Feeds:
Posts
Comentários

INSPIRAÇÃO az am

Jesus libertou dos demônios um homem oprimido por eles, e ainda cego e mudo, e isto na sinagoga. O fato despertou a ira dos fariseus, que murmuravam o acusando de o fazer em nome do príncipe dos demônios, ou seja, Belzebu. Neste caso, como a enfermidade era ocasionada por um demônio, este ao ser expulso por Jesus, deixou o homem liberto e curado de seus males diante de todos. Este cego e mudo devia estar já no meio deles há muito tempo e nunca ninguém o libertou do jugo que o prendia as cadeias das trevas. Liberto o homem, ao invés dos fariseus agradecerem a Deus por sua cura, todos se preocupavam em acusar a Jesus de o fazer pelo poder de Belzebu e não de Deus. Revelam assim, que já conheciam tal prática, só que operada pelo poder de um demônio, Belzebu, e não de Deus.

Por isso acusam Jesus de o fazer em nome de um demônio, ou seja, da mesma forma que ele viam fazer os servos das trevas as ocultas. O discernimento inicial deles já foi tendencioso, pois revelou a intimidade deles com as práticas malignas das trevas e a distância que tinham do poder de Deus. Assim lançaram juízo de condenação contra Jesus, porém o povo o chamava por “filho de Davi”, um título messiânico, o vendo como sendo o Messias prometido o libertador de Israel. Jesus então usa contra eles um princípio fácil de entender, que para prevalecer um reino tem que no mínimo ser unido, se pequeno ou grande a desunião o enfraquece e a união o fortalece. E revela a todos os fariseus que o reino de Satanás é um reino muito unido entre si, pois esta é a sua única opção para tentar subsistir.

Se Satanás dividir o seu reino, terá derrota certa e decretada antecipadamente e ele é astuto o suficiente para não cometer tal estultícia. Precisa da força de todos os seus asseclas para intentar resistir ao poder e a justiça de Deus. Ainda que entre eles não exista o amor, e se odeiem e se rejeitem, sabem que têm que estar unidos em uma causa comum, para ter um mínimo de chance e vitória. O que Jesus está deixando claro aos fariseus é que Ele é um participante do reino de Deus, e da luz e que nada tem a ver com o reino das trevas demoníacas. Se o que ele diziam fosse verdadeiro o reino demoníaco estaria dividido e enfraquecido , e os alertava ensinando que as coisas não eram assim no unido mundo das trevas.

Nesse contexto pergunta agora no verso 26 aos fariseus que o acusavam: como pode Satanás, expulsar a Satanás dividindo o seu reino? Só o faria com engano e astúcia, para engodar os presentes, e manter o doente em opressão e sob seus domínios. Se houver libertação verdadeira, o reino das trevas está dividido entre si e não pode subsistir, dando a entender que jamais um espirito maligno expulsará a outro em realidade, pois isso dividiria o seu reino. Dissimulam como lhes é próprio, que o fazem, mas na realidade seria apenas uma forma de enganar os seus adeptos. Quando dois concordam em seus maus intentos, sempre andaram juntos, nunca se expulsarão ainda que pareçam fazer isso, veja Am 3:3. Aquele oprimido porém, expulso o demônio, ficou liberto e curado.

Assim deve ser na igreja o reino de Deus, a unidade é fundamental, Jesus quer que sejamos um com ele e com o Pai conforme revela em Jo 17: 11 e 20.

cláudio pinto pr

Pense: “Andarão separados os que estão de acordo? Não, andarão juntos, pois a virtude do acordo é gerar a união”. Nábulus, pensador cristão

Anúncios

A natureza

digitalizar0004

Para quem crê na Bíblia, Deus criou a natureza, para quem não crê, a natureza foi quem criou tudo. São duas possibilidades, a primeira da criação, Deus é o Criador, a mente pensante, Se Deus é o Criador como está na Bíblia, ele é o responsável por tudo o que existe, pelo que aconteceu e que acontecerá, seja bom ou seja mal, conforme Is 45: 2, e que trabalha para corrigir, o que embora ainda presente, não faz parte de sua criação e não é de seu agrado como o predomínio do mal, pelo qual muitos creem ser Deus como Criador, um Deus mau. A segunda proposta que propõe que tudo o que existe surgiu de forma natural ou ocasional, ou seja, que a natureza inconsciente gerou e dirige tudo no universo alienadamente.

No caso de a natureza ser o fator gerador de tudo, concluo racionalmente que: ela é má, insensível, indiferente, fria, cruel, injusta, e a responsável ainda que sendo inconsciente e irracional por todas as desgraças, dores, sofrimentos, e toda a injustiça e impiedade e maldade, cotidiana que toda a criação sofre e que nos assola desde o princípio, mas ninguém lhe imputa responsabilidade ou culpa por ser ela absolutamente inconsciente e amoral e como tal inimputável. Para um só julgamento existem dois juízos: se Deus é o Criador é o culpado de tudo, agora, se a natureza e o fator vital é inimputável, por ser inconsciente. Essa é a justiça humana que Deus chama em Isaias 64: 6, como “trapo de imundícia”.

A pergunta que fica é: como pode uma natureza inconsciente e sem inteligência, gerar seres racionais e dotados de inteligência, e sabemos que ninguém pode dar aquilo que não tem, como a figueira não pode dar uvas e a videira não pode dar figos, como diz Tg 3:11 e 12. Diriam alguns, mas o homem evoluiu e se tornou racional, nesse caso pergunto, e a natureza não evoluiu? Pode o irracional gerar o racional e após continuar irracional? A natureza se mostra hostil e tremendamente destrutiva, tudo o que há do espaço põe em risco a vida e até o que não tem vida, a morte caminha pelo éter e este para a auto destruição segundo a ciência. E muito estranho aceitar tal raciocínio evolutivo que na pratica involui e cujo objetivo é de aniquilar tudo. A proposição é: O nada gerou tudo e tudo evoluirá e se consumará no nada. Então, certo está o apóstolo Paulo que diz em 1Co 15: 32, “comamos e bebamos por que amanhã morreremos”.

E para os descontentes, não há esperança de melhora, pois a natureza além de ser inconsciente é indiferente a tudo o que pensamos e ao que nela ocorra, não tendo sensibilidade, nem afeto e nem sentimentos e emoções, não tem como se importar com o que sucede conosco em vida ou após a morte, sequer sabe que existimos. Diante desse quadro se entende o porquê do mal sempre predominar assim como as indignidades, as tragédias e a destruição constante e no meio racional, o cada um pra si e o uns contra os outros. Se cremos que não existe uma mente criadora e racional, e por sermos também racionais, sabemos sermos parte dessa natureza cruel, fria e indiferente, somos exatamente como ela é. Isto até agrada ao homem descrente, pois assim nunca terá que prestar contas e nem será julgado por suas ações, e nunca terá que estar diante de um temido e racional tribunal conhecido como o “juízo final, de Ap 20:15a20, que é a maior causa de existirem descrentes, pois aterroriza os mortais, melhor é crer na natureza que não conhece a justiça.

Nesse caso se entenderia perfeitamente o que está escrito em Ec 3: 18 a 21, onde se lê que não há diferença entre homens e animais, e que não existe em cima e em baixo, e que para onde vai um vai outro. A natureza é indiferente aos que nela vivem, não tem planos presentes, passados ou futuros, pois inconsciente e apenas o palco de um teatro onde as coisas acontecem. Tudo cessa com a morte as plantas viram limo, e os animais, incluindo o homem, viram apenas adubo para a terra, voltando ao nada atômico e inconsciente que eram antes e nada mais, são todos sepultados com todo o seu orgulho, prepotência, ganância e sabedoria, e sem nenhuma diferença entre os homens e o animais, todos são nada. Porém Jesus veio anunciar a ressurreição e a vida eterna ao que puderem crer e obedecer coisa difícil de entender e de aceitar a quem é rico e se tem como sábio.

Porém, se existe a criação bíblica, sabemos que Deus o Criador, é onisciente, onipotente, onipresente e nos ama e nos quer eternamente com Ele, Ap 21: 3, e nos criou como seus auxiliares, não por precisar de nós, mas por que não é um Deus solitário, mas antes um Pai de família que ama a seus filhos, e os quer convivendo com Ele, conforme Ef 3: 14 e 15, é os prepara hoje para estarem consciente e eternamente juntos dEle conforme Ap 21: 1 a 3. Tudo porque, Deus é amor, 1 Jo 4: 8, um sentimento primário que a natureza que Ele criou, não tem.

cláudio pinto pr

Pense: “se você pode crer na natureza, pode crer em Deus que criou a natureza a qual o anuncia como o Criador, dia e noite conforme diz o Salmo 19: 1 a 3”

Sabemos por a culpa de tudo em Deus, mas nunca nos temos como sendo culpados e causadores de tudo, Rm 5: 12. Em nossa pretensão, nunca descobrimos Deus, e nunca saberíamos de sua existência se Ele não tivesse descido do céu até nós aqui em baixo, para nos revelar todas as coisas através da Bíblia. Até hoje estaríamos no vasto politeísmo humano. Na Bíblia nos falou de seu amor e de como nós criou e deu consciência e livre arbítrio, o qual usamos para o rejeitar e escolher o mal sob o qual até hoje vivemos, 1Jo 4: 19, o culpando por isso.

A MI 1 neg

O homem foi criado àimagem e semelhança de seu Criador, O Deus da Bíblia o qual criou todas as coisas até mesmo os descrentes. Mas, nós podemos querendo mudar essa imagem pelo livre arbítrio dado pelo Criador, o qual nos permite até mesmo negar a sua existência. Como o diabo é o pai da mentira, Jo 8: 44, é homicida desde o princípio e nele não há verdade alguma. quer mudar os homens criados a imagem e semelhança de Deus, os tornando a sua imagem. Para isso tem algumas etapas a seguir o que faz com todo o rigor, engano e cuidado, para que ninguém perceba e nem creia, que ele o diabo existe e está fazendo essa mudança.

A primeira etapa: tem que convencer os homens que o ouvem, que Deus não existe, o que ele mais que ninguém sabe existir. Tem que tornar os homens agnósticos, ou seja, sem o dom da fé que capacidade a crer em Deus, o que muito chamam erradamente por “ateus”, termo que só pode ser atribuído a estudiosos profundos da teologia, que por algum motivo se tornaram descrentes, só estes são ateus. O “a” é partícula negativa que nega o “Teo”, (não Deus), e só pode negar a Deus como ateu quem antes muito o conheceu.

A segunda etapa: tornar o homem descrente o tornando a sua imagem e semelhança, ou seja, mentiroso como ele o é em essência. Sendo filho do maligno o homem só crerá no que for mentira e amará a mentira achando que ela é válida e passando a usar as filosofias vindas ;a inspiração maligna que dizem: se não existissem espertos ; não haveriam trouxas, quem pode mais, chora menos; quem não chora não mama; cada um para si e Deus para todos; e: para subir não importa quantas cabeças tenha que pisar, etc., pois os meios justificam os fins. O amor ao próximo desaparece, pois vem de Deus, e o homem só ama a si mesmo e aos que tem como “seus”, e passa a crer que tudo se justifica nisso neste mundo, 1Jo 2: 16 e 5: 19.

A terceira etapa é: já sendo um mentiroso agora o homem deve fazer a obra do seu pai que é o roubar. Ora a mentira é o princípio que abre a porta para todas os demais desvios, e ela leva o homem a intentar sempre o “levar vantagem em tudo”, pois crê que o mundo é dos mais espertos, Tg 4: 4. O esperto é sempre um mentiroso, desonesto, enganador e por fim ladrão, usa a astúcia para levar vantagem em tudo sempre, sem se importar com os que prejudica.

A quarta etapa é se tornar iniquo, ou seja, injusto, e assim pouco se importar com a equidade e a verdade. O que importa e ao fim enganar a todo mundo saindo ileso, mesmo que saiba ser isso fruto de uma sequência de falsidades e inverdades. Por isso, Jesus disse: “ quem quiser me seguir que se aparte da iniquidade” e busque o reino de Deus e a sua justiça, conforme está ensinado em Mt 6: 33.

A última etapa a pior de todas na degeneração total do caráter humano, e da perda da imagem do Criador, e quando o homem se torna um mesmo espírito com o seu pai que é “homicida” desde o principio, se tornando um assassino contumaz e sem nenhum remorso e arrependimento. Para alguém mentiroso, descrente e sem temor, explorador e enganador do próximo, e vivendo em um esquema onde a justiça humana não o alcança por ser falha, como diz Is 64: 6, por isso não crê que exista a verdadeira justiça, se tornando um só com o seu inspirador maligno, que se apossa dele e o usa manipulando dia e noite.

Isso levará esse homem a morrer crendo que sai da vida em vantagem, tendo em seu epitáfio só elogios de seus iguais, mas verá que perdeu pelo gozo de pouco de tempo nesta vida e pelas glórias deste mundo, a chance de viver bem em toda a eternidade, e despertará para o juízo final e para a condenação eterna e estará para sempre junto a quem sempre amou e serviu com fidelidade como está em Ap 20: 10, para sempre, sem nenhuma honra ou glória.

Arrependei-vos pois, é chegado o reino de Deus é a mensagem de Jesus o Salvador, de que vale levar vantagem na ilusão que se acaba na morte e perder o que é eterno trocando o eterno de forma infantil por coisas passageiras, veja 2Co 4: 16 a 18. Um dia todos os homens se irão deste mundo deixando tudo o que conquistaram e pelo que lutaram, na terra, e se cumprira o que esta escrito em Ag 2: 8: “meu é o ouro e minha é a prata” diz o Senhor, tudo que levou o homem a perdição pela ambição, poder e glória deste mundo, volta para o único dono de tudo, O Senhor nosso Deus, de Abraão, Isaque e de Jacó, o Deus da vida, único, verdadeiro e Criador, que a princípio criou o homem a sua imagem e semelhança para ser eterno, veja o que diz 1 Jo 2: 17.

cláudio,pinto

Pense: “O homem pecador passa, Deus é eterno, tudo o que o homem conquistou, ao fim volta para Deus, o eterno Senhor de tudo”. Nábulus, pensador cristão. (Mt 2: 6, e 7: 23)

Platão e a família

Marta

Deus, segundo a Bíblia, é o criador da família, Gn 2: 24, além de ser identificado nas parábolas como o Pai de família e ter como propósito formar na terra a Sua família, Ef 3: 14 e 15. Se a humanidade é dominada pelo mal e pelo maligno como afirma 1Jo 5: 19, nada mais natural que no mundo citado em 1Jo 2: 16, (lembro que: igreja está no mundo, mas não faz parte do mundo) se combata todo o conceito que inclua a ideia divina de família.

Esse combate pode parecer a muitos, coisa da sociedade atual, tão ativa, mas saiba que desde a Grécia antiga, que é o berço da cultura ocidental, essas ideais já eram concebidas. Foi Platão um dos sábios mais notórios dessa cultura, que propôs alguns princípios e conceitos que hoje agitam a sociedade atual parecendo modernidade, mas são velhíssimos. Se o mal predomina na mente humana como diz a Bíblia que é, veja os resultados que tais propostas causaram na história, através do comunismo e no nazismo e conclua você mesmo se a Bíblia está certa.

Citaremos algumas ideias de Platão que talvez te surpreendam, pois você achou serem ideias de alguns personagens atuais, veja porém, serem tão velhas como a história da humanidade, e saiba que: “o diabo não nada cria, mas insiste em se repetir sempre.

Governo – como política de governo, Platão defendeu uma forma de comunismo. Se invocar a Platão hoje, para defender uma aristocracia, ou uma democracia , é uma contradição e absoluta falta de conhecimento histórico em termos políticos. Família – Platão defendeu a ideia de que família deveria ser totalmente controlada pelo Estado, ou melhor, defendeu a abolição pura e simples da vida familiar. Aristoteles, era outro sábio, que compactuava das mesmas ideias de Platão sobre a família. Casamento – segundo Platão, as uniões entre homens e mulheres seriam estabelecidas friamente pelo Estado com vista à procriação de “filhos saudáveis”, seriam meros reprodutores. Saiba que, Platão e Aristóteles defendiam o infanticídio das crianças que nascessem com deficiência, e as demais crianças seriam criadas e educadas pelo Estado como se fossem uma única família. Esta ideia platónica de família tutelada foi parcialmente adaptada por Hitler, Mao Tsé Tung e Stalin, com os resultados nefastos e desastrosos já conhecemos. Platão foi o primeiro pensador político a conceber a ideia da necessidade de construção de “campos de concentração” como solução política para os relapsos políticos. Viu como a história se repete sob a batuta do maligno? E você pensou que tudo isso era novidade e criação das novelas, dos artistas e autores, dos ídolos e dos avançados de hoje? São ideias na verdade pré-diluvianas, veja Gn 6: 7.

Saiba que Platão vivendo hoje, seria: discriminador, machista, homofóbico, racista, facista, nazista, novelista, etc. Se ficou surpreso com a velharia das ideias da atualidade saiba que o diabo que as inspira é mais velho e repetitivo que a humanidade. Se Imaginou que a fonte inspiradora dessas ideias eram as mídias faladas e escritas de hoje, por serem avançadas, saiba que a fonte é o mesmo velhíssimo Satanás, e que as mídias com seus conceitos, modernismos, dramas, novelas e doutrinas, são apenas massas de manobra inconscientes, manipuladas pelo maligno para levar a efeito o seu propósito de destruir a família criada por Deus. Para isso usa agentes humanos, como sendo marionetes, lhes inspirando e dando como recompensa , fama e muito dinheiro, o qual será para sua própria ruína e perdição eterna, claro se não despertarem a tempo de sair dessa fria na qual por vaidade e cobiça estão.

Impedir a família e impedir o propósito de Deus para a humanidade e lutar contra o Criador, é lutar em vão, pois a família de Deus já está formada na terra e breve se manifestará da forma como o Pai a concebeu em 1Ts 4: 13 a 18, indestrutível e eterna, e o fim do mal que sempre a combateu já está anunciado e determinado em Ap 20: 10 a 15. Breve, toda terra será uma só família, a família de Deus: boa, perfeita e eterna. Hoje é o dia de você optar entrar nela ou viver um drama eterno. Você é totalmente livre para escolher e só o que te desejo e uma boa e certeira escolha. cláudio pinto pr

Pense: “A que família você quer pertencer; a eternamente salva ou a eternamente perdida?” Nábulus, pensador cristão

Bat Jo V

Creio que este assunto é e será sempre um divisor de águas entre a salvação e a perdição. Mesmo Jesus teve grande dificuldade em conscientizar os judeus que o ouviam dessa realidade que é a ressurreição, pois engloba duas esferas, a material e a espiritual. Os discípulos tiveram dificuldade em entender, já os judeus nunca creram e nem entenderam, até hoje, a ressurreição de Jesus, veja Mt 28: 11 a 15.

Como convencer a pessoas que morrem deste de o início da humanidade, e que nunca viram ninguém voltar da inexpugnável morte, que seja possível que após a morte alguém possa voltar dela e reviver? Como crer naquilo que nunca se viu? Jesus foi sempre repetitivo nos evangelhos ao falar sobre esse assunto, e sempre que falava gerava forte dúvida entre os discípulos que o arguiam depois ou se calavam sem nada ter entendido. Esta falta de entendimento dos discípulos ficou clara pela reação de cada um deles após a morte e ressurreição de Jesus, que lhes causou surpresa, conforme Jo 20: 1 a 10 – Mt 28:17 – Mc 16: 14 e Lc 24: 12.

E nós hoje como igreja cremos mesmo na ressurreição de Jesus? Pode parecer uma pergunta insensata, mas se fizermos hoje uma pesquisa para levantar o grau de conhecimento das igrejas sobre o assunto ressurreição, eu creio que ficaríamos surpresos e espantados com o resultado, e não falo somente em relação aos membros ouvintes, mas aos líderes que deveriam ministrar a eles o tema. O que se busca hoje são as riquezas e as bênçãos materiais desta vida, veja 1Co 15: 19. Se você entende, ressurreição não é morrer e voltar a esta vida miserável para morrer de novo, antes é viver ressurreto e entrar na vida eterna vivo eternamente.

Aquilate pelos programas evangélicos atuais que pouco se fala sobre o assunto, pois o natural e se fugir do que não se entende e nem se pode explicar. Entre ficar sem ter resposta e se omitir, é muito mais inteligente a omissão. Muito melhor é falar das agruras do dia a dia que a todos afeta, e para as quais temos múltiplas soluções e sugestões de saída, ainda que sejam meras estratégias humanas, mas, que já testadas sabemos darem sempre bons resultados e bom retorno.

O dilema é que a carne é o sangue não herdam o reino do céu, 1Co 15: 50, e sem a transformação da mente, Rm 12:2, ninguém pode sair da carne para viver no Espirito e sem crer na ressurreição como viver hoje uma vida ressurreta de transformação mental e física? Como ser hoje uma igreja ressurreta sem crer na ressurreição e sendo nela preparado para viver sob as benesses desta vida?

“Eis aqui vos digo um mistério: na verdade nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados”, 1Co 15: 51 e 52. Sofra a transformação, deixe que o Espírito o transforme, dia a dia, de glória em glória, na mesma imagem daquele que o criou, conforme 2Co 3:18, fique alerta, viva como um ressurreto, pois se o que o mundo te oferece parece bom veja o que diz Paulo em 1Co 2: 9: “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam”. Almeje a ressurreição e a vida eterna e não as glórias deste mundo que tem dia marcado para findar, veja, 2Pe 3; 10.

cláudio pinto pr

Pense: “Se tudo acontece num piscar de olhos, mantenha hoje os olhos abertos”.

URNA eletrnc 2

As eleições estão às portas e para muitos a pergunta é esta. Porque é que não nós sentimos representados por aqueles que elegemos, os quais, salvo raras exceções, antes eram nossos amigos e após eleitos, se transformaram em nossos piores inimigos. Creio que nunca houve tanta indecisão por quem se deva eleger, e tanto descrédito em relação aos candidatos.

Na verdade, o que falta ao país é o temor a Deus, pois um homem sem temor e sem fé se torna irracional, é tende a perverter a moral e corromper os bons costumes, perdendo ou abandonando princípios e deixando de crer que um dia terá, crendo ou não, que se assentar diante do “grande trono branco” para responder por todas as suas ações no dia do juízo final boas ou nefastas, como está narrado detalhadamente em Ap 20: 11 a 15.

Este juízo, começa com uma terrível surpresa ao dizer: “E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles, Ap 20: 11. Tudo o que o homem confiava desaparece diante dele, até mesmo o céu e a terra e ficam somente Criador e criatura, frente a frente, para o acerto de contas e o ajuste final. Qual a chance do réu, diante do Criador que ele negava e assim nunca temeu? A sua vida passará como um filme diante dele sem nenhum filtro para cobrir as mínimas coisas e tudo estará patente diante daquele com quem o homem pecador terá que tratar, Hb 4: 13. quais serão os seus argumentos e quem o ajudará? Viveu nababesca e deliciosamente e agora constata que seu nome não está escrito no livro da vida do Cordeiro, o único que o poderia livrar, Ap 20: 15. As suas obras é que o julgarão, portanto, sem chances.

O ideal é que existissem candidatos tementes a Deus e a seu juízo, que temessem mentir e que fossem fieis a seus próprios princípios, e que se eleitos jamais se desviassem das metas a que se comprometeram seguir, e jamais agissem como fez Judas Iscariotes, traindo aqueles que neles confiaram . Como seria fácil votar numa condição destas, nem seria necessário o voto ser obrigatório, pois todos ansiariam por escrutinar a seus eleitos. Também não ocorreria como vimos acontecer, as varias tentativas dos eleitos em solapar a democracia e amordaçara a imprensa, para poderem aparelhar as instituições e usufruir do bem público as ocultas, fato que não propuseram ao serem eleitos e nunca foram um anseio do povo que os elegeu, mas que executaram com toda a astúcia e maldade possível, veja Pv 22: 22 e 23.

Vivemos num país abençoado por Deus, que tem tudo que é natural para ser a maior nação do mundo, e ter uma economia pujante, mais que é governado por gigantes, os quais consomem os seus moradores, Nm 13: 32. Estes não sabem escolher entre o bem e o mal, optando via de regra, pelo mal e pelos maus, trazendo sobre si mesmos as maldições divinas, e nunca progredindo e nunca chegando ao tão decantado progresso do amanhã como nação, Todas as autoridades foram postas por Deus, ainda que não creiam, e prestaram contas a Ele, Rm 13: 1.

Que bom se um milagre acontecesse e caísse repentinamente o temor de Deus sobre a nação e se cumprisse sobre nós o que está em 2Cr 7: 14 e 15 : “E se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar e buscar a minha face e se converter de seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra”, agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos a oração deste lugar”. Que bom se todos os que se dizem evangélicos, em especial os políticos, realmente o fossem, ajudaram a mudar a mente dos degenerados, e teríamos uma eleição de qualidade onde iriamos as urnas cantando e dando graças a Deus, por ter tantas opções magnificas e excelentes, e lamentando ter tão poucos cargos para preencher como nosso voto espontâneo.

Por enquanto, você que teme, ore e abençoe Israel, pois está escrito, “abençoarei os que te abençoarem, e assim esteja sob ti as bênçãos divinas do Senhor e Ele as traga sobre a nação. Ore e peça a Deus direção para votar conforme a sua vontade para a nossa amada nação a qual é a melhor para todos, orando como em 1Tm 2: 1 e 2.

Cláudio pinto

Pense: “votemos com temor, para que amanhã não venhamos a nos arrepender do voto que fizemos”. Nábulus, pensador cristão

 

As 2 Arvs

Existe questões levantadas por leitores da Bíblia, em geral descrentes, que a interpretam de forma histórica apenas e assim não conseguem alcançar as coisas espirituais e perguntam de forma irónica e até com suspeição : Porque Deus não queria que o homem pudesse adquirir sabedoria?” Na verdade suspeitam que Deus tivesse algum motivo oculto para temer isso. Não se apercebem que seguindo este raciocínio insidioso, se cumpliciam a serpente repetindo a mesma suspeita levantada por ela contra Deus em Gn 3: 5.

No jardim existiam muitas árvores e todas eram boas e frutíferas e Adão podia comer delas “todas livremente”, até mesmo da árvore da vida, citada em Gn 2: 9, sem haver nenhuma restrição, por serem todas benéficas a ele. A suspeição maligna impede que a bondade de Deus em colocar tantas árvores frutíferas e boas a disposição do homem seja vista, e só se possa enxergar através de uma visão maliciosa e contaminada pelo mal.

A resposta é obvia: Deus só proibiu comer de uma única árvore do jardim, justamente por que sabia que ela era maligna e continha o conhecimento do mal, que o homem não tinha em si ao ser concebido e criado, Gn 1: 31. Ela trazia em seu fruto a morte, devido ao pecado da desobediência e a posterior transgressão . Deus só permitiu aquela árvore no jardim para mostrar ao diabo que não impedia o homem de pecar e de desobedecer, porém o mínimo a fazer seria o advertir do perigo em adquirir o conhecimento do mal, ao comer do fruto da tal árvore. Portanto, Deus só o prevenia contra o adquirir o conhecimento do mal o qual só lhe traria perdas. Hoje o mal domina a toda a humanidade conforme está em 1Jo 5: 19.

Essa pergunta é inspirada pela mesma serpente que enganou a Eva, que após induziu a Adão a que também comesse do tal fruto maligno e por isso proibido. A única lei que Deus colocou no jardim foi desobedecida e por isso houve a transgressão citada em Rm 4: 15. O conhecimento do mal entrando no homem pelo pecado, Rm 5: 12, daria início ao processo de degeneração física de suas células pela oxidação, que envelheceriam e desencadeariam na morte que está em Gn 2: 17, citada como o “morrendo morrerás”. Esse mal após passaria a todos os homens conforme Rm 5: 12, pois Adão era o ancestral único e inicial da raça chamada humana e geraria a partir daí, filhos a sua imagem como está em Gn 5: 1 e 2, o que acabou ocorrendo e explica o porque de tanta malignidade na história humana.

Deus é o criador da vida, é Deus de vivos e não é de mortos, conforme diz Jesus em Lc 20: 38, criou o homem para viver e não para morrer, Adão escolheu conhecer o mal e morrer, e infelizmente o mal predomina no mundo até hoje 1Jo 5: 19. Quando você chorar a morte de seus queridos lembre-se: foi a serpente quem introduziu a morte no mundo e não Deus, a quem normalmente todos culpam em especial os sem o devido conhecimento.

Deus , em sua infinita bondade, não desistiu de seu plano de Gn 1: 27, de ter como seu auxiliar o homem Senhor e dominador da terra, o qual seria a sua imagem e semelhança, e se tornaria imortal o que já foi consumado em seu Filho Jesus Cristo, o último Adão de 1Co 15: 45, o qual trouxe de volta a vida eterna a quem o recebe e crê naquele que o enviou, Jo 5: 24.

Deus quer que o homem viva ainda hoje, e não se vingou do homem pela falta de fé e pela desobediência , antes, enviou seu Filho Jesus para que pela sua morte em pagamento do preço do pecado desse vida a todos que nele cressem conforme Jo 5: 24. Jesus tem vida em si mesmo como o tem o Pai, e a pode dar a todos os que o recebem como sendo o seu Salvador pessoal, pois pagou o tal preço por todos ao dar a sua vida na cruz, conforme diz Jo 5: 26.

O homem pecador, e sem harmonia com Deus, foi lançado fora do jardim de volta a terra da qual fora formado, para a lavrar como um servo conforme Gn 3: 23, e sem poder comer da “árvore da vida”, Gn 3: 23 e 24. O homem está até hoje espiritualmente morto e morrendo fisicamente a cada dia. A morte é algo que o homem entende como inevitável , mas não a aceita, pois lhe é alheia, pois não foi criado para morrer. O homem mortal precisa de alguém que o ressuscite espiritualmente para que possa ser eterno, e esse alguém é Jesus Cristo.

Jesus é o homem a imagem e semelhança de Deus o Pai, Jo 10: 30, e o Senhor, e tem todo poder no céu e na terra, Mt 28: 18, e tem as chaves da morte e do inferno, Ap 1: 18, e da vida a quem quer viver eternamente conforme Jo 6: 40. Você quer viver? Torne-se Filho de Deus em Jesus Cristo e viva eternamente. Jesus é hoje a árvore da vida no meio do jardim que hoje é a sua igreja, conforme Mt 16: 18. Coma desse bom fruto e dê frutos também.

Pense: “Se você que ser nova criatura, Jesus é o autor da nova criação de Deus, Cl 1 14 a 16”, deixe que Ele te recrie para que sejas eterno.

cláudio pinto pr

%d blogueiros gostam disto: