Feeds:
Posts
Comentários

Fotosint

O que é a Fotossíntese? – é um processo químico realizado pelas plantas no qual ela produz seu próprio alimento básico que é a glicose. A planta retira o gás carbônico do ar e energia do Sol, eliminando oxigênio na atmosfera.  Sem a glicose que a planta metaboliza e que é seu combustível principal, seria impossível a ela manter as suas funções vitais.

A glicose é produzida através de uma reação química, e somente é possível devido à transformação da energia solar em energia química. Sem a fotossíntese, não existiria vida em nosso planeta, pois é através dela que se inicia toda a cadeia alimentar, pois os seres animais se alimentam de vegetais. Veja a importância das plantas e dos vegetais verdes e alguns outros organismos, como protistas e bactérias na natureza. Relembramos que no processo de fotossíntese, a planta elimina oxigênio na atmosfera, sem o qual seria impossível se viver na terra.

Porque comentando todo esse processo o qual acontecia mesmo em tempos em que a ciência não tinha nenhum conhecimento disso. É porque a Bíblia cita que a primeira ação na Criação quando tudo ainda estava em trevas absolutas foi o “haja luz” de Gn 1: 3. E houve luz e a declaração de Deus que era boa a luz. A luz é fundamental para que haja vida, pois sem luz não haveria a fotossíntese, e sem ela a vida não se sustentaria, portanto a luz é a fonte da vida, e a Bíblia declara que Deus é luz, veja em 1 Jo 1: 5.

Na criação, primeiro foi criada a luz e somente depois no terceiro dia da criação foi criada a erva verde que desse semente, sem luz a vegetação não poderia existir.

Muitos dirão, mas a luz citada aí não é a do Sol, que só foi criado no quarto dia em Gn 1: 14 a 19, o que é verdade? A luz citada em Gn 1: 3 era o conhecimento de Deus aplicado a sua criação, com tudo sendo feito a sua luz, inclusive o grande astro o sol. E Isto só prova que há fonte da vida não está originalmente no sol, mas em Deus que também criou o sol para que fosse a fonte da “vida material” na terra, o sol não pode dar vida espiritual e nem eterna, pois ele mesmo é finito.

Quando Deus anuncia que no princípio criou “os céus” (plural e a terra, singular) Sl 116:15 e 16, revelava que o céu (esporanios), que é o céu onde Deus habita, o qual é dimensional e eterno como Ele, já existia, e o que agora narra é a Criação dos céu planetário, com o Sol a Lua e as estrelas e seus exércitos o compondo, é o céu tempo e espaço. Porém Deus habita sobre o céu e a terra…

O Sol é apenas um mantenedor da vida, mas não a cria, pois ela é resultado de um complexo de fatores que ninguém conhece, e mesmo que tenhamos todos os elementos para que a vida ocorra faltará o lampejo final que a acenda. Esse desconhecimento ocorre também com a eletricidade, o magnetismo, e outras forças atuantes na natureza, as quais manipulamos no dia a dia, porém sem saber qual seja a sua origem essencial, existem e o que conhecemos são os resultados que produzem. Sem nós elas continuariam a existir. Se aquilo que vemos e utilizamos temos dificuldade em entender, como entender e admitir a existência de um Deus criador onisciente, onipresente e onipotente e eterno ao qual não vemos e não podemos usar? cláudio pinto pr

Pense: “Alguns pensam estar usando a Deus para se beneficiar, mas descobrirão um dia que nem usarão a Deus e infelizmente também não foram usados por Ele”. Nábulus, pensador cristão

Arte sacra  SH8 AS bl

A palavra “evangelho” traduzida significa “boas novas”, e foi dito que nossa missão na graça seria a de anunciar o evangelho. Diante disso fica a pergunta: quais são as “boas novas” que devemos anunciar ao mundo hoje? Parece uma pergunta obvia, mas lembro que, é no obvio que nos acabamos errando ou falhando.

Uma grande boa nova é que Deus achou uma virgem da qual pode gerar seu Filho na terra, outra, que Jesus nasceu no mundo se manifestando em carne conforme as profecias, e mais uma, que Jesus já ressuscitou e que vive eternamente, e que a salvação agora está disponível a todos os homens. E para completar, que agora podemos ter os nossos pecados perdoados, uma tremenda boa nova. São muitas as boas novas, mas qual e o cerne, a essência, a raiz, das boas novas que devemos anunciar a qual sintetiza ou centraliza tudo?

Na verdade a grande boa nova anunciada por Jesus foi: “Trago-vos a vida eterna”. Está boa nova é maior que as curas, que as maravilhas, que os milagres, que os sinais, que Jesus fez, pois nela estão inseridas todas as profecias ocultas desde o princípio, a qual agora o Filho, o mistério de Deus, nos revela e cumpre.

A boa nova é a oposta a má nova que surgiu em Gn 3: 6, que foi a queda como o resultado da falta de fé de Adão em crer no que Deus dissera em Gn 2: 17. Pior, foi crer mais no que viam os seus olhos, Rm 10: 17, e em consequência desobedecer e comer do fruto que lhe fora dito não deveria comer. A “má nova” era que agora ele “morrendo, morreria”, ou seja, o processo de corrupção da carne estava ativo degenerando seu corpo até que ele voltasse ao pó como era, Gn 3: 19. A morte e seu império passaram a reinar entre os homens então , veja Rm 5: 14. Esta foi a má nova que transtorna o mundo e causa toda a destruição que hoje vemos.

Adão pecou e com o pecado entrou a morte ao mundo Rm 5: 12, e como todos se tornaram pecadores todos se tornaram mortais por herança adâmica, como ainda passaram a ser dominados e servos do mal que escolheram conhecer. Em sua misericórdia, após o pecado, imediatamente Deus declarou que a mulher teria um Filho, cujo calcanhar seria ferido, pela serpente, mas que ele, o Filho, pisaria a sua cabeça, conforme Gn 3: 15.

Moisés deu a lei a qual serviu de aio até a vinda da graça, Gl 3: 24 e 25, a qual nos conduziu até Cristo para a justificação pela fé, Jo 3: 16. Nascendo Jesus na terra, morrendo na cruz e ressuscitando, consumou a promessa da volta da “vida eterna” para todos aqueles que nele crerem, como é até hoje, veja Jo 5: 24.

E os que não creem em Jesus como sendo o Salvador e autor da vida eterna como ficam? A ira de Deus sobre esses permanece, diz Jo 3: 36, pois todos tem liberdade para rejeitar ou para receber a boa nova de Jesus, preservando assim o seu direito pessoal de escolher não querer ter restaurada para si a vida eterna, permanecendo assim na ira e na morte eterna. A escolha é absolutamente livre.

A “vida eterna”, à volta a condição inicial que o inimigo havia tirado pelo engano do pecado é a grande “boa nova” a ser anunciada ainda hoje a todos. Quem é de Jesus não morre, ainda que morra na carne, viverá eternamente com Deus em Cristo, conforme diz Jo 11: 26. Jesus é a imagem do Deus invisível autor de toda a criação e nele voltamos a ser a imagem e semelhança de Deus, pois ele derrotou o império da morte de Hb 2: 14 e nele podemos ter os nossos pecados perdoados e viver eternamente com Deus que é vida. Estamos anunciando isso como “prioridade principal e redundante” no dias de hoje em nossas igrejas? É o nosso dever fundamental fazê-lo.

cláudio pinto pr

Pense: “Deus nos dá livre arbítrio e sabedoria para escolher a vida ou a morte, se nossa escolha foi certa ou errada a eternidade e quem nos responderá”. Nábulus, pensador cristão

Mundo hostil

MM 2017 -   M bl

Como nunca hoje o mundo evolui, a ciência se multiplica, a tecnologia avança e se desenvolve, porém, não tem como impedir o aumento do mal na terra, os eventos naturais como os tsunamis aterradores, os vulcões furiosos explodindo e lançando cinza super aquecida no ar lava incandescente na terra, os terremotos, e isto em muitos pontos do planeta. além disso, a cada dia surgem novas doenças, pestes, epidemias, e o câncer quebra todos os recordes de estatísticas. Doenças já extintas estão de volta, a depressão aumentando sempre e a síndrome do pânico como a doença da moda. Não bastasse surgem as super-bactérias superresistentes.

Os alimentos atacando com os calóricos, os super saturados, os hidrogenados, os cheios de conservantes, de odorizantes, corantes, as contaminações, tudo muito nocivo a saúde de alguma forma, no mínimo provocam obesidade e pior, fazem parte do dia a dia de todos gerando muitas enfermidades e limitações físicas.

Na pecuária animais nutridos por ração que contem hormônios, antibióticos, e que viram alimento humano e provocam sérios distúrbios de saúde e nos adolescentes problemas no desenvolvimento. Ainda surgem doenças como a da vaca louca, por se dar ração com pó de ossos ao gado herbívoro, entre outras insanidades.

Na agricultura, os pesticidas, herbicidas, os venenos, os defensivos agrícolas, etc. que produzem as alergias, rejeições, intoxicações, etc. sem falar nos transgênicos, cujos resultados colheremos no futuro próximo.

Na educação, fora o prejudicial buling, tão atual, tem os maus ensinamentos e a má formação, onde se aprende a não respeitar mestres, pais e autoridades, e se cresce com um caráter já deformado. Muitos nesse tempo se iniciam nas drogas e no vício, pois não tem uma orientação sadia.

Nas nações o terror dos sequestros foram substituídos por atentados renovados com homens e carros bombas, franco atiradores, e agora os atropelamentos com o uso de caminhões, atuando em lugares públicos de grande movimento, etc. que causam um clima de terror e insegurança constante.

Nas ruas do país, os assaltos, sequestros, a morte espreitando em cada esquina, a violência, a falta de amor e de respeito, os assédios, os ataques, as explosões de caixas eletrônicos e de carros fortes, as saidinhas de banco, assaltos a caminhões e ônibus, os arrastões, fora todo o tipo de golpe pela internet e pelo telefone, etc.

Nas celas dos presídios encarcerados com celulares aplicando golpe nos cidadãos de bem que estão fora e atemorizando os de dentro, policiais sendo atacados e mortos na rua a cada dia. Não há limite para se conceber e executar o mal.

Na economia, impostos escorjantes e abusivos, exploração continuada e os juros mais altos de todo o globo terrestre, inflação e pobreza crescente sempre e todos tipo de escândalos surgindo.

Na política dominam a impunidade a corrupção, as negociatas, o interesse próprio, o lucro desmedido a qualquer preço, a hipocrisia, as maquinações malignas, e a mentira e a auto proteção, a tal ponto que alguns declararam abertamente “que fariam o diabo para se reelegerem e o fizeram, e foram mesmo assim reeleitos, pois a impiedade impera e cega a todos.

Que mundo é esse, onde o mal está a solta em toda a parte e o bem tem que ser buscado como uma preciosidade? Um mundo sem amor, onde pai mata filho por vingança, filho mata pais por ganância, pedófilos violam crianças por prazer, casais se traem como realização, a tv incita a tudo isso em suas novelas, e juízes falam e ensinam advogados a como se defender da justiça e como anular provas reais, o que justifica a Bíblia, a qual ignoram e que diz: “que a nossa justiça é trapo de imundícia”, isto em Is 64: 6. E a Bíblia sempre tem razão.

O desespero e o medo levam a humanidade a angustia e a buscar socorro em psicólogos, ou em medicamentos, calmantes, relaxantes, e em todo tipo de droga, o que só aumenta o lucro dos laboratórios e dos hospitais e aumenta as doenças e traz a desesperança, tornando o enfermo além de depressivo dependente.

Nem vamos falar dos mísseis, do patrulhamento e do controle individual pelo estado, do perigo atômico ou nuclear que só aumentam o mal, através de todos esses canais de progresso, todas ferramentas de dois gumes, projetadas para o bem usadas no fim sempre para o mal.

Se esta pequena porção descrita acima é mentira então este mundo é bom e a paz e o bem predominam, mal se for verdadeira, este mundo é hostil, e terrivelmente mal como afirma a Bíblia em 1Jo 5: 19, onde se diz: “o mundo jaz ou está no maligno”. A Bíblia é o único livro que revela o porquê do predomínio do mal tão patente no mundo, isso claro, para os que tem olhos para ver.

Sendo você crédulo ou ateu tem que concordar que este mundo e dominado pelo mal, e que a Bíblia está certa, ou então você é absolutamente insensível por ainda não ter sido atingido pela maldade do mundo, o que será apenas uma questão de tempo infelizmente, ou por querer apenas ser contra. Peço desculpas por em meio a tantas trevas, ser um “otimista”, que por crer na Bíblia ainda vê solução para esta calamidade global e revelo o porquê na sequência.

Deus criou o homem muito bom, e lhe deu o conhecimento do bem Gn 1: 31, e o homem tendo livre arbítrio dado por Deus, escolheu livremente comer do fruto do conhecimento do mal e ser dominado por ele conforme Gn 3: 6, o qual só lhe poderia acrescentar o mal, pois o bem ele já tinha ao ser criado. Assim passou o mundo as mãos do maligno conforme Lc 3: 6, e tudo o que acontece hoje é fruto dessa escolha errada do homem ao se cumpliciar com o maligno.

Hoje só há uma solução para o mundo: a volta de Jesus Cristo, tirando o pecado e eliminando o mal e fazendo novo céu e nova terra onde habita a justiça, conforme diz 2Pe 3: 13 e Apocalipse 21: 1 e 2. Esta é a única solução real e factível.

Se você e dos que nesta vida, já escolheram o bem e rejeitaram o mal como diz Isaias em Is 7: 15 e como fez Jesus em Mt 4: 8 a 11, e já tem a eternidade com Deus e Cristo e sente que a única solução para o mundo e os que nele estão e o eliminar o mal como está em Ap 22: 20, ore por eles todos os dias a uma voz, dizendo: “Ora vem, Senhor Jesus“

cláudio pinto pr

Pense: “O pior mal que o homem faz a si mesmo e não crer no mal que o rodeia e que o destrói” a cada dia. Nábulus, pensador cristão

F do Esp

Esta palavra aparece em três citações bíblicas: Lc 23: 43 – 2Co 12: 4 – Ap 2: 7 Lc 23: 43 diz: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso” – Era Jesus na cruz respondendo o pedido do ladrão a seu lado para que se lembra-se dele em seu reino. 2Co 12: 4 diz: “E foi arrebatado ao Paraíso” – era Paulo apóstolo, revelando um dia ter sido arrebatado ao terceiro céu ao qual se traduziu paraíso. Ap 2: 7 – “Ao que vencer , dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do Paraíso de Deus” – Jesus na carta aos efésios falando sobre ouvir o que diz o Espírito as igrejas e incitando a perseverança na fé.

Paraíso – Um jardim (gan gr), paradisíaco preparado por Deus em Gn 2: 8, um cercado na terra, onde viveu o primeiro casal, Adão e Eva até pecarem e serem expulsos dali, por terem quebrado a harmonia que tinham com Deus. Como o jardim onde Deus pôs o primeiro homem conforme Gn 2: 15, o qual vivia em plena harmonia com o Criador, era um lugar maravilhoso e cheio de paz, se tornou sinônimo de céu, ou seja, o lugar até dimensional onde Deus habita e para onde todos anseiam ir viver eternamente após a morte física. A Bíblia porém não chama o lugar eterno e celestial para os salvos como sendo “Paraíso”.

Quando o apóstolo Paulo menciona a palavra “paraíso” em 2Co 12: 4, para revelar que havia ido ao “terceiro céu”, cujo nome é “esporanios”,(habitação de Deus), ele cita o termo “Paraíso” para identificar para os coríntios este local celestial para onde fora trasladado, não sabendo se em corpo ou em Espírito, porque o lugar já era assim conhecido na mente e concepção deles desta forma.

Quando Ap 2:7 fala do “Paraíso de Deus” a aqueles que vencerem, se refere ao jardim feito por Deus e que originalmente estava na terra, e a ênfase está no voltar a comer da “árvore da vida” que estava em seu centro, e da qual só quem era eterno podia comer, o pecador não podia, como está esclarecido em Gn 3: 22 e 23. O vencedor volta então ao estado original tendo seu pecado tirado por Jesus, e este é o foco da promessa ao final da carta, a restauração e volta a harmonia.

Agora a citação mais polêmica a de Lc 23: 43, que causou até mudanças na forma de interpretar o texto bíblico original por parte de alguns seguimentos, tentando o o compatibilizar e assim justificar posições doutrinárias dogmatizadas. Jesus está na cruz e a seu lado o chamado “bom ladrão” por o defender, e que lhe pede que: “se lembre dele ao entrar em seu reino”, mostrando crer nele como rei. Como Jesus lhe respondeu que: “ainda hoje estariam juntos no Paraíso”, e entregou a sua vida naquele mesmo dia, originou-se daí toda a polêmica.

Se Jesus ficaria no ventre da morte por três dias, como ficou, como poderia estar naquele mesmo dia com o ladrão no Paraíso ou seja, no céu? Veja que a confusão está em torno do nome “Paraíso” apenas, pois muitos o tem como sendo o céu onde Deus habita o qual na verdade é chamado por “terceiro céu ou esporanios” no grego e não Paraíso, o qual era o jardim na terra.

Como dissemos cada um coloca o “paraíso” onde o imagina ser. Os judeus tinham o paraíso como sendo o “seio de Abraão” no hades ou seol, Lc 16: 22 a 24, o lugar dos mortos, ou onde os mortos salvos esperavam a libertação de Hb 2: 14 e os mortos perdidos já sofriam as dores do local de tormentas. E se foi essa a forma de aplicação feita por Jesus, levando em conta ser o bom ladrão um judeu que assim pensava, tudo fica claro, pois é dito que Jesus ao morrer desceu ao hades, ou as partes mais baixas da terra, onde libertou os cativos do “seio de Abraão”, e subiu levando cativo o cativeiro conforme Ef 4: 8 a 10. Jesus não entrou no céu onde Deus habita naquele dia, mas no Paraíso do hades, como acreditava o bom ladrão o qual por sua fé revelada quando ainda vivo na cruz, ganhou de Jesus o direito a salvação e a promessa de estar no Paraíso, o seio de Abraão com ele ainda naquele dia, como ocorria a todos os que viviam na lei antes da morte e ressurreição de Jesus.

Após a sua ressurreição, ao terceiro dia, Jesus ficou ainda quarenta dias na terra, como vemos em At 1: 3, se manifestando entre os discípulos, e só após é que subiu aos céus onde Deus habita, conforme está em At 1: 9, em sua ascensão. Por outro lado, a promessa feita ao salvos da graça para a eternidade está em Ap 21: 1 a 27, que é viver eternamente na cidade quadrangular, a Jerusalém celestial, tabernáculo de Deus com os homens, e se você crê que este é o “Paraíso eterno” para você, persevere então até o fim para estar eternamente nele e toda a sorte.

Pense: “Estar no céu em harmonia com Deus, e estar no Paraíso, seja onde for”. Nábulus, pensador cristão.

digitalizar0002

“40 Porque assim como esteve Jonas três dias e três noites no ventre da baleia, assim o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da terra”.

Esta é a única citação da “baleia”, como sendo o animal tido como o “grande peixe” que engoliu a Jonas. Hoje sabemos que a baleia não é um grande peixe, mas sim, um grande mamifero aquatico, isto na nossa atual classificação zoológica feita por Carolus Linneaus – 1707 a 1778, portanto muitos anos após a criação narrada na Bíblia e cuja finalidade e faciliatar o estudo pelo homem, de toda a fauna que habita todo o mundo.

Baleia = Monstro marinho, baleia, peixe imenso, (Strong). Afinal era um grande peixe ou uma baleia? Esse é um motivo que é polêmico entre os cristãos e muito usado pelos descrentes para negar a veracidade e sabedoria da Bíblia. Lembramos que os pensamentos de Deus não são os nossos, Is 55: 8, e que Deus criou cada ser conforme a sua própria espécie conforme diz Gn 1: 24 e 25, com propósitos definidos e não visando harmonizar-se com com a nossa classificação zoológica.

Veja que para Deus o que voa e ave como está em Lv 11: 13 e 19, ou então temos que admitir que Deus que criou o morcego conforme a sua espécie, não sabia que ele mamava ao nascer e que era um mamífero, o que seria incoerente. O mesmo Deus que criou o ovo criou os mamiferos, os repteis, os peixes, etc., sabe a origem de todas as coisas. Deus não precisa da classificaçóes humanas para entender a sua criação? Onde estão nela o beamote, o basilísco, o unicórnio, o leviatã, etc.? Deus é quem os cita na Bíblia, nos só supomos supomos o que eles sejam.

Por outro lado, a citação da baleia só aparece em Mateus, nas outras citações aparece um “grande peixe”. Mas na verdade, isso seria insignificante, diante do tremendo sinal que foi operado pelo animal que Deus deparou para que engolisse a Jonas, e que o vomitasse no mar, que produziu um resulatdo que teve o poder de converter a todos os descrentes de Nínive, enorme cidade, cuja única citação estava na Bíblia, antes de sua descoberta arqueológica. Se era uma baleia ou um grande peixe isso é irrelevante diante do tremnedo resulatdo que produziu. Seja qual for o animal, Deus salvou com ele uma cidade inteira e até os seus animais. Seja qual for o animal, bendito seja, isto por ter servido os propósitos de Deus.

cláudio pinto pr

Pense: O que é mais importante: a salvação de uma cidade inteira ou a classificação zoológica correta do animal que engoliu a Jonas e o vomitou na praia? Nábulus, pensador cristão.

O fio de prumo

Traje

O mundo enlouqueceu, a lógica se perverteu e o normal hoje é o bizarro, e mesmo tendo o dom do arbítrio aos poucos vamos perdendo a consciência do que é certo e do que é errado, e entendendo ser o absurdo coisa absolutamente normal. Nos anos 60 um famoso grupo musical, trocou o fazer sucesso pela incumbência de em troca disseminar por todo o planeta a frase: “Está todo mundo louco”. Tiveram todo o êxito e a repercussão foi global, tempos depois essa loucura cobrou seu preço e ceifou a vida ainda jovem de um de seus principais ídolos.

Nessa loucura assoladora de hoje, pais matam filhos, filhos matam pais, bandidos são tratados com honras e garantias e vítimas desprezadas e esquecidas, o trabalhador é explorado, e explorador é admirado, o justo é tido por torto e o torto é tido por justo, e como dizia o chacrinha, o mundo vai caminhando “na mais perfeita confusão”. Na verdade, de tanto alterar os pesos, perdemos o chamado “fiel da balança”, e ninguém sabe mais onde está o prumo da justiça e da verdade.

Veja que, antes o marqueteiro elegia o estadista, hoje o marqueteiro se elegeu no comando do estado, e isso na maior nação do mundo. O prêmio Nobel era dado a categorias definidas onde pessoas se destacaram em suas áreas de atuação a favor da humanidade. Essa regra foi quebrada quando o prêmio de “literatura” foi dado há um “compositor musical”, que afora suas qualidades natas em criar longas letras para suas músicas, não se enxerga como sendo um escritor.

E o mais irônico é que o prêmio além do prestígio, traz ainda em seu bojo uma notável recompensa financeira como incentivo as pesquisas, e sua festa de entrega tem repercussão global. Acreditem se quiser, o premiado não compareceu a festa alegando que tinha coisa “mais importante” a fazer no dia da premiação, tão pouco agradeceu a honraria. Talvez possa ter se sentido um tanto constrangido por ocupar um lugar que pela lógica deveria ser de um literato, sei lá. Mas tudo faz parte desse mundo louco, insano, sem senso e dominado de hoje.

No Brasil, um goleiro julgado em júri popular e condenado a 22 anos de cárcere e já preso há seis anos, é solto porque o ritual de sua prisão não foi cumprido a risca, mostrando que mais vale o rito que a justiça, e que a burocracia sumaria é mais importante que a verdade. Não importa o que se fez, mas importa como se fez e a forma acaba por anular a cruel e trágica realidade dos fatos.

Sobre a insanidade há uma imagem fortiíssima em Am 7: 7 e 8, que diz: Mostrou-me também isto: “eis que o Senhor estava sobre um muro levantado a prumo; e tinha um prumo na mão; O Senhor me disse: Que vês tu, Amós? Respondi: Um prumo. Então, me disse o Senhor: Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo de Israel; e jamais passarei por ele. Zac 4:10 diz: Pois quem despreza o dia dos humildes começos, esse alegrar-se-á vendo o prumo na mão de Zorobabel”, Aqueles sete olhos são os olhos do Senhor, que percorrem toda a terra.

Em Cristo, Deus trará de volta o fio de prumo da verdade e da justiça, e aferirá o fiel da balança, e findará a louca sabedoria dos sábios e porá toda a terra de novo a prumo, e a loucura do mundo perecerá 1Co 1: 24 e 25, e a sabedoria dos loucos será eterna, conforme 1Co 1: 27 a 31.

cláudio pinto pr

Pense: “E ali haverá um alto caminho, um caminho que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para aqueles: os caminhantes, até mesmo os loucos não errarão”, Is 35: 8.

O homem Adão

A var

Existiam homens no planeta terra antes de ser formado o homem Adão revelado pela Bíblia? Muitos creem que se aceitando essa hipótese como sendo uma verdade se estaria negando o texto bíblico, o que não tem nenhum fundamento como veremos na sequência. A propósito, Deus só revela a formação do homem Adão porque isso tem importância para a salvação de todos os homens que crerem.

A pré-história estudada pela arqueologia, a antropologia e a paleontologia, revela de forma farta e comprovada pela existência de fósseis, que a forma humana ou humanoide é antiquíssima e uma das mais repetitivas e aprovadas na natureza. Milhares de seres foram e ainda hoje são catalogados com tendo forma humanoide, mesmo os reconhecidamente pertencentes ao reino dos chamados animais irracionais. Como negar ter um primata a forma semelhante à humana?

Entre as espécies achadas e catalogadas desde a pré-história estão seres como o pithecantropus erectus, o australopithecus, o homem de Neanderthal, o homem de cromagnon, o homo habilis, etc. Portanto, sempre existiram homens povoando a história da humanidade e creio que muitos dotados de inteligência comprovada pelos pictogramas, petróglifos e gravuras rupestres em cavernas, e até por vestígios deixados na arquitetura e em objetos manufaturados achados.

O que a Bíblia revela é algo inusitado até então na natureza, que foi a criação de um homem a partir do pó da terra, ou seja, sem ter nenhum ancestral genético, veja Gn 2: 7, cujo nome foi Adão. Embora com a forma humana parecida a dos já existentes no planeta, era um novo ser único e original, pois o homem Adão tinha a imagem e semelhança de seu Criador, veja Gn 1: 26 a 28, diferentemente dos demais desprovidos dessa “semelhança”. Esse fato ocorreu a aproximadamente 6 mil anos atrás que é a idade do homem moderno de origem adâmica. Antes dele existiram homens, porém sem nenhuma ligação com o homem Adão, que por poder se eternizar é o único que interessa ao relato bíblico revelado a nós por Deus.

Os demais Homens sempre existiram na história humana, eram “almas viventes”, como os demais animais, veja Gn 1: 24, se extinguiam ao morrer no corpo físico. O que quebrou a regra foi Adão que além de uma alma vivente, tinha uma “alma imortal”, a qual transcende o limite da vida material e que pode se eternizar em outra dimensão espiritual como revela a Bíblia. É por isso que ele importa a Deus, por ser único na criação e por poder ser restaurado para a vida eterna.

Esta é a criação que a Bíblia narra, e que começou com um homem chamado Adão, o qual caiu em pecado, e isso só aconteceu por ele ser a imagem e semelhança de seu Criador e tendo por isso livre arbítrio, e uma alma que o podia eternizar. Se fosse mortal e finito como todos os demais sequer seria tentado pela serpente, pois não representava perigo a ela, pois desapareceria com a morte de seu corpo, e não poderia pecar por não ter livre arbítrio para escolher entre o bem e o mal. Seu castigo seria o mesmo dos pré-diluvianos, apenas a perda do direito a vida.

Por isso a Bíblia nada diz sobre eles, isso não interessa em absoluto ao chamado plano da salvação, deixa porém, a cargo de cada um o direito de pesquisar sem ser isso considerado como pecado, conforme está em Pv 25: 2. Cláudio pinto pr

Pense: “Aos eternos, crentes e descrentes, a salvação ou a perdição eterna, aos animais apenas a morte física”. Nábulus, pensador cristão

%d blogueiros gostam disto: