Feeds:
Posts
Comentários

Para rir ou chorar?

Todos sabemos ser a Grécia é o berço da cultura ocidental, pois quando Roma a conquistou ficou cativada pelo seu tremendo cabedal cultural, seus costumes e tradições e até pela sua rica mitologia, a qual de pronto assimilou e replicou no panteão dos deuses romanos.

Os gregos dedicavam grande parte de seu tempo, para apreciar e discutir qualquer novidade o que ficou registrado na Bíblia, quando o apóstolo Paulo, um homem letrado, vendo a idolatria da cidade de Atenas, pregava a Jesus na sinagogas e nas praças da cidade. Encontrado ali por alguns filósofos epi cureus e estoicos, foi por eles conduzido ao areópago, para que lhes desse a conhecer essa nova doutrina que pregava. Paulo, observando seus deuses, e vendo que tinham um altar no qual estava escrito “Ao Deus desconhecido”, At 17: 23, decidiu usar de um artifício para os atrair e lhes pregar a salvação, a qual ouviram, até ele citar a ressurreição de Cristo, At 17: 31, alguns escarneceram e outros lhe disseram que se deixasse esse assunto para uma outra oportunidade, At 17: 32. Os sábios consideraram a Paulo como um tolo.

Isto só confirmou que o evangelho ´foge ao entendimento dos sábios e entendidos, dos ricos e poderosos, mas e facilmente assimilado pelos pobres e humildes de coração. O curioso e que a cultura grega era essencialmente “machista”, pois cultuavam “o belo”, ou seja , o masculino, e desprezavam o feminino como inferior. Prova disso são as esculturas gregas enaltecendo os homens. Sócrates , o mais famoso pensador grego, foi quem criou o primeiro conceito de família, onde o Estado deveria ser o responsável pela reprodução, adoção, educação e criação dos filhos, o que hoje é reapresentado como uma “novidade pelos chamados progressistas”. Os gregos viam as mulheres como indispensáveis para a reprodução, porém, desprezíveis e inferiores intelectualmente e inaptas para qualquer inteiração intelectual com os homens.

E contraditório que os que hoje combatem ao machismo, e lutam pela chamada igualdade, e o empoderamento feminino, adotem a doutrina de família dos gregos, que tinham a mulher apenas como útil a reprodução, isso quando tida por apta para tal função, apenas hoje com uma nova roupagem e pior, confeccionada por uma mulher. Ao adotar a ideologia de gênero similar a que Sócrates queria implantar na Grécia antiga, confirma o também “velho ditado”: “o tempo é o senhor da verdade”, e só o tempo vai dar a resposta a práticas que vem desde os primórdios da humanidade, e que rejeitadas e reprovadas no passado como impróprias, retornem sempre a pauta, em nova embalagem e como se fossem grandes novidades, como apreciavam os pensadores gregos. Isto é para rir ou chorar? digo, é para orar, a Deus.

cláudio pinto pr

Pense: “A família e o único laço suficientemente forte para deter o homem, sem a família, e só uma questão de tempo para não haver também mais homens”. Nábulus, pensador cristão

Anúncios

Os PHD´s - V bl

Confesso que sempre tive muita admiração por homens que estudam a ponto de ostentarem algum título, ainda mais o da nobreza de um “PhD”, apresentado ao lado de sua figura na tela. E sem dúvida uma aura de excelência. Porém, essa admiração as vezes é abalada quando assisto uma série na teve fechada, onde quase todos os participantes do programa ostentam esse pomposo título em suas respectivas áreas, devido a alguns de seus depoimentos.

Percebi que no tocante ao extremo conhecimento humano são irrepreensíveis, porém sendo confrontados com o conhecimento das coisas espirituais falham inexplicavelmente. Me veio então a mente o texto de 1Corintios 1: 19 e 20, onde se lê: “ destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? onde está o escriba? onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?”. Deus considera como loucura a sabedoria deste mundo, por impedir que seu detentor possa entender as coisas mais simples e singelas desta vida como as expressadas no texto bíblico, pois estas se discernirem espiritualmente e não pelo intelecto humano.

Como exemplo e sem citar nomes, houve uma caso em que um dos Ph.D´s, leu o seguinte texto bíblico: “Mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. E após ler este texto tão simples e claro, com um ar misto de extrema sabedoria e irônica suspeita perguntou: “Porque Deus não queria que o homem adquirisse o conhecimento?” ora, a resposta estava absolutamente clara no texto lido, era porque isto lhe traria a morte, a qual Deus não queria que o atingisse e o que acabou por acontecer conforme Gn 3: 6 e Rm 5: 12. Deus sabia que tal conhecimento do mal só poderia acrescentar ao homem uma coisa: a morte. Por isso não queria que o homem dela comesse. Na minha simplicidade lembrei que, a Bíblia não se lê só com a mente, mas também com o Espírito, não é um livro de fábulas, mas é a palavra de Deus dada aos homens.

Outra pergunta bizarra foi a feita após ler o texto de Gn 2: 9 que diz: “E o Senhor Deus fez brotar da terra toda árvore agradável a vista, e boa para comida: e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore da ciência do bem e do mal”. E com sarcasmo pergunta: Porque Deus não queria que o homem comesse da árvore da ciência do bem e do mal? na pergunta embutida a mesma suspeita revelada pela serpente, em Gn 3: 4 e 5, de que Deus não queria que o homem se tornasse sábio como Ele ao conhecer o bem e o mal. Ora, Deus permitia que se comesse de todas ás árvores, que eram muitas, e todas boas para ver e se comer, e benéficas , só vetava uma árvore por ser nociva ao homem. A pergunta deveria ser: “porque diante de tantas , boas e frutíferas árvores dadas por Deus para que delas comesse, o homem queria comer somente da única que lhe era vetada por Deus, e isto por lhe ser advertidamente maligna?

A questão deveria ser: “Se não se podia comer dela porque estava no jardim?” Era para que Deus pudesse provar a obediência do ser que criara quando esse fosse tentado a desobedecê-lo. Além do mais, o bem o homem já possuía, foi criado muito bom, veja Gn 1: 31, e comendo da tal árvore, só adquiriria o mal que o degeneraria e Deus não queria isso. Na verdade, outra vez a bondade de Deus e vista pelo descrente como sendo maldade, provando que, só com a mente espiritual, se entende as coisas do Espírito, conforme diz 1Co 2: 15. Coisas espirituais só se discernem espiritualmente. A letra mata e o Espírito vivifica 2Co 3: 6b.

É intrigante, e creio que porque estas se discernem espiritualmente e não intelectualmente e que estas coisas ocorrem, conforme diz 1Co 2: 13 e 14. Para se entender a Bíblia é preciso ter além de sabedoria que discerne os fatos históricos, também ter a mente de Cristo, citada em de 1Co 2: 16b, a qual todo o convertido a Cristo, mesmo o inculto, pela graça tem. Ocorre ainda, a citação de textos da tradição judaica como sendo parte do cânone bíblico.

Quanto a mim que apenas faço parte das coisas loucas, fracas, vis e desprezíveis deste mundo conforme está em 1Co 2: 27 a 29, e como PhD não passo de um “pequeno homem de Deus”, creio que a sabedoria consiste em sabermos mensurar onde está o limite para se exercitar com zelo a sabedoria, sem nos expormos naquilo que, talvez não saibamos com exelencia. cláudio pinto pr

Pense: “O limite entre a extrema sabedoria e a insanidade e tênue, e bem menor do que a nossa inteligência possa supor” Nábulus, pensador cristão

AD 2 a B e as Mitols

Estão registradas em todas as civilizações antigas as suas mitologias e tradições. Todas foram escritas por aqueles que as presenciavam e as narravam conforme o seu entendimento e suas interpretações. Se acreditassem que o que viam era ação de deuses dotados de superpoderes ou poderes mágicos, assim o transmitiam. Não me consta que esses deuses pedissem que as suas ações e palavras fossem escritas para a posteridade, embora não o impedissem e talvez até gostassem, porém o registrar fatos parece uma tarefa própria do observador, que o fez como entendeu e da forma que pode.

Viam sempre há muitos deuses, que estavam envolvidos em rixas e porfias e ocupados em continuas escaramuças entre si pelo poder, honra e busca da supremacia. Nestas lutas e contendas é onde vemos o seu alto poder destrutivo, fato que deixava abismados os seus observadores. Dizem que usavam alta tecnologia a qual não entendida pelos primitivos, era tida como uma ação poderosa de deuses. Em todos os relatos fica claro serem os visitantes, violentos e destrutivos, e sem nenhum interesse maior em instruir os povos visitados, que por isso nunca entenderam o que presenciavam. Foram tempos de muita e farta exibição e hostilidade e de muito pouca instrução aos que dela tanto necessitavam.

Todos os ensinamentos são mera presunção, sem nenhum teor ou fundamento mais solido. Ou então os primitivos eram tão maus alunos que nada aprendiam sobre o que lhes era ensinado, como erguer pirâmides, cortar pedras com precisão, erguer monólitos de toneladas, talvez até por levitação, criar potentes máquinas voadoras, etc. Só o que aprenderam e nos transmitiram desses contatos, foi a arte de guerrear e de destruir os adversários, nisso eles foram ótimos mestres e os povos primitivos excelentes alunos, sem nenhuma dúvida. Será esse o motivo de sermos sempre povos e raças, guerreiras?

Apesar dos pesares, se dá todo crédito a todos esses escritos e resíduos do passado e se especula muito e se gasta tempo, tentando a todo custo desvendar aquilo que não nos foi revelado de forma clara e deliberadamente. Atribuir as nossas descobertas e o desenvolvimento tecnológico a que já chegamos a influências alienígenas, e mostrar realmente o descrédito que temos por nós mesmos não crendo que podemos ter mentes brilhantes , capazes, competentes e até geniais entre nós, o que é muito mal.

Embora se dê crédito a todas as mitologias , os sábios deste mundo não dão muito crédito a um livro, talvez pelo autor se revelar com todas as letras como sendo o Deus Criador e instruir os que o leem a respeito do bem e do mal, e como proceder para serem salvos de toda essas influências malignas das potestades do ar de Ef 2: 2, que na verdade muito nos usaram e nunca em nada nos ajudaram.

O Deus Criador criou o homem a partir de Adão, a sua imagem e semelhança e não esconde isso de ninguém, Gn 1: 26 a 28, e 2: 7, e revela que invasores do jardim trabalharam para derrubar o homem para que ele não fosse o auxiliar do Criador, tomando o lugar dos que antes o ocupavam e de lá antes caíram. Esses invasores embotaram a mente humana ao lhe embutir o conhecimento do mal, para os afastar de Deus e frustrarem o propósito divino de ter o homem como seu auxiliar em substituição a eles.

São realmente extraterrestres e muito mais antigos que o homem Adão, criado a próximos seis mil anos. O homem caiu e isso ocasionou mais de cindo mil anos de atraso, o qual Deus o está restituindo, pois não desistiu do homem e irá o restituir no futuro, a imagem inicial em Jesus Cristo o salvador do mundo Jo 4: 42. Deus veio para retirar o mal da criação e reintegrar o homem no bem, e redimido ser o seu auxiliar eternamente em Cristo Jesus. E isto é o que a Bíblia anuncia e que contemplará todos os que nela creem e a Jesus receberem, conforme está em Ap 21: 3.

Adão é o primeiro humano e o único antropoide criado a imagem e semelhança de seu Criador, o Deus bíblico, e seu nome deu origem a humanidade da qual é o ancestral único e isto faz toda a diferença . Os demais antropoides como ele, existem, mas não tem a imagem e semelhança de Deus o Criador. Quanto aos acontecimentos remotos em nada poderão alterar o futuro já declarado por Deus para os que creem e o recebem. O que irá acontecer independente do que ficou para trás, pois está é a palavra que moverá o futuro independente dos que rodeiam a terra na tentativa infrutífera de ainda o impedir. Deus é Senhor e reina soberano, sobre os céus e a terra, e diante dele todos temem e tremem . Aos crentes , venham as glórias do futuro, aos descrentes, as glórias do passado ao qual estão presos, por mera incredulidade.

Toda glória e louvor a Deus Criador, e ao Cordeiro o Salvador do mundo.

cláudio pinto pr

Pense: “Os servos de Deus neste mundo maligno, serão reis e sacerdotes no reino de Deus e na eternidade. Ap 1: 6, sempre é tempo de se arrepender. Nábulus pensador cristão

AD 1 D e a Nat

O grande enigma da humanidade é: existe alguma prova visível da existência de Deus?

O salmo 19: 1 a 3 responde: “Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de suas mãos; um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite; sem linguagem, sem fala, ouvem-se ás suas vozes”.

É impossível se olhar para o céu numa noite limpa e enluarada e não ver nela a presença de uma inteligência criadora que mantenha tudo funcionando em perfeita ordem, que aos nossos olhos transmite absoluta sensação de paz, mesmo sabendo ser o universo um meio dotado de forças violentíssimas e potentemente destruidoras. Na escuridão de um ambiente aparentemente silencioso e plácido, tudo se move de forma ruidosa e com velocidades desconcertantes, que os torna uma ameaça constante. As explosões de estrelas colapsando, os raios gama lançados no espaço a distâncias inimagináveis, buracos negros sugando tudo ao seu redor sorrateiramente como um inimigo da luz, os meteoros e corpos celestes em continuo movimento, massa coronal sendo liberada, tudo enfim se movendo livre e perigosamente na imensidão do espaço infinito.

Tudo seria um caos absoluto não tivesse alguém controlando todo esse mecanismo para que permaneça em meio a todas as ameaças em perfeito funcionamento como um caos controlado. Quem olhar o firmamento sem nenhum conhecimento destas coisas, se tiver um mínimo de sensibilidade sentirá que ali está a presença de um Deus que controla todas as coisas. Se tiver conhecimento científico muito mais ainda terá motivos para concluir que o acaso não pode criar e nem governar a ordem que reina impedindo o caos total. A cada dia que nasce e se vai, fica evidente a presença de Deus no controle de tudo, a natureza declara essa sabedoria, sem linguagem e sem fala, ouvimos a sua voz e a entendemos com a nossa consciência e sabedoria.

Hoje muitos dizem poder ouvir através da tecnologia o som da explosão do big bang do qual dizem se originou tudo, mas não podem ouvir a voz que diz na Bíblia: “faça-se a luz”, Podemos aceitar uma explosão universal sem que haja nenhuma causa primordial que justifique o evento como consequência, fato que nega a própria lógica da ciência que declara: que a cada ação corresponde uma reação, na mesma intensidade, mas em sentido contrário, na chamada lei da causalidade, lei que no caso do big bang é desprezada sem uma explicação plausível

O cientista Werner Von Braun, inventor dos foguetes, usados como bombas, v1 e v2, durante a segunda guerra mundial, e criador de todos os mísseis balísticos hoje existentes, e que foi quem criou e enviou o saturno V, o maior foguete já construído na terra a Lua, e que morreu lutando contra um câncer aos 65 anos de idade, nunca se declarou crente em Deus ao que se saiba. Dizem até que ele foi orientado por seres alienígenas em suas concepções, como também é dito sobre todos os gênios da humanidade, mas tudo isso ainda é mera suposição, porém é muito curioso que em seu túmulo não haja nenhum epitáfio marcando a sua genialidade, mas apenas a inscrição do Salmo 91: 1 que diz: “Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obras de suas mãos”.

cláudio pinto pr

Pense: “O nada, do nada, não pode criar tudo, mas o tudo, do nada, pode criar tudo, Deus é o tudo”. Nábulus, pensador cristão

.

Lua 1

Diante de tudo que se ouve hoje, uma posição do que a Bíblia nos diz sobre o assunto. A lua é um satélite misterioso que acompanha a terra. Antigamente se pensava que ela havia de alguma forma se separado da massa da própria terra ficando após presa a gravidade do planeta. Hoje a ciência afasta essa hipótese e o mistério permanece, como a lua veio parar no sistema solar e como foi capturada pelo nosso planeta?

Numa das viagens a Lua deliberadamente se deixou cair o módulo lunar próximo a um sismógrafo deixado no solo, para se checar a densidade do satélite. Pelos cálculos terrestres, o sismógrafo deveria registrar vibrações por oito minutos . Para a surpresa geral, porém, a vibração durou quase uma hora, retinindo como se fosse um sino, o que levou a se deduzir que a lua não só era oca, como ainda era artificial, embora seja o maior satélite do sistema solar, em relação ao tamanho do planeta que circunda. Ainda se pensa que a Terra e a lua giram na verdade, uma em torno da outra pelo espaço como planetas gêmeos.

Iniciada as especulações em torno do evento, alguns supõe que a Lua era uma nave espacial, e que havia sido dirigida até a sua orbita atual, para que servisse de base para espionagem ou vigilância continua do planeta. Isso explicaria o por que de uma de suas faces estar sempre oculta a terra, pois ali estariam instaladas as bases alienígenas que nos vigiam. Dizem até que as viagens a lua cessaram devido a uma ordem dada pelos extraterrestres, os verdadeiros donos do nosso satélite. Enfim, o Investigar faz parte do espírito humano.

Acrescentam ainda que : a órbita da Lua é regular demais em torno da terra, um fato anormal que revela ser esse trajeto planejado por algum tipo de inteligência e não algo natural. As crateras da Lua de diferentes tamanhos, são muito uniformes em profundidade e convexas ao invés de côncavas, que pressupõe haver um cinturão de aço que impede que se aprofundem e que até haja uma anormal saliência no centro. Há ainda luminosidades chamadas “flashes” que são inexplicáveis na superfície da lua e existem formas geométricas nas fotos tiradas da superfície lunar que revelam haverem por lá construções. Foram encontrados titânio e outros metais e ligas processadas na superfície do satélite de forma inexplicável. Todos esses detalhes mostram ser o nosso satélite um longo trabalho alienígena? Isso tudo é o que se supõe como prova de que os alienígenas nos rodeiam e vigiam por todo o tempo.

Vejamos a origem da Lua na Bíblia, a qual não é levada em conta pela ciência e cientistas. A lua foi criada por Deus e no quarto dia da criação onde se lê: “E disse Deus: haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos, Gn 1: 14. Fala de dois luminares, o Sol e a Lua, para fazerem separação entre o dia e a noite, e sejam para sinais, e tempos determinados, e para dias e anos”. O Sol separa o dia da noite, e serve para contarmos os dias e o tempo, assim como a lua que é pálida na presença do Sol é dominante na escuridão da noite, a iluminando.

Está claramente dito que Deus os pôs na expansão dos céus para alumiar a terra e sabemos que sem a lua não haveria vida na terra como a conhecemos. Portanto, quem criou a Lua foi Deus, e quem a pós na órbita da terra foi Deus; agora se alguém se apossou dela para nos vigiar dia e noite, este não é o proposito divino para ela, como não é propósito divino que a terra, Lc 4: 5 a 7, e o homem, Gn 3: 6, estejam sob a posse do mal e do maligno, como hoje estão , veja se dúvida o Sl 115: 15 e 16, Tudo o que é comentado sob a Lua nos serve hoje para sinais e apontam o fim dos tempos, cumprindo o propósito do Deus Criador para ela, Ap 6: 12.

Quem criou a lua foi Deus, e em breve ela não estará mais no céu, nem como o nosso satélite e nem como a nave espacial dos descrentes, pois terá já cumprido o seu propósito para a qual foi posta no céu, por Deus, Ap 6: 12 a 14, e passará, conforme está em Ap 21: 1. Quem além de Deus é poderoso para anunciar sem nenhum temor o que vai acontecer antes que tudo aconteça? Não é preciso crer, só é preciso aguardar até que tudo se cumpra, exatamente da forma como foi profetizado, pois está escrito: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar”. Aguardemos vendo passar os dias e as belas noites de luar.

cláudio pinto pr

Pense: “A palavra de Deus foi dada a toda a terra para salvação; portanto, se você é do mundo não se desvie da salvação, nem viva no mundo da lua”. Nábulus, pensador cristão.

Voltando a vida

 

De V A V - V - 2

Para quem quer viver eternamente e depende para isso de tecnologia humana, a teoria vem desde o Egito antigo, e a prova é a prática da mumificação que preserva quimicamente o teu corpo para uma futura ressurreição. Hoje, existe um método moderno, é o do congelamento do corpo ou criogenia, que o preserva para que no futuro quando houver cura para os males que causaram a sua morte, então o corpo seja reativado, se espera, intacto e com todas as virtudes antigas e ainda curado. Lembramos ser esta hipótese, ainda uma mera e cara fantasia.

Se o homem fosse apenas uma alma vivente como o são os animais, essa técnica teria muito mais lógica, seria como se trocar a bateria de um brinquedo na qual ela durante anos esteve arriada. De imediato o brinquedo voltaria a se mover e falar como antes de perder a energia. Mas, se como diz a Bíblia o homem tem uma alma, aí a coisa se complica, pois como entrar na área espiritual e de lá restaurar a alma daquele ser para a restituir ao corpo? Ademais, Se a alma estiver salva, não quererá retornar ao corpo, e se perdida, mesmo querendo, não terá como fazê-lo. Outra hipótese ruim é que o corpo reavivado, mas sem alma, fosse apenas um zumbi, ou seja, algo animado, mas sem vida, emoções, desejos, etc. Creio que o risco que se corre nesse caso, é muito maior que o preço altíssimo pago pelo referido processo.

Na verdade as múmias milenares do Egito, apesar de absolutamente mortas, dão testemunho vivo, de que não ressuscitaram fisicamente nunca, é como se dissessem “ei, ainda estou aqui!” E se ressuscitaram espiritualmente como se poderia alegar, o processo de embalsamamento e toda o seu trabalho e custo foi uma total perda de tempo, pois foi absolutamente inútil. O homem não nasceu para morrer por isso tem tanto medo do porvir, o que o leva a gastar parte de sua vida tentando solucionar a questão e acreditar que isso depende dele e de seus recursos e não de Deus. Se fosse assim seria uma injustiça incrível, pois a ressurreição seria somente para os ricos e poderosos, e seria algo tão cruel , seleto, e insano, com os demais que é melhor mesmo que realmente não exista.

Poderia se dizer: mas a ressurreição e só para os deuses, como os Faraós, etc. Nesse caso, a injustiça já viria de cima, seria de caráter divino, o que tornaria esses deuses mais abomináveis ainda, pela insensibilidade, desigualdade e pela indiferença com aqueles que sempre os serviram com suas vidas, sendo explorados. Por outro lado, se a vida eterna entre tais deuses é verdadeira e tão boa para eles, porque não a desfrutam em seu pleno gozo. Para que o ato de ressuscitar ou até reencarnar e voltar a está vida para aborrecer os seres terrestres que precisam de salvação e livramento aqui em baixo, pelos quais nada fizeram e nem podem fazer? E se o caráter eterno que oferecem é esse, os servos irem para a eternidade para continuar a mesma vida infame e paupérrima de servidão aos deuses que tinham aqui, qual a vantagem em ir depois da vida para lá?

Enfim, sou aberto a todas as ideias, mas há questões quer geram muito mais perguntas que respostas quando expostas, e cujas respostas não esclarecem e geram de novo muito mais perguntas. Creio no que tem lógica, ainda que exija a fé para ser aceito, pois a lógica faz com que o incompreensível se torne entendível, e ainda que exija o uso da fé para nele crer , vale a pena por ele esperar. A lógica é: a fé vem pelo ouvir e o ouvir pela palavra de Deus, Rm 10: 17, pois ouvindo a palavra de Deus, nela acho toda a lógica. cláudio pinto pr

Pense: “Creio naquilo que tem lógica, pois a lógica responde as perguntas que geram a fé”. Nábulus , pensador cristão

A natureza criadora

Med 1

Muitos creem que a natureza é a criadora de tudo, nos cremos que ela é apenas um meio propício para a criação. É como o ventre da mulher que é um meio propício à geração de vida, porém, precisa para isso de um agente externo, no caso o espermatozoide, que tem o poder em fecundar e em transmitir seus registros genéticos a nova criatura. Cremos que o mesmo ocorre com a natureza, que propicia como um ventre o ambiente próprio à criação, a qual ocorre através da ação de um agente externo a ela, no caso, O Criador, detentor desse poder o qual deixa nela os seus registros como Criador. .

Salientamos que além de propiciar vida, a natureza é também um meio propício para a exterminar e quem crê na seleção natural entende isso com facilidade. No fundo isso mostra ser a natureza apenas um meio onde tudo ocorre, como em um aquário que é propício a vida dos peixes que nele estão, mas sabemos, não ser quem os gerou. Se observarmos a natureza veremos que nela, a seu tempo, tudo nasce, vive e morre continuamente, nada é eterno e tudo tem um início, um meio e um fim, até mesmo a própria natureza. Na duvida, e só observar o que diz a ciência sobre o possível glorioso passado fértil de nosso vizinho ao lado, o planeta Marte, hoje, aparentemente morto. A triste notícia é essa, que se você crê na natureza como criadora, ela não tem nenhum plano para você e voltarás ao nada como eras, pois a natureza é implacável, e para voltar ao nada não é necessário fazer mais do que apenas “viver e morrer a seu próprio tempo. E o pó voltará ao pó como era, e a natureza, veja em Gn 3: 19.

A natureza se renova ciclicamente, e nela a morte de uns propícia que outros possam nascer e viver. Sabemos que as espécies se sucedem cumprindo um ciclo perfeito, continuo, e inconsciente. Porém é neste ambiente que nós dotados de consciência, podemos trocar a nossa natureza, saindo do material e mortal, para o celestial e eterno. Jesus Cristo, contrariando a tudo, anunciou algo absolutamente novo em sua manifestação humana na terra , o chamado “novo nascimento”. Ele nada tem a ver com a reencarnação, pois ocorre durante a vida física e não após a morte. Aquele que deseja nascer de novo, precisa crer e aceitar Jesus em vida, e passar pelo batismo nas águas e assim nascer de novo das águas e do Espírito, Jo 3: 5, e crer que morreu e ressuscitou com Ele, como está em Rm 6: 4 e 5, e que agora já tem a vida eterna em si mesmo, dada por Jesus, conforta está em Jo 5: 24 a 26.

Quando Nicodemos, um dos sábios do sinédrio, ouviu isso não entendeu e perguntou a Jesus : “como pode um homem nascer, sendo velho? porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jo 3: 4. Na verdade, ele só conhecia o nascimento material por isso surpreso fez a pergunta. Mas Jesus lhe disse que o novo nascimento vem de um fator alheio a natureza gerando nesse meio físico da água e do Espírito um ser espiritual e eterno. O fator externo que age no novo nascimento é o Espírito Santo, gerando vida celestial e eterna num ser físico, e ao final da vida material o integrando, não a natureza criada e inconsciente, mas, a Jesus Cristo e a Deus o Criador de todas as coisas, diz Jo 17: 11 e 21. Porém, crer nisso é livre escolha de cada um, e cada um escolhe neste tempo, o que será e onde estará na eternidade, e Deus respeita a livre escolha de cada um, embora queira salvar a todos.

Veja que toda a natureza é essencialmente destrutiva, e nela somente a terra apresenta condições favoráveis a vida, pois um fator externo atua em nosso planeta, o diferenciando do restante do universo caótico e destrutivo, para ser tenuemente propício a vida, é Deus o Criador. Todo ser vivo, desde a concepção no ventre, está exposto a natureza e corre o risco de ser eliminado por ela. A cura para os males físicos está na própria natureza, mas ela não cura, e nela estão o contagio e toda contaminação. Para a cura é preciso um agente externo como uma mente criativa como a de um cientista, usando a sua sabedoria dada por Deus, ainda que não creia nele, extraia da natureza através de seu raciocínio, sensibilidade e conhecimento, a cura para os males nela mesmo gerados. A natureza não pensa, e só subsiste como um meio propício por que tem alguém constantemente zelando por ela, para que nela se cumpra o seus desígnios infalíveis, que é o seu Criador, O Senhor nosso Deus . cláudio pinto pr

Pense: “A natureza existe e nela é gerada a vida, pois Deus que é vida e doador dela, foi quem a criou e a sustenta”, Ap 22: 2. “Não creia, leia”. Nábulus pensador cristão

%d blogueiros gostam disto: