Feeds:
Posts
Comentários

digitalizar0007

O mundo caminha para o fim, tudo o que está ocorrendo hoje é um sinal de que o fim vem, está próximo. Se você como cristão se assusta com os fatos nefandos que vê nestes dias e com a degeneração da visão e dos pensamentos, sente-se como que derrotado, mas saiba, a vitória está as portas, e estas coisas a antecedem. Em 1João 5:19 e dito que o mundo jaz no maligno, e em 1Jo 4: 3 diz que o espírito do anticristo já está no mundo desde há muito, o mal a prevalecer é uma prova disso.

Muitos estranham que o mundo parece estar virando de cabeça para baixo, e o que era certo hoje é tido como errado e o que é moral taxado como conservador, o que é honesto por radical, o que é decente como discriminador, o que é justo como reacionário, o que condena o mal como um tolo religioso, e todos esses termos são usados como ofensas aos olhos dos que se auto proclamam “progressistas” e são os que abrem as portas para o domínio do mal. Se julgando superiores, avançados em ideias, liberais, na verdade estão sendo manipulados pelo maligno para fazer o o que ele determina que façam, para que ele possa ser entronizado neste mundo como vemos já profetizado em 2Ts 2: 8 a 12, o que por falta de fé ignoram.

A metanoia maligna prevista em 2Ts 2: 3, onde o maligno toma conta da mente humana a submetendo as suas doutrinas, e acontece até mesmo no seio da igreja onde cristãos formais dão lugar a grande apostasia também profetizada, já estão em pleno andamento. Hoje no mundo é proibido se citar a fé em Deus, orar antes de eventos e até mesmo no inicio de aulas nas escolas, e proibido se ler e ensinar a Bíblia e ter símbolos cristão nos tribunais, o ato de se jurar com a mão sobre a Bíblia, e até manifestações de fé públicas, estão reprimidas, e se alguém mencionar o nome de Deus logo é ridicularizado como um atrasado e ignorante ou como um obstinado e intolerante. Tudo faz parte da metanoia maligna de transformação.

O caminho para a vinda e entronização da besta do apocalipse cap 13: 1 a 9 e da besta religiosa que o idolatra e o torna como um deus, de Ap 13: 10 a 18, está aberto no mundo. Mal sabem que o diabo não conhece o amor, e por isso não tem sentimentos, e nem tem amigos, nem cumplices, só tem desejos e ambições e assim que terminar de usar os seus aliados, os destruirá sem nenhuma misericórdia ou piedade como disse Jesus em Mt 24: 22 e 9: 11, onde e revelado como sendo o “destruidor”. Se dúvida disso, veja o fim da igreja que o adotou, o idolatrou e o serviu em Ap 17: 3, e sua destruição após não ter mais utilidade para ele o maligno em Ap 17: 16 e 17. Como dissemos o diabo não tem amigos tem ambições, quem o serve receberá dele o devido e merecido castigo que é só o que ele tem para dar.

Hoje, quando você está vendo o mal prevalecendo, e tudo o que é ruim e insano sendo aceito e o abominável sendo instalado e comemorado, e que os ditos ateus tomam conta do mundo, saiba que o fim vem. A injustiça opera solta hoje como está em 2Ts 2: 7, e isto tende a piorar muito até a revelação do iniquo. O caminho das bestas está posto no mundo e este de braços abertos para recebê-las com toda a alegria e adoração. Se cumprirá então o que está em Mt 5: 10 a 12, e virá então a justiça para os que foram injustiçados pelo mal, e os que amaram o mal também receberão o seu prêmio merecido conforme 2Ts 2: 11 e 12.

Para você que foi rejeitado, desprezado e perseguido pelo mundo, restará o que está em 2Ts 2: 13 e Ap 1: 6, o ser rei e sacerdote de Deus no novo céu e na nova terra de Ap 21: 1 a 3, e se assentar com Jesus no seu trono conforme Ap 3: 21, e depois reinar para sempre com Deus e com Cristo o rei dos Reis e o Senhor dos Senhores, o Rei das nações, Ap 21: 6 e 19: 16. Alegrai-vos por não serdes do mundo e porque ele vos despreza, e por serdes participantes da aflições de Cristo: para que também na revelação de sua gloria vos regozijeis e alegreis, 1Pe 4: 13. O mal é destruidor dos que o seguem, enquanto Jesus Cristo e galardoador dos que o buscam conforme vemos em Ap 22: 12. Tudo é só uma questão de livre escolha.

cláudio pinto pr, servo de Jesus.

Pense: “E aquele que testifica essas coisas diz: certamente cedo venho. Amém. Ora vem Senhor Jesus.” Venha o teu reino Senhor e a tua justiça Jesus, Mt 6: 33.

Anúncios

Mortif c

Recebi um vídeo que se referia ao que sucede a nosso corpo após a morte, e que aqui reproduzo parcialmente. A sequência era a seguinte: Após três dias as nossas unhas se desprendem da pele, após quatro dias os cabelos de nosso corpo caem, em cinco dias o cérebro, músculos, e pele começam a se decompor, os genitais são invadidos por insetos e tanto as nádegas quanto os seios perdem o volume. Após seis dias a nossa pele fica escura e a carne se desprende dos ossos. Sessenta dias após a morte, só restam os ossos de nosso esqueleto.

Desconheço a precisão científica dessa sequência, porém independente disso, o autor a usa para fazer duas perguntas: 1 – “todo orgulho, maldade, egoísmo e ódio, inveja e pensamentos negativos, de que valem? 2 – Porque não somos humildes e nos ajudamos mutuamente nesta curta existência? E prossegue divagando sobre as incoerências das nossas atitudes e de nossos relacionamentos enquanto estamos vivos , ignorando que um dia todos nós chegaremos ao mesmo fim. O apelo é para que diante desta realidade fatídica, busquemos melhorar o nosso convívio, relacionamentos, e nossa solidariedade e fraternidade, em vida, proposta que é muito válida filosoficamente.

A questão é: será que tudo termina mesmo na morte? Ou a morte física do corpo é apenas o portal de entrada para um novo início agora fora do ambiente da matéria e onde o nosso corpo entregue a terra, ao túmulo, ou a cremação é as cinzas é agora algo já desnecessário? Sendo assim, esta etapa finda da vida serviria como preparo para a definitiva e eterna agora iniciada a qual é citada como uma verdade na Bíblia. Como cristão sei que há coisas que permanecem após a morte física, como a alma. Da mesma forma que a carne se desprende dos ossos após a morte como vimos, também a alma vai se desprender de nosso corpo físico em direção a seu destino final e eterno, indo para a salvação com Deus, ou para a perdição sem Ele, ambas eternas, veja Ec 12: 7, e confirme isso em Jo 5: 28 e 29, crendo ou não.

De que valem a vaidade, as riquezas, os brilhos desta vida, a beleza física, a fama, a honra, e a celebridade, se tudo isso cessa com a morte física? De que vale ter passado a vida com poder, e acumulando riquezas, as vezes se enganando, e se degenerando ou até se corrompendo, se nada se leva dessa vida? veja o que diz Jesus sobre isso em Lc 12: 19 e 20. Nem levam os pais que acumularam as riquezas e nem os filhos herdeiros, tudo isso ficará aqui no mundo da matéria.

Na verdade, segundo os ensinamentos de Jesus e de nem um outro, está vida só serve para que durante sua curta existência, você se conscientize e possa tendo livre arbítrio escolher o teu futuro eterno, rejeitando o mal e escolhendo o bem, como diz Is 7: 15. Caso escolha o bem, se preparar para assim viver, se abstendo das coisas da matéria e buscando a recompensa eterna e invisível e o galardão por suas boas obras nesta vida, feitas em cristo Jesus, a quem recebeu como Salvador pessoal. Só se leva dessa vida as “boas obras em Cristo”, veja Ef 2: 10 e Ap 22: 12. Essa escolha dará a tua alma a paz, sossego e galardão eterno com Deus que a criou. Quanto ao teu corpo físico finito, neste tempo, te serviu de veículo, para te preparar e viver uma eternidade com Deus em um corpo glorioso, Fp 3: 20 e 21.

Assim a resposta as duas perguntas feitas pelo autor, seriam: todas as boas obras e intenções são validas para se poder suportar um mundo dominado pelo mal, mas morreriam e seriam sepultadas com o corpo entrando no esquecimento. Mas seriam muito mais validas se como obras se eternizarem nos seguindo e nos servindo como galardão eterno, conforme está em Ap 22: 12. Após a morte, a vida.

cláudio pinto pr

Pense: “Lembre-se: da vida nada se leva, a menos que você leve daqui para a eternidade a própria vida, e isso só com Cristo”. Nábulus, pensador cristão

digitalizar0008

Recebi uma post que relembrava uma história já conhecida e ocorrida nos tempos do nazismo na qual Hitler demonstrava como via e como julgava serem os seus seguidores e como deviam ser tratados, o que reproduzo em parte para nossa meditação, lembrando que hoje existem líderes que pensam exatamente como ele pensava e para quem você é apenas como se fosse uma galinha. A galinha é uma ave, que como todas as presas, tem os olhos voltados para os lados, portanto, só enxerga bem nesse sentido. Creio que a maioria tem na mente a imagem de uma galinha correndo freneticamente a frente de um carro sem se desviar dele para um dos lados, o que nos leva a vê-la como uma criatura bastante tola.

Em uma de suas reuniões Hitler pediu que lhe trouxessem justamente uma galinha. Então a agarrou forte com uma das mãos, enquanto a depenava impiedosamente com a outra. A galinha nada podia fazer a não ser sofrer todas as dores e suplícios do ato. Após depená-la a frio, Hitler conclui dizendo a seus colaboradores: vejam agora o que vai acontecer com está galinha. Então s soltou no chão e se afastando dela passou a lhe jogar grãos de trigo e para o lado que ele se deslocava a galinha afoita o seguia visando comer os grãos. Mesmo muito assustada, sangrando e dolorida, ela o seguia fielmente por todos os lados se esquecendo dos danos que ele lhe causará, saia agitada em busca dos grãos que ele lhe jogava.

Todos os seus colaboradores estavam perplexos e espantados com a crueza da demonstração. Então, altivo ele lhes disse: viram como a galinha me seguiu mesmo após o mal e todo dano que lhe causei? é assim que se governa os estúpidos, pois agem como fez está galinha. Mesmo lhe tirando tudo, as penas, a dignidade, o sossego, ela mesmo assim me segue em busca de farelos e das migalhas que eu lhe jogo. O mesmo ocorre com a maioria das pessoas. Seguem a seus líderes políticos mesmo que eles nada façam por elas e sejam os responsáveis por muitas de suas dores, mas o seguem por que eles lhe jogam migalhas. Esquecem que eles nada fazem por sua saúde, sua educação e sua dignidade mínima, mas o seguem cegamente pelo anseio de receber dele algum benefício barato, que possa de imediato suprir as suas necessidades, mesmo que continuem a viver sofrida e indignamente. Quanto mais forem desprezados, ignorantes e necessitados , mais esse povo segue o líder que lhe dá as migalhas de cada dia. Jesus não quer te dar migalhas, mas que você tenha o melhor, Mt 15: 27 e 28.

Eles nada farão para tirar as pessoas da ignorância, da pobreza, da dor e da angústia, e da fome e sede, e nem pela falta de saúde, dignidade e segurança delas, podendo fazer tudo isso por elas e tendo todos os recursos para fazê-lo. Os manterão sempre na miséria e na ignorância, pois assim sempre terão a garantia de que eles o seguirão, e que os poderão manipular, tudo na esperança das migalhas que ele lhe jogará em troca de sua subserviência e de sua absoluta fidelidade, apesar da dor e do sofrimento que lhes causam. É tudo uma questão de entender discernir e saber escolher, ou de se deixar sempre enganar como se fossem galinhas.

Jesus não te engana e nem te oferece migalhas, como fazem os políticos, mas te oferece o se assentar com ele no seu trono de glória eterna, confirme em Ap 3: 21.

cláudio pinto pr

Pense : “A um povo com mentalidade miserável, seja dado um líder político que o mantenha na indigna miserabilidade, pois se sentem felizes ao receber dele uma quirela”. Nábulus, pensador cristão.

mão 3

E muito comum o habito de algumas mulheres mexerem no bolso dos maridos, e tirar as ocultas algum dinheiro sem que ele o perceba. Ele sente que seu dinheiro está rendendo menos, mas pensa que a culpa e de seu descontrole ou da inflação. Ao que leva essa ação de astúcia? A uma delapidação de ambos, pois a fonte é uma e o valor só troca de mãos sem nada acrescentar de positivo ao casal.

O Brasil. por mais incrível que possa parecer, prática uma política econômica bem semelhante a da mulher que rouba o marido. No caso o marido é o povo produtivo e a mulher é o pesado governo que ele tem que sustentar. Somos assim um país paupérrimo, onde não se tem segurança, educação e nem cobertura de saúde que satisfaça ou atenda ao povo, e tudo o quanto se faz é precário devido a falta de dinheiro e ao hábito de a mulher (governo) enfiar a mão no bolso do marido (povo) e o surrupiar. Porque do uso do termo “surrupiar”, é porque muitos dos impostos cobrados são disfarçados para passarem despercebidos, como se não existissem.

O resultado é que falta dinheiro ao marido depauperado pela esposa insana, e falta dinheiro a mulher que usurpa o que é do marido e gasta mal o que usurpa. Isto no caso do país, força o aumento continuado dos impostos e quanto maior a taxa menor e o valor arrecadado pois a produção é delapidada. Se gasta muito com a manutenção da burocracia para se arrecadar cada vez menos dinheiro. Se o governo brasileiro fosse um bom administrador poderia cobrar do povo produtivo uma taxa pequena de impostos o que permitiria que o produtor tendo mais recursos conseguisse produzir muito mais. Então, esta pequena cota de impostos arrecadaria muito mais dinheiro que a imensa e insana taxa que é hoje cobrada e consumida só para manter o sistema arrecadatório pesado. Se alguém dúvida disso é só olhar as economias mais prósperas e equilibradas do mundo e em especial a dos EUA e comparar os seus números. Eles usam sabiamente o lema: “Para cavalo comedor, cabresto curto”, e sabemos ser o governo um “cavalo comedor”.

Se o governo que é improdutivo, continuar insaciável em cobrar e gastar mal, e se insistir nesta política draconiana, aqui se cumprira o que diz o ditado: “de tanto ir o pássaro a fonte a fonte secou”. A política financeira voluptuosa do Brasil impede a prosperidade do produtor, pois cobra muito do contribuinte, sem em nada o ajudar e nada lhe devolver, impede com isso a produção e deixa o produtor mais perto da falência que da prosperidade. O governo tem que propiciar condições de progresso, financiamento e de prosperidade e crescimento aos produtores, pois são sócios na prática e assim deveriam se compor e se ajudar. Mas o resultado da política de mulher roubando o marido, significa a separação de leitos mesmo morando juntos, ou mesmo o previsível divórcio, que entre nós já ocorre hoje, e já está definida na Bíblia onde se lê: “Toda mulher sabia edifica a sua casa: mas a tola a derruba com as próprias mãos”, veja Pv 14: 1. O Brasil precisa mudar e se tornar urgentemente a “mulher sabia” que edifica a sua casa.

As únicas empresas que prosperam no Brasil são as que agem como amantes, que por serem cumpliciadas, não levam em conta a razão a ética e a decência, só o bem estar próprio e a usurpação, cooperam assim para a degradação da nação. Insistindo nisso o Brasil será eternamente o país do amanhã, mas na prática vivendo sempre como o pais do ontem.

claudio pinto

Pense: “Marido é mulher fieis e prósperos fazem uma família rica, unida, feliz e vencedora”. Nábulus, pensador cristão.

Foz do Iguaçu  p bl

O Brasil é um território abençoado, sem terremotos, vulcões, maremotos, tsunamis, tufões, furacões, ciclones, grandes secas, grandes desertos, áreas congeladas, etc. Em contrapartida, com riquíssima variedade biológica, solo fértil e muito rico, um dos maiores mananciais de água doce do mundo , grande variedades de vegetais e frutas, extenso e maravilhoso litoral, grandes florestas, muitas riquezas minerais, enfim, tem muito do que todos os países queriam ter e não tem, e tem pouco do que todos têm e que gostariam de não ter. É um território privilegiado por Deus e com todas as condições para ser rico e próspero e invejado em tudo.

Porém, se conta que: um dia todas as nações reunidas cobravam de Deus o Criador, o porquê de o Brasil ser um país privilegiado pela natureza em relação as outras nações do mundo, e achavam esse privilégio injusto. Deus então lhes responde dizendo: vocês acham isso injusto porque ainda não viram o tipo de “povinho ou gentinha” que vou colocar para habitar nessa terra. E essa anedota , embora imaginária, tem sido a grande e trágica realidade desta nação até hoje, fato que não lhe permitiu atingir seus sonhados ideais de prosperidade e grandeza.

Se o povo que habita este território, fosse desde o início agradecido a Deus pelas benesses recebidas sem merecimento, !Ts 5: 18, e fosse temente a Deus e amasse o próximo , Fp 2: 4, buscando o bem geral, ao invés do exercício do egoísmo e bem estar pessoal, e fosse menos “esperto” querendo levar vantagem em tudo, e tivesse um mínimo de patriotismo e de solidáriedade, Jo 15: 12, este talvez fosse o pais das maravilhas e do sonhos de todos. Seria o mais rico e próspero do mundo e em consequência, o mais adiantado em ciências, educação, nas artes, na produção de alimentos, e também social e politicamente o mais poderoso e invejado exemplo de todo o planeta. Tudo isso somente por ser um país temente ao Deus bíblico e como tal seguindo seus princípios morais e éticos.

Mas até hoje mantém o bordão de ser o otimìsticamente o “país do futuro que nunca chega”, e realisticamente um pais sem futuro devido a seu triste e corrupto passado que o puxa para trás. Tanto isto é verdade que o maior sonho dos jovens desse país é ter uma oportunidade de imigrar para outra nação onde possam se realizar na profissão e na vida, cooperando para o bem da humanidade e vendo a justiça social sendo feita e com isso reprovando a forma social, educacional e política que sempre se exerceu nesta terra abençoada por Deus, mas tornada uma maldição pelas ações deletérias de seus dirigentes e políticos.

Como brasileiro digo que o povo em grande parte é em essência bom, pacífico, solidário, mas conspurcado e desvirtuado pelos seus administradores, salvo rarars exceções, egoístas, interesseiros, sem solidariedade, individualistas, soberbos, vaidosos, exploradores, desonestos, mentirosos, sínicos, os quais têm, salvas as exceções, um triste e tenebroso histórico a comprovar isso, mestres em criar sempre muitas dificuldades para assim vender facilidades, deseducando o povo, e o mantendo ignorante, infelizmente, veja Pv 22: 6.

Que o Senhor na sua infinita misericórdia, nos perdoe o que somos como nação, e até a vinda de seu reino que é a única solução para todas essas coisas, conserve aqui mesmo em meio a iniquidade, um povo de fé, temente a Deus, virtuoso, cheio de amor ao próximo, solidário, fraterno, sincero, trabalhador, sábio, patriota, e que em união e unidade, tenha em grande destaque o ter caráter integro, honestidade e a gratidão, pois com estas três virtudes se manifestam todas as demais , pois elas são a base para todas, e seremos então um povo feliz e abençoado por nós mesmos, abençoados e abençoadores das demais nações, e o melhor, abençoado como povo por Deus, 2Cr 7: 14.

cláudio pinto pr

Pense: “E como nos ensinou Jesus em Mt 6: 10, repitamos a cada dia: “ Senhor, venha o teu reino”, que é um reino de justiça, paz e alegria no Espírito Santo, Rm 14: 17b.

Lei x Const bl

Deus fez uma lei sucinta composta por dez mandamentos ao quais ao se ler não pairam dúvidas sobre suas determinações. Não é preciso convocar especialistas para fazer entender o que significa, não matar, não mentir, não roubar, não produzir falsos testemunhos, honrar pai e mãe, amar a Deus, etc. E de uma clareza total e absoluta e de uma simplicidade descomunal. Mesmo a questão do sábado, tornada polêmica por idiossincrasia de alguns, é clara e límpida ao se examinar o contexto geral das escrituras com entendimento.

Mas o homem do mundo, que é um sistema político, religioso e social, alheio ao Criador, não aceita a lei de Deus, não a acata, não a respeita e nem a cumpre, como se ele homem fosse superior ou indiferente a ela, mas que lhe é inerente. Porém, esse mesmo homem, incumbido de fazer uma mera constituição para um único país, a faz deixando tantas dúvidas que é preciso se convocar um tribunal superior com muitos membros especializados e altamente instruídos e bem remunerados, para examinar o que ela quer realmente dizer!!! A simples leitura do texto não esclarece o seu contexto e deixa no ar mais perguntas que respostas para serem discernidas depois pelos especialistas.

Querendo ou não, o homem descrente, reconhece a sua inabilidade em obedecer e criar leis que o dirijam, com simplicidade e clareza e também sua incompetência para interpretar após, aquilo que fez tempos antes. É preciso um colegiado de altas patentes, para dizer o que se quis dizer, ao se dizer aquilo que não está claramente dito, e qual o seu real significado e sua intenção e espírito ao ter sido dito e escrito.

Pasmem! Para complicar mais ainda, ao ser analisada pelos experts do assunto, cada um tem uma interpretação particular do texto que difere do outro e gastam tempo tentando se harmonizar e se compor para definir um parecer comum. Fique-se acordado com um silêncio destes, como diz o ditado, ou como eu o interpreto, já que interpretar é um direito.

Porque o homem não aceita a lei de Deus? Porque ela é clara e fácil de entender e não dá nenhum subterfúgio para que se discuta, ou se escape dela, ou se obedece ou não se obedece, é só isso. O agravante é que essa lei traz consigo claramente também a pena, para crentes ou descrentes, e deixa claro ser esta pena eterna, e não sujeita a apelações, recursos, nem a questionamentos de tempo de duração muito comuns, ou como dizem os entendidos, discutir a dosimetria da pena a ser cumprida, pois está já definida com clareza perfeita, e “eterna!!!”

No caso da constituição a manipulamos conforme a conveniência do momento, nos a dirigimos, e definimos. Já na lei de Deus, não temos nenhuma autoridade mínima para interpretar ou mudar nada, ela é o que é. Se usássemos a lei de Deus como base de nossa constituição está sairia muito precisa e perto da perfeição, claro se resguardando ter sido replicada pelos homens na terra, fato que lhe dá grandes chances de conter erros e vícios humanos muito comuns.

Sobre a lei de Deus os homens do mundo a rejeitam, mesmo sendo perfeita, clara e simples. Sobre a lei feita pelos homens, Deus já deixou o seu parecer por escrito em Is 64: 6, gostem os humanos ou não de seu parecer. Por outro lado, a mais perfeita justiça humana foi quem condenou a morte por crucificação a um inocente, pois sequer havia um libelo acusatório contra o réu, Jesus Cristo, e sendo mesmo assim convocado indevidamente um tribunal que segundo os entendidos, consumou o maior erro judiciário da história, no mínimo, o mais famoso de todos os tempos.

cláudio pinto

Pense: “Dura lex sed lex” – a lei de Deus é justa e dura, e seu juízo é justo e dura eternamente. Nábulus pensador cristão

O jargão abandonado

O Jargão

Houve uma frase que por muitos anos foi repetida com ênfase e muita alegria por todos, em especial por políticos e meios de comunicação, ao constatar que independente de nossa competência ou não, ao final fortuitamente tudo acabava dando certo como por um milagre, fatos oportunos ocorriam e faziam que houvesse sempre uma compensação cobrindo os erros, omissões ou desmandos cometidos, as eventualidades salvavam a nação. E todos diziam “Deus é brasileiro” lembram?

O Brasil, colonizado pelos portugueses e catequizado pelos jesuítas, sempre foi tido como uma nação religiosa, católica em maioria e cristã em essência. Embora fosse uma nação laica, a maioria das escolas eram de origem religiosa e nelas se aprendia além de todo o currículo escolar a educação religiosa, e ainda se tinha aulas de educação moral e cívica que formava cidadãos com caráter que respeitavam à pátria, pai e mãe, família, mestres, e o próximo, via de regra. Nos tribunais haviam Bíblias sobre as quais se faziam juramento, e havia respeito pela fé e seus princípios sem que isto fosse uma lei, era só uma atitude de reverência a Deus, como sendo o supremo juiz e um Pai de família.

Hoje tudo mudou, e existe até uma oposição a todas estas coisas que por muitos séculos em nada prejudicaram a nação, ao contrário, como dissemos a abençoaram de tal forma, que levavam a crer que “Deus era brasileiro”, tais as maravilhas que cobriam a nação. Queremos lembrar que a Bíblia diz que: “E sabemos que: “Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus”, Rm 8: 28, e Isso ocorria entre nós no passado, apesar dos erros éramos sempre abençoados, pacíficos, e tínhamos segurança e respeito.

“Deus é brasileiro”, esse era o famoso jargão que hoje poucos conhecem e poucos ousam repetir, um bordão que marcou a nossa história, pois parece que tudo se virou contra nós. Nada mais acontece que justifique se repetir esse mote, pelo contrário, tudo tem contribuído para o mal para que sejamos prejudicados. O que será que aconteceu? Deus mudou ou o país mudou? Sabemos que Deus nunca muda, Ml 3: 6, este é um dos seus atributos básicos e imutáveis. Porém, a mente do brasileiro mudou do vinho para o vinagre, hoje vigora o politicamente corrente, a intolerância, a descrença, o desrespeito aos credos, a hipocrisia o populismo barato, a mentira, a corrupção, o cinismo, a demagogia, etc. E as bênçãos se foram, vieram as dívidas, os prejuízos, o desprestígio, e até os fatídicos 7 a 1, lembram-se? Deus não é mais também brasileiro? não é isso, mas o brasileiro não respeita mais a Deus como antes.

Os dons de Deus são sem arrependimento conforme Rm 11: 29. Ele nada tira do que dá, mas nós podemos recusar as bênçãos e Ele nada perde com isso, só quem perde somos nós. Quem foi que mudou então? Podíamos ser uma das maiores nações do mundo e o que somos hoje? Deixamos a resposta para o raciocínio de cada um, lembrando o que diz a Bíblia em Gl 5: 7, “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo que o homem semear isso também ceifará”. Só estamos colhendo o que temos plantado nos últimos tempos.

cláudio pinto pr

Pense: “Deus não é mais brasileiro, ou os brasileiros é que não são mais de Deus?” Nábulus, pensador cristão

%d blogueiros gostam disto: