Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \29\UTC 2012

Deus oferece a salvação e a vida eterna, de graça a nós, através do sacrifício de  seu único Filho, Jesus Cristo. Deixa a nosso critério e liberdade escolhermos onde queremos passar a eternidade, se com Ele no céu, ou na perdição eterna do lago que arde em fogo e enxofre conforme está em Mt 25: 41 e Ap 20: 10 e 21: 15. A escolha é livre e nossa.

Jesus além de deixar a glória celeste em que vivia,  para nascer no meio de um mundo caído e entre pecadores como nós, ainda viveu e morreu por nós, na cruz do calvário. Amou a sua missão de morrer pelos pecadores para os salvar aceitando para isso deixar de ser Deus e se fazer homem conforme Fp 2: 5 a 10, e como servo, se humilhou até a morte de cruz.

Não bastando, ainda s nos oferece compartilhar tudo o que tem como: , comer da árvore da vida, Ap 2: 7, a coroa da vida, Ap 2: 10, ser livre da segunda morte, Ap 2: 11, o maná escondido e um novo nome, Ap 2: 17, ter  poder sobre as nações e regê-las com vara de ferro,  Ap 2: 26, receber a estrela da manhã de Ap 2: 28, as vestes brancas e a confissão do nome diante do Pai, Ap 3: 5, será livrado da tentação que vira sobre toda a terra, Ap 3: 10, será coluna do templo de Deus, terá sobre si o nome de Deus, e da nova  Jerusalém, e o novo nome de Jesus conforme  Ap 3: 12, e por fim o assentar-se com Ele em seu trono Ap 3: 21. Só pede que como Ele venceu,  vençamos ao mundo e suas concupiscências,  Jo 16: 33, 1Jo 2: 16.

Ainda promete mais: sermos reis e sacerdotes Ap 1: 6, reinarmos com ele por mil anos  Ap 20: 6,  a transformação em vida de 2Co 3: 18, a glória revelada de Rm 8: 18,  a transformação viva  em glória ou na ressurreição de 1Co 15: 51 a 54, e 1Ts 4: 13 a 18, a manifestação em glória em sua vinda de  Cl 3: 4,  o corpo glorioso de Fp 3: 21, ser a sua semelhança eterna conforme está em 1Jo 3: 2, habitar a cidade celestial de Ap 21: 3 com Deus e o Cordeiro, reinando para todo o sempre Ap 22 5.

É possível acreditar que alguém raciocinando recuse tal graça?

Frase do blog – “Não troque a glória eterna no céu, pela busca eterna das glórias efêmeras e ilusórias deste mundo”.                          Nábulus, pensador cristão  

 

Cláudio Pinto Pr

Anúncios

Read Full Post »

João disse já nos tempos em que vivia: “E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus;  mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouviste que há de vir, e eis que está já no mundo”, 1Jo 4: 3.

Existem segundo João apóstolo dois espíritos no mundo, o da verdade e o do erro, “Nos somos de Deus; Aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro”, 1Jo 4: 6.

Confessamos que Jesus veio em carne, não somente com nossa boca, conforme Rm 10: 9 e 10, mas também com nossa vida, pois sendo de Deus ouvimos a sua voz, e assim não andamos segundo a carne, mas andamos segundo o espírito, Rm 8: 1 e 2, dando  testemunho de que Jesus vive em nós, pois buscamos imitá-lo pois fazemos parte de seu santo   corpo que é a igreja  presente hoje na terra. Assim confessamos que Jesus veio na carne com nossos corpos e confessamos a Jesus ressurreto com nossa boca e espírito.

A advertência que está em 1Jo 2: 18 e muito séria ao dizer: “Filhinhos é já a última hora: e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se tem feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora, ele se refere a pessoas entre nós na igreja. Após diz: Saíram de nós, mas não eram de nós; porque se fossem de nós, ficariam conosco: mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós”, 1Jo 2: 19.

Temos que discernir qual é o espírito da verdade e qual é o espírito do anticristo e do erro entre nós, está e a advertência de João para tempos de plena apostasia, já prevista por ele.

Frase do blog – “Não seja como a mariposa que atraída pelas luzes deste mundo,  tanto a rodeia, que acaba queimada por elas”            Nábulus, pensador cristão. 

 

      

Cláudio Pinto 

Read Full Post »

Em 2Ts 2: 12 está  escrito: “Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade”.  E os que creram a verdade?

Fica claro aqui que teremos dois julgamentos distintos; o dos crentes e o dos descrentes.

O julgamento dos  crentes, onde só serão julgadas as obras dos salvos como está em 1Co 3: 12 a 15, e não as pessoas, por serem  já salvos por Jesus,  o tendo  como seu advogado, 1Jo 2: 1 e 2. Se Jesus é o Salvador dos crentes é seu advogado,  claro está que no seu tribunal não haverá acusação contra os crentes que andam segundo o espírito e não segundo a carne, conforme  declarado em Rm 8: 1 e 2.  Jesus o juiz,  será também o justificador dos salvos.

O tribunal de Cristo onde os salvos comparecerão para terem as suas obras julgadas e no qual receberão o seu galardão,  está citado em Rm 14: 10 a 12 e 2Co 5: 10. Nele não haverá condenação,  pois todos receberam a  Jesus Cristo como seu Salvador pessoal e juiz.  Jo 5: 22

Estes são os que creram em fé da verdade, e viveram em santificação de Espírito. 2Ts 2: 13

O segundo julgamento se refere aqueles que não creram a verdade e não receberam a Jesus como seu Salvador pessoal, nem aceitaram o seu sacrifício vicário e  sua palavra em suas vidas e agora serão julgados conforme a lei que tem no seu coração de Rm 2: 12. Quem não aceitou a graça de Cristo continua a viver sob a lei do pecado e da morte conforme  Rm 8: 2.

Este julgamento ocorrerá após o milênio de Cristo, mil anos depois da primeira ressurreição dos salvos, e acontecerá diante do tribunal do grande trono branco de Ap 20: 11 a 15, também chamado de juízo final, nome temido e abominado pelos pecadores que aceitam qualquer doutrina, desde  que o negue, tal seu receio de responder por suas obras diante dele.

Este juízo  só contempla a condenação e encaminha para a segunda morte, Ap 21: 8. Hoje é o dia de escolhermos o nosso destino  eterno, a vida eterna ou a morte eterna sem Deus.

Cláudio Pinto Pr

Frase do blog –  “Aquele que passou a vida toda fazendo injustiça, tem o direito  adquirido, de também passar a eternidade nela”.

Nábulus, pensador cristão.

Read Full Post »

O tempo da mentira

Deus é absolutamente justo, e respeita a vontade e a liberdade de cada um. Até o seres que Ele criou tem a liberdade, de sendo criados por Ele, dizerem que Ele não existe!

Deus é absolutamente livre e quer que suas criaturas sejam absolutamente livres. Deu-lhes a capacidade de arbítrio e liberdade de, arbitrando escolher livremente o que quiserem , seja serem seus filhos recebendo a Jesus, serem religiosos  seguindo sua tendências, ou serem até  mesmo ateus, negando a existência de um Criador.

Deus se limita a si mesmo ao declarar na Bíblia que: não pode mentir, não pode voltar atrás, não pode pecar, não pode contemplar o mal, etc. , mas dá total liberdade aos seres criados de fazerem todas essas coisas, claro que os conscientizando pela sua palavra, a Bíblia, que responderam por todas as consequências de suas atitudes.  Gl 6: 7.

Por isso diz em 2Ts 2: 11, “ E por isso Deus lhe enviará a operação do erro, para que creiam a mentira”. Ora aos que com toda a liberdade de arbítrio escolheram amar a mentira nada mais justo que tenham a oportunidade de viver num regime onde impera a mentira, para que possam experimentar e comparar o que é melhor, a mentira ou a verdade.  Assim, Deus ofereceu a verdade a todos, e os que a aceitaram, viverão nela eternamente. 2Ts 2: 13.

Volto a dizer: Deus é absolutamente justo e não destinaria o céu para alguém que passou a vida terrena se preparando para estar no inferno, isso seria para o tal um castigo tremendo, pois estaria eternamente  num ambiente estranho, e entre estranhos  de  estranhos costumes.  Por isso cada um tem o destino que escolheu e para o qual se preparou em vida.

Se alguém for à perdição como Judas, só ira por ter escolhido este caminho em vida. Ap 19: 20.

Cláudio Pinto

Frase do post:  “O que é a verdade? É aquela que em meio a todas as mentiras permanece imutavelmente sendo a verdade”.

Nábulus, pensador cristão

 

io Pinto

 

Read Full Post »

Um dia foi perguntado a Jesus, o que era a verdade? Ele nada respondeu, pois quem lhe perguntou, foi Pilatos, que estava diante da verdade e não cria nela, antes optou por “lavar as mãos”, a entender ou crer.

E se a pergunta for hoje o que é a mentira?  Arrisco responder que, é tudo o que não permanece imutável.  Por ser absoluta, a verdade é imutável, já  a mentira é em geral, mutante, a verdade é solida a mentira é volátil, se espalha.

Jesus disse que o diabo é mentiroso e o pai da mentira, em Jo 8: 44. Sendo ele o pai, então  tem filhos que como ele são também  mentirosos?

E o filho direto dele na Bíblia se chama anticristo, conforme Ap 13: 3 a 6. Tal pai, tal filho, ele deve ser tão mentiroso como  o seu genitor. 2Ts 2: 9 e 10, informa que:  “A sua vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios e mentiras, e com todo o engano da injustiça para os que perecem  porque não receberam o amor da verdade para se salvarem”.

Não receberam o amor da verdade, por não terem recebido a verdade que  é Cristo. Portanto não são vitimas desprezadas por Deus, antes são  rebeldes a Jesus e a sua palavra. A Bíblia é a verdade e está aberta e disponível a todos.

Deus não envia ninguém para a perdição, as pessoas é que escolhem seu destino, Deus não envia ninguém para o inferno, pois ele foi criado não para homens, mas para Satanás e seus anjos conforme está em Mt 25: 41. Os homens se associam ao maligno e se candidatam livre e espontaneamente a ir com ele para lá, e assim acontece conforme Ap 19: 20 e 20: 10. Deus é perdão, salvação e verdade.

Optar entre a verdade e a mentira é uma escolha e decisão livre de cada um.

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

Embora o apóstolo Paulo no novo testamento, alerte e fale muito a respeito do anticristo e  dos cuidados que o crente deve ter para não ficar para trás caindo  assim  nos tempos do  engodo de sua obra nefasta, não se detém muito nele nem em seu perfil. Na verdade sua pregação é muito mais no sentido de prevenir contra ele do que o de revelar ou ressaltar a sua obra e ações malignas.

Não devemos orar contra a vinda do anticristo, pois o que tem que vir virá, como em Ap 17: 8, mas sim orar para sermos todos livres desses tempos terríveis de tribulação, tempos como nunca houve e nem mais haverá, conforme  Mt 24: 21.

Em 2Ts 2:8,  nem bem ele anuncia o assolador, já passa a falar de sua destruição, ressaltando muito mais a glória de Jesus em sua vinda ao derrotar o terrível inimigo pelo assopro de sua boca, ou seja, com sua palavra que é uma aguda espada conforme Ap 19: 15a, e como já sucedeu na história em 2Cr 20:15 e 23, 24.

Jesus não lutará fisicamente contra seu adversário, contra ele usará o poder de sua palavra do qual foi investido conforme declara em Mt 28:18, e isto, tanto no céu como na terra. Jesus traz a espada em sua boca e com ela é que luta e vence a todos os seus inimigos no Armagedom, incluindo a besta e o falso profeta.

Jesus é vida, portanto, não os matará, como não matará a ninguém, mas os confundira de tal forma que se aniquilaram uns aos outros. Ficando o falso profeta e o anticristo, Jesus os lançará vivos no seu destino final, o lago que arde em fogo e enxofre eternamente conforme está em  Ap 19: 20 e 20: 10.

O anticristo, sendo homem, estará no inferno mil anos antes que o próprio diabo.

 

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

Na Bíblia encontramos diversos nomes que se referem ao mesmo personagem, todos eles terríveis, pressagiando tempos difíceis para os homens e o mundo.

Em Dn 7: 24, ele é chamado de “ponta”, que guerreia, fala blasfêmias e derrota os santos do Altíssimo, e que cuidará mudar os tempos e a lei, isto por três anos e meio, ou seja, um tempo,1 ano, dois tempos, 2 anos,  e metade de um tempo, meio ano ou 6 meses. Esse será seu tempo até que seja revelado. Dn 7: 26.

Em Dn 8: 9, essa ponta é chamada de “ponta mui pequena”, e até o verso 14 é relatada a sua imensa obra maligna. Em Dn 8:23, ele é chamado de rei “feroz de cara”, ou  em outras versões de homem de, “feroz catadura”.

Em Dn 9: 26 ele é o “príncipe que há de vir”, e no verso 27 é tratado como o “assolador”. Já em Dn 12: 11,  ele é chamado de “abominação desoladora”.

Em Mt 24: 15, Jesus se refere a ele como sendo “A abominação desoladora” que se assenta no lugar santo, servindo de alerta para os tempos do fim.

No livro do Apocalipse ele e tratado com sendo “a besta”, a que subiu do mar, de Ap 13: 1 a 10, um líder político, a qual será exaltada pela “besta” que subiu da terra, o falso profeta, um líder religioso, narrado em Ap 13: 11 a 18.

O fim deles, tanto da primeira besta como de seu falso profeta,  está em Ap 19: 20 onde Jesus em sua vinda gloriosa no Armagedom de Ap 19: 11 a 14, os derrota e os lança vivos no ardente lago de fogo e enxofre com todos os seus nomes.

Eram todos nomes de alerta de espíritos enganadores agindo sobre a terra.

Cláudio Pinto Pr

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: