eleito. O que é mais grave,  revelar tendências ocultas do candidato, ou induzir por ocultação o eleitor ao erro?

Como é possível, sendo o voto obrigatório, que o eleitor possa votar em alguém, que no poder agirá contra aquilo que ele  esperava?  Se ele vai representar o eleitor na câmara, congresso, assembleia, governo, este deve ter o direito de saber tudo o que ele pensa, faz e cultua, mesmo na intimidade. Ele optou por ser  candidato a cargo público, tendo portanto, vida também pública.

Esse é um antagonismo impar, punir quem supostamente descrimina, e proteger quem claramente se auto recrimina, lhe dando o direito de permanecer em oculto.

Isso pode parecer politicamente correto, mas é no mínimo desleal. Lc 12: 3.

 

Pense: Existem candidatos que não são eleitos por seus próprios méritos, mas antes pelo índice de rejeição do adversário.           Nábulus, pensador cristão.

Cláudio Pinto

 

Read Full Post »

Um dia, quando era menino, fiquei muito aborrecido me julgando alguém sem nenhuma importância, e saí para o quintal para me isolar do mundo. Não sei o que ocorreu ali, mas voltei bem consolado e conformado.

Passado muitos anos, convertido, novo na fé, e  lendo a Bíblia no texto de Mateus  onde Jesus dizia a mulher sírio-fenícia que “mesmo os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa”, fiquei arrepiado. Jesus  há havia chamado de cachorrinho! Não entendi bem esse tratamento com ela. Mt 15: 27, Mc 7:28

Porém Jesus falou comigo trazendo a memória aquele dia onde eu chateado fui ao quintal me lamuriar da vida. No mesmo instante que me recordei desse acontecimento, vi em minha mente, como uma fotografia, o ocorrido naquele dia e que me confortou. No quintal eu havia visto um homem de branco, que em pé, acariciava um cachorro  branco, grande e peludo, a sua frente,  enquanto olhava firmemente para mim como no desenho acima.

Pensei então: até os cachorros tem quem se importa com eles, e isto me consolou. Espantoso, está recordação ficara no esquecimento até então.

Jesus após falou em minha mente: você está chocado por eu ter tratado a mulher como cachorrinho? Saiba então que aquele cachorro a quem eu acariciava naquele dia, era você. Descobri após, que o termo cachorrinho no hebraico, era um trato carinhoso significando; “animal de estimação”.

Também entendi que isto era uma honra para mim, ser o cachorro de Deus, em que melhor casa e que melhor dono, eu poderia ter?

Só me resta saber efetuar o meu papel de: ser fiel, bom guarda da casa, bom sentinela, amigo, e saber como agradar a meu Senhor.

Buscarei fielmente fazer a minha parte, no restante, Jesus o meu dono, cuidará de mim. Hb 3: 2 a 5

Cláudio Pinto Pr

Pense: “Sabe por que Deus te fez pequeno? Foi para poder te usar, pois se te fizesse grande, talvez você o quereria usar.”

Nábulus, pensador cristão

Read Full Post »

Devido ao narrado por Is 61: 1 que diz: “O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos”; muitas igrejas até mantém ministérios  para a  evangelização de  presos. Não que isso seja incorreto, mas não é a isto que o profeta Isaias se refere nessa citação. Veja que em Lc 4: 18, na transcrição do mesmo texto, o termo “presos”  é substituído por “oprimidos”, que tanto podem ser os encarcerados da justiça, como qualquer homem tido como livre.

Todo pecador precisa de salvação, desde o mais puro até o maior delinquente, e os que estão presos só podem ser alcançados se forem evangelizados no cárcere. Porém não havia um cuidado especial com os encarcerados pela  justiça no anúncio do evangelho, como muitos veem em Is 61: 1, são eles tão pecadores como os demais soltos e todos precisam de salvação, o condenado e o livre. Jesus não tinha um cuidado especial com os presidiários.

Prova disso é que nem mesmo a seu primo João batista, encarcerado por um ardil de Herodias como vingança, Ele foi visitar no cárcere, o que seria até normal. Quando João, estando preso,  lhe enviou dois discípulos a perguntar:  ”Es tu aquele que havia de vir ou esperamos outro” em  Mt 11: 3, não o visitou no cárcere,  somente lhe respondeu mostrando a seus enviados a obra que fazia e crendo que por ela ele, João,  entenderia a resposta.

Na verdade todos os homens até Jesus eram cativos e presos, mesmo que não tivessem consciência disso, isso devido ao pecado original, Ate mesmo os reis e príncipes, já os presidiários acrescentaram a este estado oprimido, o estarem encarcerados devido a seus crimes ou a suas ações insensatas.

Jesus libertou a todos, os do cativeiro e os  da prisão, mas nem todos tem consciência disso e não o recebem como Salvador, continuando  presos no mesmo estado anterior.

Cláudio Pinto Pr


Pense:   “A luz do Sol toca na lama sem se contaminar por ela, e ilumina a podridão sem perder a sua pureza.                                      Nábulus, pensador cristão

 

Read Full Post »

Há pouco, Encerramos uma série de publicações sobre o anticristo e sua obra nefasta entre os homens, o assunto é difícil e poucos se arriscam a abordá-lo, muitos o colocam no passado, como um evento já ocorrido nos tempos de Roma, e muitos o têm apenas como  figura espiritual para os tempos da graça e não uma realidade a ser ainda efetivada.

Alias,  há igrejas que duvidam do próprio livro do apocalipse, de quem seja o seu autor, e até as que já o retiraram de seu cânone na graça alegando que houve muitas controvérsias para que fosse incluído.  As chamadas “igrejas emergentes”  pensam assim.

Outros há que recomendam não se citar nada sobre esse livro, por ser de difícil interpretação. Na verdade,  a Bíblia ou o novo testamento sem o livro do Apocalipse é semelhante a uma bolsa sem fecho, ou uma sacola sem zíper, ou seja, não fecha. O encerramento da história da igreja que começa em Atos e para bruscamente no capítulo 28:31, se encerra nas sete cartas as sete igrejas onde todo o restante da história é contado por Jesus sob a advertência constante do:  “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas”

Se colocamos dúvidas sob a autenticidade do livro do apocalipse como também a de seu autor, como daremos ouvidos ao que nele diz o Espírito? É devido a isso que hoje a apostasia entrou com tudo pelas portas da igreja e está se instalando nela sendo aceita sem questionamentos, pois se não ouvimos o Espírito da verdade damos ocasião ao espírito do erro de se manifestar entre nós conforme  1Jo 4: 6.  E nestas questões ninguém consegue estar em cima do muro.

Não pretendemos encerrar o assunto, mas nossa intenção é de provocar o interesse por tais coisas, pois se parecem difíceis, pelo Espírito podemos penetrar qualquer coisa até mesmo as profundezas de Deus, como diz 1Co 2: 10, e para isso que temos a mente de Cristo 2Co 2: 16.

Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas.

Cláudio Pinto Pr

*Pense: Crer é poder, se eu não creio que possa ser santo, ser santo torna-se  secundário, o que eu preciso  primeiro é aprender a crer.

Nábulus, pensador cristão

 

Read Full Post »

Já vi inúmeras pregações citando que: dos dez leprosos um só voltou para agradecer a Jesus.

Ora se um só leproso voltou ele não tem o que agradecer,  pois continua leproso! O que deve ser deixado claro e que só um  “ex leproso”  voltou para agradecer a Jesus por sua cura, enquanto os outros nove também ex leprosos não voltaram. Parece pegadinha de vestibular,  mas não é, pois ao dizermos que só um leproso voltou estamos com a nossa boca negando o milagre feito por Jesus.  O que voltou foi curado e salvo porque deu glória a Deus.

Já fui até ofendido por dizer isso, mas sou adepto do cuidado no falar, para não sair dizendo como ouço repetidamente , que Paulo  caiu do cavalo no caminho de Damasco,  At 9: 4, que Elias foi arrebatado numa carruagem de fogo,  2Re 2: 1 e 11, que Dalila cortou ao cabelos de Sansão, Jz 16: 19, que Davi matou Golias somente com uma pedra,  1Sm 17: 50 e 51, que o pecado original é a desobediência, Gn 3: 17, e aí a salvação seria pela obediência mas não é como  esta em Ef 2: 8, entre outras coisas que se fala mais não são.

Parece que os ouvintes e leitores,  se irritam com a verdade, mas se agradam do engano.  É por isso a apostasia está rolando solta e fagueira hoje nas igrejas. 2Ts 2: 3,   Jesus disse: um pouco de fermento leveda toda a massa, Gl 5: 9, também disse, que muitos coam o mosquito e engolem o camelo, Mt 23: 24. Não entram nem  deixam os que estão entrando entrarem, Mt 23: 13. Assim, uma gota de veneno de cobra entoxica todo o organismo, e o mata, e uma só gota de esgoto contamina um copo inteiro de água pura.

O que fazemos é chamar a atenção para os pequenos erros, pois os grandes todos veem, e não são as grandes pedras que ferem os teus pés na caminhada,  por que você as vê e se desvia delas, mas as pequeninas as quais você não dá importância é que te sangram os dedos.

A desobediência abriu nossos olhos para o pecado, é ora de abrimos os olhos para a verdade.

Cláudio Pinto Pr.

Pense:  “Se as consequências viessem antes, até o estulto seria um sábio”.                         Nábulus pensador cristão.

Read Full Post »

Elias foi o primeiro dos profetas.  Foi muito usado por Deus em sua vida, foi fiel, e lutou contra a idolatria e o pecado que o rodeava de forma incansável, nunca se atemorizou diante do rei Acabe, nem de sua companheira, Jesabel.

Um dia, tendo  derrotado os profetas de Baal, sentiu-se sozinho, ameaçado, e desgostoso,  entrou numa caverna no monte de Horebe,  buscando esconder-se da presença do Senhor,  1Re 19: 10. Encontrado, teve o seu ministério dado como cumprido  e recebeu  a difícil incumbência de procurar a Eliseu filho de Safate, para  prepará-lo para que ele tomasse o seu lugar em seu ministério,  1Re 19: 16. Ele teria a missão de deixar o seu sucessor.

Elias o fez  e achando a Eliseu o convocou a obra conforme, 1Re 19: 19 e 20. Deus tinha,  porém um plano onde Elias seria honrado por Ele, pois não passaria pela morte, e seria arrebatado conforme fora  avisado, 1 Re 2: 10, e muitos também o sabiam 1Re 2: 3 e 5.

Elias seria arrebatado ao céu  por um  “redemoinho”   conforme informa 1Re 2: 1.

Perguntou a Eliseu o que este desejava dele, “uma porção dobrada de teu espírito sobre mim” respondeu Eliseu. Elias arrematou: “Cousa dura pediste, se me vires quando for tomado de  ti, assim se te fará”, 2Re 2: 10. Elias considerava sua missão espinhosa.

Eliseu não o largava por nada esperando o momento de sua subida.  Então, um “carro de fogo, com cavalos de fogo” os separou um do outro, isto é o que diz o texto literalmente.

Em seguida após serem “separados” um do outro,  pelo “carro de fogo com cavalos de fogo”, Elias foi arrebatado ao céu num  “redemoinho”  como estava predito  em. 2Re 2: 1 e 11.

Portanto, Elias foi arrebatado ao céu sem ver a morte, de forma digna, honrada e maravilhosa, elevado por um “redemoinho” e isto na presença de seu discípulo e sucessor Eliseu.

Cláudio Pinto

Pense:  A recompensa não deve ser nosso objetivo, antes dever ser o prêmio pelo objetivo já alcançado.                            Nábuluz, pensador cristão

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: